David Millar ganha contra-relógio, Valverde garante camisola dourada

O britânico David Millar (Garmin-Slipstream) conquistou hoje a terceira vitória em contra-relógios da Volta a Espanha, impondo-se nos 27,8 quilómetros do exercício individual de Toledo. Millar cumpriu o percurso em 35m53s, à média de 46,489 km/h. O espanhol Alejandro Valverde (Caisse D’Epargne) foi o sétimo mais rápido da jornada e conservou a camisola dourada, faltando apenas a etapa de consagração de amanhã para selar a sua primeira vitória na geral de uma das três grandes provas por etapas no mundo.

Com a liderança de Valverde solidificada na etapa de ontem, o interesse do contra-relógio residia na luta pela vitória de etapa e na batalha pelos lugares no pódio. O espanhol Samuel Sánchez (Euskaltel-Euskadi) mostrou estar num excelente momento – atenção ao seu desempenho no mundial, daqui a uma semana! – deixou para trás toda a concorrência pelo pódio. Ainda se aproximou de Valverde, mas a desvantagem trazida para o “crono” era irrecuperável. Garantiu o segundo na geral e teve de contentar-se com igual posto na etapa, pois gastou mais 5 segundos do que o especialista David Millar, melhor homem do dia.

O italiano Ivan Basso (Liquigas) saiu para a estrada como terceiro classificado, mas não esteve à altura dos pergaminhos. Fez apenas o 18º registo no contra-relógio, acabando por perder o lugar no pódio para o australiano Cadel Evans (Silence-Lotto), terceiro na prova de luta contra o tempo.

A última etapa corre-se amanhã, mas não se espera que provoque modificações sensíveis na tabela. São apenas 110,2 quilómetros numa tirada que se prevê de consagração, na capital espanhola, Madrid. Os sprinters deverão ter uma nova oportunidade para mostrarem a velocidade de ponta.

CLASSIFICAÇÕES
20ª Etapa: Toledo – Toledo, 27,8 km (C/R)
Média: 46,489 km/h
1º David Millar (Garmin-Slipstream), 35m53s
2º Samuel Sanchez (Euskaltel-Euskadi), a 5s
3º Cadel Evans (Silence-Lotto), a 9s
4º Gustavo César Veloso (Xacobeo Galicia), a 20s
5º Roman Kreuziger (Liquigas), a 30s
6º Phlippe Gilbert (Silence-Lotto), a 34s
7º Alejandro Valverde (Caisse d’Epargne), a 36s
8º David Herrero (Xacobeo Galicia), a 37s
9º Jesús del Nero (Fuji-Servetto), a 40s
10º Lieuwe Westra (Vacansoleil), a 43s

Geral Individual

1º Alejandro Valverde (Caisse d’Epargne), 84h10m32s
2º Samuel Sanchez (Euskaltel-Euskadi), a 55s
3º Cadel Evans (Silence-Lotto), a 1m32s
4º Ivan Basso (Liquigas), a 2m12s
5º Ezequiel Mosquera (Xacobeo Galicia), a 4m27s
6º Robert Gesink (Rabobank), a 6m40s
7º Joaquin Rodriguez (Caisse d’Epargne), a 9m08s
8º Paolo Tiralongo (Lampre-NGC), a 9m11s
9º Philip Deignan (Cervélo Test Team), a 11m08s
10º Juan José Cobo (Fuji-Servetto), a 11m27s

11 thoughts on “David Millar ganha contra-relógio, Valverde garante camisola dourada”

  1. Qto ao Miller apartir da suspensão ( não houve controles positivos mas apenas porque ele se acusou que dopava o que demostra a homem que é não como alguns que só qdo são apanhados em flagrante é que assumem ), tem sido incansavel na luta contra o doping, e por isso tambem, tem sido muito mais dificel ele ganhar , ele que já foi campeão mundial de c/r titulo que foi retirado devido á sua confissão .
    Qto ao Valverde foi provado em tribunal que ele fazia dopagem , em tribunal não há supostos.
    Há tanta gente que sabe tanto e não sabe nada , mas tambem sempre vão aprendendo alguma coisa

  2. sr don’t nao foi banido da volta a frança o valverde nao partecipou na volta devido a volta á frança ter uma etepa k pasava por territorio italiano

  3. sr rui o valverde nao acusou doping a suspensao dele en italia é devido ao suposto envolvimento dele no caso “operaçao puerto”… e em relaçao ao david millar o sr esta a eskecer se k ele esteve suspenso dois anos por ter acusado doping… o sr muito fala e muito pouco sabe

  4. Se não então porque é que ele está proibido de correr em italia, senão porque foi provado que se dopava em tribunal , que eu saiba não se pode condenar com base em suspeitas.
    Carlos antes de classificares os outros de mal informados verifica se antes de comentares sabes do que estas a falar.
    Em italia como na alemanha as federações não são alinham com practicas ilicitas, ao contrario da federação espanhola
    Obrigado David pelo esclarecimento , pode ser que assim se aprenda alguma coisa.

  5. O Valverde não acusou doping, tal como não acusaram Basso, Ullrich, Scarponi que foram suspensos por viverem em países que não apoiam dopados nem os médicos que vivem às suas custas. O Valverde tinha pelo menos uma bolsa de sangue no laboratório de Eufemiano Fuentes. Essa bolsa, por análise laboratorial provou-se que continha EPO. Após um exame de ADN, suscitado pelas suspeitas que o nome da bolsa, Valv_piti, tinha algo a ver com o corredor, ficou provado que o sangue é de Valverde. Não acusou, mas ficou provado que o usou, ou que pelo menos tinha essa intenção.

  6. OH RUI JA AQUI REFERI QUE PARA FAZER COMENTÁRIOS DESPROPOSITADOS MAIS VALE NAO COMENTAR…E SE QUISERES COMENTAR PELO MENOS DEVERÁS ESTAR MINIMAMENTE INFORMADO SOBRE O QUE SE PASSA…O VALVERDE NAO ACUSOU DOPING…HOUVE SUSPEITAS MAS APENAS DAS ENTODADES ITALIANAS E COMO NÃO ENCONTRARAM NADA DECIDIRAM SUSPENÊ~LO DE CORRER EM ITÁLIA NOS PRÓXIMOS DOIS ANOS NADA MAIS

  7. Concordo com o rui, não pode ir para frança e agora vai ganhar a vuelta, por alguma coisa foi banido de frança. enfim!

  8. Cancellara não vai dar hipoteses nenhumas , ele é uma autentica mota e ainda por cima a correr em casa , mas ainda bem que Millar ganhou ele merecia por tudo o que tem feito e pela seriedade que tem demonstrado , eu ponho as mãos no fogo em como ele anda sempre limpo.
    Os parabens por esta vitoria .

  9. Quero ver qdo a decisão do TAS sobre o julgado em italia é valido no resto dos paises como tudo se vai passar. Não entendo como é possivel um ciclista ser condenado num pais e poder correr nos outros todos , queria ver se isso fosse com Armstrong se tambem ficavam todos na expectativa
    Dopou-se não pode correr 2 anos ponto final , ou Valverde é diferente de Basso ou Ulrich

Os comentários estão fechados.