AMA abdica de recurso a pena de oito anos a Tyler Hamilton

A Agência Mundial Anti-dopagem (AMA) retirou o recurso da suspensão de oito anos do ex-profissional Tyler Hamilton. Hamilton testou positivo por testosterona em Fevereiro. Mais tarde, o próprio corredor reconheceu a administração de uma substância dopante e anunciou publicamente que tinha tomado o DHEA como a auto-medicação para depressão que atravessava.

Tratando-se da segunda ofensa de dopagem por Hamilton, o norte-americano arriscou uma suspensão vitalícia. No entanto, nas negociações a Agência Norte-americana Anti-dopagem(USADA), Hamilton decidiu não contestar o caso e aceitou uma suspensão de oito anos, anunciando o final de carreira.

Em Julho, porém, a AMA anunciou a intenção de contestar a suspensão de oito anos ao Tribunal Arbitral de Desporto, alegando que o acordo estabelecido “necessita de uma análise de um tribunal independente”.
Num breve comunicado emitido quinta-feira, a AMA anunciou que iria abdicar do recurso. “Após a recepção da informação de base que não estava disponível para a AMA quando o recurso foi lançado, a AMA concluiu que os oito anos de sanção imposta pela USADA foi adequada às circunstâncias particulares deste caso”.