Aluvia e Câmara de Valongo substituem Casactiva

A saída da Casactiva do ciclismo será colmatada pela União Ciclista de Sobrado com o reforço do investimento da Aluvia e com o patrocínio da Câmara de Valongo. A empresa de aluguer de viaturas, com sede nas Caldas da rainha, já integrava o lote de investidores do projecto, mas assumir-se-á em 2009 como o principal parceiro da equipa que tem em José Barros o director-desportivo e no ciclista Nuno Ribeiro o presidente da direcção. Apostando, novamente, apenas no escalão de sub-23, o bloco do concelho de Valongo já começou a desenhar o plantel, embora ainda não o tenha fechado.

As alterações regulamentares, que impedem a participação de ciclistas com mais de 23 anos nas corridas da Taça de Portugal de sub-23 assim como na Volta a Portugal do Futuro, levou os sobradenses a abdicarem de das suas principais unidades em 2008, José Martins (vencedor da Volta do Futuro) e Carlos Sabido. Em dúvida, embora com francas possibilidades de permanecerem no plantel estão outros dois elites, Rui Vinhas e Hélder Leal, a favor dos quais joga o facto de serem naturais de Valongo, factor importante quando a autarquia local, pela primeira vez, tenciona assumir-se como financiadora do projecto.

A aposta será agora mais direccionada para a juventude, registando-se a contratação de três sub-23 de primeiro ano: Bruno Faria, Cristiano Teixeira e Luís Afonso. Do plantel de 2008 transitam Bruno Silva, João Rego e Marco Cunha, tendo sido recrutados dois ciclistas à Maia/SEC/ABB, Francisco Costa e Jorge SIlva. A equipa técnica continua a mesma. Sob a liderança de José Barros, Manuel Garcez ocupa-se da mecânica, estando as massagens a cargo de Pedro Claudino.