Volta a Portugal: “O calor foi o maior adversário”, considera Nuno Ribeiro

A quinta etapa da Volta a Portugal foi a primeira em que Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) transportou a camisola amarela conquistada na Senhora da Graça. A ligação de 184,6 quilómetros, entre Felgueiras e Fafe, foi quase tão serena como a personalidade do líder da competição. Na véspera de mais uma chegada em alto, os principais favoritos concentraram-se em não perder tempo, abdicando de qualquer ataque de surpresa. Nuno Ribeiro agradece e desabafa: “O calor foi o maior adversário”. Apesar da ausência de ataques, Ribeiro entende que “foi muito complicado defender a amarela”, mas “a equipa esteve sempre bem”. Para o líder sobrou “só” a função de “estar atento na parte final, controlando os adversários para manter a camisola amarela”.

Amanhã o dia deve ser mais agitado, pois a meta coincide com uma contagem de montanha de segunda categoria, instalada na Senhora da Assunção, Santo Tirso. “A etapa de de amanhã é uma das decisivas. Mas se correr tão bem como no ano passado não posso pedir melhor”, brincou o líder nas declarações à RTP, aludindo à vitória que conseguiu há um ano no mesmo local onde amanhã finda a jornada.

Pouco preocupado com a tirada que aí vem está o vencedor de hoje, Antonio Piedra (Andalucia-Cajasur). O corredor de 23 anos conquistou em fafe a primeira vitória da carreira profissional e demorou a acreditar no feito. “Não esperava ganhar numa prova tão rápida e com o nível desta. Só acreditei no triunfo quando cruzei a meta, porque sabia que atrás vinha a Lampre a perseguir a alta velocidade”, confidenciou o andaluz.

Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) venceu em Fafe nos dois últimos anos, mas hoje a tarefa era outra. “O calor originou muito défice físico e amarrotou muita gente. Cheguei aqui desgastado, mas a minha função era colocar o David Blanco o mais à frente possível, tentando provocar ‘cortes’ para os outros candidatos”, revelou o homem no activo com mais etapas ganhas na Volta a Portugal. Para a segunda metade da corrida, Cândido Barbosa afirma-se optimista: “A senhora da Graça deixou a corrida muito aberta, mas a nossa estratégia deixou-nos em vantagem em relação aos adversários. Tal como estão as coisas, só temos a ganhar e espero que o David Blanco, representando-nos a todos os colegas de equipa, dê uma alegria no final”.

O líder da juventude, Tiago Machado (Madeinox-Boavista), não pode dizer que esteja em vantagem, mas não dá por perdida a luta pela camisola amarela. “O Nuno Ribeiro está em posição vantajosa, mas os principais candidatos estão todos muito próximos uns dos outros, separados por poucos segundos”, disse o famalicense.

4 thoughts on “Volta a Portugal: “O calor foi o maior adversário”, considera Nuno Ribeiro”

  1. Nunca fui adepto do Sérgio Sousa. E mais do que as suas declarações, as suas últimas acções têm abonado a favor da ideia que tenho dele.
    É uma espécie de Jacek Morajko , mas em português.

    Tiraram o Lima para o ajudarem a vencer a volta, mas o que tem feito de realce o Luis Pinheiro ? e o Célio Sousa ? e o Danail Petrov? Olham todos bastante para o seu umbigo .
    A sorte , ou a falta dela, é que o umbigo deles vale pouco e nem assim conseguem notoriedade.

  2. O de verde n tem motor para lhe fazer a folha. É preciso que o Tiago se preocupe com ele proprio visto que a equipa pouco está a fazer para o ajudar. As declarações do professor tb dizem muito. Existe mta dor dentro da equipa porque o abono de familia está para sair. Por norma deviamos ficar felizes por lançar um jovem para uma super equipa internacional, mas em neste caso nem pensar. Tiago, oferece-lhes ao menos esta volta para n reclamarem muito.

  3. ora bem aqui esta uma foto bem interessante,vemos toda a gente contente a levantar os braços menos tiago machado!!!!isto mostra o desconforto que existe dentro da madeinox boavista,claramente que existe uma estrategia montada para o deixar morrer na praia…cá para mim o de verde está a fazer-lhe a folha…ehehehehehehehehehehe abre os olhos tiago machado…enquanto é tempo

Os comentários estão fechados.