Volta a Portugal: todos os directos

Prólogo | | 2ª | 3ª | 4ª | 5ª | 6ª | 7ª | 8ª | 9ª | 10ª |

1ª etapa: Caldas da Rainha – Castelo Branco, 228.7 km

Directo: 1ª Etapa: Caldas da Rainha – Castelo Branco, 228,7 km

Média: 41,842 km/h
1º Manuel Cardoso (Liberty Seguros), 5h27m57s
2º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), mt
3º Francisco Pacheco (Contentpolis-Ampo), mt

Geral Individual
1º Manuel Cardoso (Liberty Seguros),
2º Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author), a 2s
3º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 3s

Km 228,7: Manuel Cardoso (Liberty Seguros) vence a etapa e veste a camisola amarela. Cândido Barbosa foi segundo.

Km 226: Pelotão cortado.

Km 225: Agora é a Liberty Seguros que acelera no pelotão, preparando o sprint para Manuel Cardoso. Está o pelotão nos últimos 3 quilómetros. Tudo se conjuga para uma chegada ao sprint.

Km 224: O reagrupamento foi sol de pouca dura. Ataca um homem da Xacobeo Galicia, David Herrero. Pelotão não consente o sucesso da escapada e rapidamente alcança o basco da equipa galega.

Km 224: Pelotão compacto a menos de 4 quilómetros da meta.

Km 223: É agora a ISD que lidera o pelotão e promove a aproximação a Joaquim Andrade.

Km 222: O veterano Joaquim Andrade (LA-Paredes Rota dos Móveis) tenta isolar-se quando os outros fugitivos estão prestes a ser absorvidos.

Km 222: O quarteto da frente parece esperar pelo pelotão. Não tarde estará tudo agrupado.

Km 221: Intermédio alcançado.

Km 218: O corredor da Landbouwkrediet-Colnago é Benjamin Bourgue, que está a cerca de 20 segundos da dianteira.

Km 216,7: Meta Volante Castelo Branco. Ordem de passagem: 1º Francesco Tomei, 2º Danilo Hondo, 3º Hélder Oliveira. Hondo somou 8 segundos em bonificações. Passa a ter 7 segundos de avanço sobre Cândido Barbosa.

Km 215: No pelotão ataca um homem da Landbouwkrediet.

Km 214: Cândido Barbosa, que passou grande parte da etapa na rectaguarda do pelotão, já vai aparecendo perto da frente do grupo. Provavelmente estará a preparar-se para discutir a vitória na etapa.

Km 212: Escapados à vista do pelotão numa longa recta: 56 segundos. A diferença ainda deve permitir ao quarteto passar à frente na meta volante. Nova oportunidade para Danilo Hondo somar bonificações.

Km 211: Pelotão a 1m05s. Chuzhda perde alguns metros para os outros fugitivos, mas recola com facilidade.

Km 209: Multidão aplaude fugitivos na primeira passagem na meta. Pelotão comandado pela LPR a 1m15s da dianteira de corrida.

Km 207: Pelotão a 1m24s dos fugitivos. Os escapados dois quilómetros da primeira passagem na meta e a 9 da meta volante.

Km 203: 1m39s a separar o pelotão dos fugitivos, a 25 quilómetros da chegada.

Km 202: Pelotão a 1m41s dos fugitivos.

Km 197: A LPR controla à distância e não pretende absorver os fugitivos tão cedo. A diferença sobe ligeiramente para 2m08s.

CORRECÇÃO: P. Montanha 3ª Cat. Atalaia. Ordem de passagem: 1º Oleg Chuzhda, 2º Hélder Oliveira, 3º Danilo Hondo.  O ucraniano é líder da montanha.

Antes do final da etapa, os pontos de interesse são a primeira passagem pela meta (km 209) e a meta volante de Castelo Branco (km 216,7). Ao actual ritmo de aproximação aos fugitivos, não seria de estranhar que fossem homens com alguma importância para as contas finais a discutirem as bonificações da derradeira meta volante.

Km 192,6: P. Montanha 3ª Cat. Atalaia. Ordem de passagem: 1º Oleg Chuzhda, 2º Hélder Oliveira, 3º Francesco Tomei. Repetiu-se a classificação da meta anterior. O ucraniano é líder da montanha. Pelotão a 1m55s dos escapados.

Km 187. Consumou-se o fim de fuga de Amorison. Resistem Hélder Oliveira, Danilo Hondo, Oleg Chuzhda e Francesco Tomei. Pelotão a 2m51s do quarteto. A vantagem chega para passar na frente no segundo prémio de montanha, ao quilómetro 192,6. Não é tão certo que os fugitivos passem nessa condição na primeira abordagem à meta, ao quilómetro 209.

Km 185: 3m12s do quarteto para o pelotão. Amorison está em posição intermédia, mas tem o pelotão cada vez mais perto. A absorção não tarda.

Km 180: A LPR está mesmo interessada em proporcionar uma chegada ao sprint a Alessandro Petacchi, pelo que trabalha incessantemente na cabeça do pelotão, fazendo cair a diferença em relação aos quatro fugitivos. Agora são apenas 3m30s. No ano passado outra equipa italiana – Lampre – fez este papel e teve então sucesso com o triunfo de etapa de Danilo Napolitano.

Km 176,7. P. Montanha 3ª categoria. Ordem de passagem: 1º Oleg Chuzhda, 2º Hélder Oliveira, 3º Francesco Tomei

Km 174: A diferença do quarteto da frente para o pelotão é de 3m54s.

Km 173: Novo esticão de Chuzhda. Hélder Oliveira volta a responder. Os dois corredores, nitidamente na luta pela camisola da montanha, marcam-se. A situação de há pouco repetiu-se: Hondo e Tomei recolaram ao duo da frente.

Km 172: Nas primeiras rampas da subida, Oleg Chuzhda ataca e tem resposta pronta de Hélder Oliveira. Mais lentamente todos conseguem recolar, excepto Amorison.

Km 171: Pelotão a 4m4os. Os fugitivos já sobem para o prémio de montanha de terceira categoria instalado em Vila Velha de Ródão.

Com o ritmo actual de diminuição da diferença entre o pelotão e os fugitivos, ganha força a concretização dos prognósticos que apontavam para uma chegada ao sprint.

Km 167: O esforço começa a pesar nos fugitivos, apesar do bom entendimento. O pelotão aproxima-se a bom ritmo, graças ao esforço da LPR: 5m22s.

Km 165: Os fugitivos começam a ceder: 6m00s de diferença.

Km 164,5: Meta Volante Nisa. Ordem de passagem: 1º Danilo Hondo, 2º Francesco Tomei, 3º Oleg Chuzhda.

Km 160: Pelotão muito alongado.

Km 158: O esforço da LPR não rendeu frutos. A diferença sobe para 9m14s.

Km 150: A LPR Brakes-Farnese Vini começa a trabalhar para Alessandro Petacchi e comanda o pelotão. A entrada ao serviço dos homens da LPR acelerou o pelotão, estirando o grupo.

Faltam menos de 20 quilómetros para a meta volante de Nisa. Danilo Hondo é virtual camisola amarela porque tem quase nove minutos de vantagem por estar em fuga. No entanto, mesmo que fosse alcançado, já seria virtual líder, mercê dos 3 segundos amealhados na meta volante de Alpiarça.

Km 145: A falta de cooperação no pelotão faz com que a diferença continue a subir. Já vai em 8m49s. No pelotão rola-se com calma. Os corredores têm tempo para conversar, como é o caso do líder, Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), que vai trocando impressões com Bruno Castanheira (Barbot-Siper).

Km 140: Relembramos o grupo da fuga: Hélder Oliveira (Barbot-Siper), Francesco Tomei (Lampre-NGC), Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), Frédéric Amorison (Lndbouwkrediet-Colnago) e Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author). O pelotão é liderado há vários quilómetros por Carlos Nozal (Liberty Seguros). Na roda do espanhol segue a equipa da Landbouwkrediet-Colnago, cujos elementos não rendem Nozal no trabalho, já que têm um elemento no quintero que lidera a etapa.

Km 139: Não há entendimento para a perseguição e a diferença volta a subir: 8m14s. Ainda se mantém num patamar recuperável, mas para isso será necessário que as equipas dos sprinters trabalhem.

Km 130: O duo que tentou chegar-se à frente já mora no pelotão. A terceira hora de corrida já foi atingida. A etapa continua veloz. Velocidade média até ao momento: 43,3 km/h.

Km 118,5: Pelotão a 7m53s da frente de corrida. Entretanto, há dois homens que saltam do pelotão: Carlos Nozal (Liberty Seguros) e Sebastien Delfosse (Landbouwkrediet-Colnago).

Km 110. Já não há grupo intermédio. O quinteto de fugitivos mantém uma diferença a rondar os 5 minutos para o pelotão.

Km 102: Fez-se a junção dos cinco homens em cabeça de corrida. Os restantes sete fugitivos renunciam á fuga e esperam pelo pelotão, que está a 5m15s da dianteira.

Km 98: Frédéric Amorison tenta juntar-se ao quarteto da frente.

Km 96. Quatro homens abandonam a fuga e adiantam-se. São eles Hélder Oliveira, Oleg Chuzhda, Francesco Tomei e Danilo Hondo.

Km 89: A diferença dos fugitivos vai caindo devido à perseguição finalmente encetada pelo pelotão. Com a margem a diminuir, não será estranho se alguns dos homens da frente tentarem deixar trás os por enquanto companheiros de aventura. São agora 6,24s que separam o pelotão da dianteira.

Km 85,9: Atingida a segunda hora de prova. Média de 42,950 km/h.

Km 81: A diferença vai caindo paulatinamente: 7m25s.

Km 72,5: À passagem pela Chamusca, a ISD-Neri assume a cabeça do pelotão, tendo a ajuda das outras equipas que não têm homens na frente.

Km 70: Atingida a vantagem máxima até ao momento: 9m38s.

Km 66: Ninguém assume verdadeiramente a perseguição e a diferença volta a subir: 8m18s. Faltam cerca de 100 quilómetros para a próxima meta intermédia, a meta volante de Nisa.

Km 57,5: Meta Volante em Alpiarça. Ordem de passagem: 1º Danilo Hondo, 2º Olega Chuzhda, 3º Nuno Marta.

Na aproximação à meta volante de Alpiarça, é a LA-Paredes Rota dos Móveis que assume o comando do pelotão. É o preço a pagar para distacção dos seus homens que não conseguiram entrar na fuga do dia. A diferença desce ligeiramente dos 8 minutos.

Km 50: Os 12 fugitivos têm 5 quilómetros e 8m19s de vantagem sobre o pelotão.

Km 47,3: Alta velocidade na frente de corrida. Na primeira hora de prova, os escapados cumpriram 47,3 quilómetros. O pelotão roda mais devagar. Por isso está a 7m54s da frente de corrida.

Km 38: 6m39s. É sempre a somar vantagem.

Km 37: A diferença não pára de subir. É agora de 5m30s. Pelotão “parado”.

Km 35: Já não há corredores em posição intermédia, foram absorvidos por um pelotão onde ninguém quer assumir despesas de perseguição, pois quase todos têm homens na fuga. Diferença sobe para 3m52s.

Km 31: David Vaz (LA-Paredes Rota dos Móveis), Cristian Benenati (ISD-Neri) e Esteban Plaza (Andalucía-Cajasur) seguem em posição intermédia, a 1m10s da cabeça de corrida. Pelotão a minuto e meio dos doze da dianteira.

Km 29: Movimentações no pelotão. As equipas que não têm ninguém na frente de corrida tentam lançar homens para a fuga.

Das 14 equipas do pelotão, apenas quatro não estão representadas na fuga: LA-Paredes Rota dos Móveis, ISD-Neri, Xacobeo Galicia e Andalucía-Cajasur.

Constituição do grupo de fugitivos: Ricardo Mestre e Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), Isidro Nozal (Liberty Seguros), Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), Hélder Oliveira (Barbot-Siper), Nuno Marta (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Francesco Tomei (Lampre-NGC), Giairo Ermetti (LPR Brakes-Farnese Vini), Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), Frédéric Amorison (Lndbouwkrediet-Colnago), Danilo Hondo e Tomas Buchacek (PSK Whirlpool-Author).

Km 23: Doze corredores em fuga. Pelotão a 42 segundos. A ofensiva deu-se à passagem do quilómetro 18.

Km 13: Onze ciclistas estão ligeiramente adiantados.

Km 7: A corrida está muito movimentada, com constantes ataques. Um grupo de sete corredores tentou partir, mas não teve autorização do pelotão. Ainda não se formou a primeira fuga da Volta a Portugal 2009.

Km 0: Foi dada a partida real para a primeira etapa da Volta a Portugal. Estão na estrada 123 corredores.

1ª etapa, Caldas da Rainha – Castelo Branco, 228,7 km
A única tirada com mais de 200 quilómetros. O nervosismo da etapa inicial costuma fazer-se sentir a cada ano, o que, em algumas ocasiões, significa quedas com consequências importantes para os dias que se seguem. Os finalizadores terão aqui uma oportunidade para medirem forças. Os candidatos ao triunfo final têm obrigação de estarem atentos e bem colocados, prevenindo acidentes de percurso.
Altitude/Local/Km percorridos/Km a percorrer/Hora
43 Partida: Comunidade Intermunicipal do Oeste 0 228,7 11h40
26 Meta Volante: Alpiarça 57,5 171,2 13h04
311 Meta Volante: Niza 164,5 64,2 15h40
152 Ponte – Ribeira Niza: Início subida 171,8 56,9 15:51
341 PM 3ª Cat. Vila  Velha de Ródão 176,7 52 15:58
105 Ponte: Início subida 183,5 45,2 16h08
324 PM 3ª Cat. Alto da Atalaia 192,6 36,1 16:21
398 1ª passagem Meta 209,2 19,5 16h46
386 Meta Volante: Castelo Branco 216,7 12 16h57
398 Meta: Av. das Palmeiras EN 3 228,7 0 17h14

Está tudo a postos para a partida da primeira etapa da Volta a Portugal. É a mais longa tirada da competição, 228,7 quilómetros que unem Caldas da Rainha a Castelo Branco. A etapa termina à segunda passagem pela meta, estimando-se que isso aconteça pouco depois das 17h00.

Directo: Prólogo: Lisboa, 2.4 km

15h10: O primeiro corredor a entrar em acção é o checo Stanislav Kozubek (PSK Whirlpool-Author), que sai para a estrada às 15h25. Os 123 inscritos partem de minuto a minuto. O último a largar a rampa de lançamento será o vencedor da edição transacta da Volta, David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), com saída às 17h27. A ordem de saída completa do prólogo pode ser consultada aqui.

15h25: Está na estrada Stanislav Kozubek.

15h31: O primeiro homem a partir é aquele que tem o melhor tempo até ao momento: 3m03s61

15h37: Acaba de chegar Isidro Nozal (Liberty Seguros) com o tempo de 3m06s01. Kozubek continua com o melhor registo.

– Em declarações à RTP, Tiago Machado (Madeinox-Boavista) promete manter o tabu sobre a saída ou continuidade na equipa boavisteira. “A telenovela é boa para as audiências e dá mais projecção ao nosso patrocinador”, ironizou o famalicense. –

15h40: Outro homem da PSK Whirlpool tem o melhor registo: Martin Mares, com 3m02s55.

15h45: O vento sopra de frente na fase de subida, o que endurece a prova.

15h50: O melhor tempo já é de um português, Mário Costa (Barbot-Siper), com 3m02s18

15h51: Outra vez batido o melhor registo. Filipe Cardoso (Liberty Seguros) é o primeiro a baixar dos 3 minutos, cumpriu os 2,4 quilómetros em 2m56s62

15h53: Samuel Caldeira (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) consegue o segundo tempo, a 3s70 de Filipe Cardoso. A colocação de dois homens rápidos na frente prova que os sprinters têm realmente uma palavra a dizer num percurso tão curto.

– “O prólogo é muito curto, não é o ideal para mim. Vou dar o máximo, porque amanhã faço anos e a camisola amarela seria um excelente presente”, disse Héctor Guerra à reportagem da RTP, enquanto aquecia nos rolos. –

16h26: Vitaly Kondrut (ISD), terceiro da Volta ao Alentejo deste ano, foi o primeiro corredor a cair na Volta a Portugal. Na viragem, nos Restauradores, o ucraniano não controlou a máquina e bateu com o corpo no asfalto. O melhor registo continua em posse de Filipe Cardoso com 2m56s62.

16h30: Partida do vencedor do prólogo do ano passado e candidato a vencer a Volta de 2009: Rubén Plaza (LIberty Seguros) já desce a avenida.

16h33: Rubén Plaza é o segundo homem a baixar a fasquia dos três minutos, mas não bate o tempo de Filipe Cardoso. 2m57s86 para o campeão espanhol de fundo.

16h40: Enquanto Eladio Jiménez (CC Loulé-Louletano-Aquashow) sai da rampa de lançamento, o compatriota David Blanco treina nos rolos, ouvindo heavy metal dos anos 80, enquanto promete sair a “top”, apesar de o percurso não ser ao seu gosto.

16h52: Quando falta apenas a participação de 34 dos 123 inscritos, Filipe Cardoso permanece na liderança do prólogo. Gastou 2m56s62.

16h58: Está na estrada Manuel Cardoso (Liberty Seguros), um dos candidatos para a vitória no prólogo.

17h01: Manuel Cardoso faz o segundo registo: 2m57s71. O pódio provisório é totalmente dominado pela Liberty Seguros: 1º Filipe Cardoso, 2º Manuel Cardoso, 3º Rubén Plaza.

17h04: O alemão Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author) quebra a hegemonia da Liberty, mas não destrona Filipe Cardoso. Segundo melhor tempo para o germânico, com 2m57s11.

17h08: Pedro Lopes (CC Loulé-Louletano-Aquashow) iniciou a prova. Seguem-se três espanhóis com ambição: David Bernabeu (Barbot-Siper), Santiago Pérez (Madeinox-Boavista) e Constantino Zaballa (LA-Paredes Rota dos Móveis).

17h12: Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) prepara-se para partir.

17h15: Melhor tempo para Cândido Barbosa: 2m56s52. Foram dez centésimos a marcar a diferença para Filipe Cardoso.

17h18: Só falta a partida de dez corredores:
TERUEL, Eloy 17:18:00
PETACCHI, Alessandro 17:19:00
CIONI, Dario 17:20:00
CUNEGO, Damiano 17:21:00
CABREIRA, Joäo 17:22:00
PIRES, Bruno 17:23:00
MACHADO, Tiago 17:24:00
ANDRADE, Joaquin 17:25:00
GUERRA, Hector 17:26:00
BLANCO, David 17:27:00

17h19: Bom tempo para David Herrero (Xacobeo Galicia): 2m57s67, quarto melhor tempo.

17h24: O campeão nacional de contra-relógio, Tiago Machado (Madeinox-Boavista), está na estrada.

17h30: Cândido Barbosa é o primeiro líder.

One thought on “Volta a Portugal: todos os directos”

Os comentários estão fechados.