Salários em atraso no Benfica

Benfica durou dois anos no regresso | Foto: Maria João Gouveia
Benfica durou dois anos no regresso | Foto: Maria João Gouveia

Os quadros técnicos e de corredores das equipas de ciclismo da Lagos Bike – Continental Profissional e sub-23 – acumulam salários em atraso que, em alguns casos, datam de três meses, noticiou hoje o Jornal Record. O incumprimento salarial da Lagos Sport terá motivado ontem uma reunião de trabalho com plantel e staff técnico que, nas duas últimas épocas, correu com a camisola do Benfica. O processo de regularização dos salários em atraso deverá estar concluído antes do final do ano, segundo fonte citada pelo Record e presente no encontro.

A Lagos Bike, empresa do universo João Lagos formada para albergar a equipa de ciclismo do Benfica, apresentou-se como um projecto com uma data de execução de cinco anos, mas conheceu desfecho após duas temporadas, facto para o qual terá contribuído a debandada do único sponsor de peso na equipa, a Sagres Zero, em Março. Em cima da mesa, além dos salários que restam saldar encontra-se o futuro de ciclistas como Cândido Barbosa, com um contrato válido por mais uma temporada. O futuro da Lagos Bike no ciclismo, contudo, não se apresenta com continuidade possível.

Contactado pelo Jornal Ciclismo, Justino Curto, manager da formação, confirmou que a possibilidade do Benfica continuar no ciclismo, com uma equipa sub-23 – hipótese aventada nas últimas semanas – a concretizar-se será fora do universo Lagos Bikes e derivará do esforço e garantias pessoais do próprio Justino Curto e de Gonçalo Amorim, técnico da formação sub-23.


One thought on “Salários em atraso no Benfica”

  1. Há dois anos, aquando do início do projecto, em pleno Pavilhão da Luz questionei quanto custava a equipa e como pensavam pagar sem patrocinadores, a resposta do Senhor Justino Curto era a de que “pgamos tudo, não ficamos a dever nada a ninguêm”. Afinal ….

    Tx.C.

Os comentários estão fechados.