Astana domina contra-relógio por equipas e deixa Armstrong empatado com o líder

astanaA Astana venceu hoje o contra-relógio por equipas da quarta etapa da Volta a França, batendo toda a concorrência por larga margem. Com o seu desempenho e o dos seus companheiros, o estadunidense Lance Armstrong esteve quase a vestir a camisola amarela, que continua em posse de Fabian Cancellara (Saxo Bank), que tem o mesmo tempo de Armstrong. A Garmin-Slipstream optou por uma táctica arriscada e ainda não tinha percorrido metade da prova quando já só tinha cinco homens – os necessários para fechar o tempo da equipa – na frente. Ainda assim o resultado foi positivo, ficando em segundo lugar, a 18 segundos da Astana. A Saxo Bank, na qual foi o próprio Cancellara a assumir grande parte das despesas da etapa, fechou o pódio, a 40 segundos do formação vencedora.

Os 39 quilómetros com partida e chegada a Montpellier – muito sinuosos, provocando várias quedas – permitiram hierarquizar de novo a classificação geral individual. Os dois líderes da Astana ganharam terreno a todos os adversários, sendo as diferenças já de alguma monta, sobretudo numa edição do Tour em que as etapas para fazer diferenças substanciais não são assim tantas. Ao quarto dia de prova, já nenhum dos favoritos fora da Astana está a menos de um minuto da camisola amarela, estando a maioria a mais de dois minutos. Até ao momento, o mais penalizado é o russo Denis Menchov (Rabobank), que hoje caiu e que dista 3m52s da liderança. O candidato que melhor tem resistido é Christian Vande Velde (Garmin-Slipstream), que se colocou na 12ª posição, a 1m16s de Armastrong e Cancellara, graças ao excelente desempenho da sua equipa no crono desta tarde.

A jornada foi positiva para os dois corredores portugueses do pelotão. Sérgio Paulinho foi um dos vencedores da etapa, rendendo os colegas no esforço para o triunfo no contra-relógio. Com isso quase entrou no top 10, sendo agora o 11º classificado, a 1m16s da liderança. Rui Costa (Caisse D’Epargne) manteve-se sempre junto dos melhores da sua equipa – a primeira a partir – e subiu ao 42º lugar da geral, a 3m06s de Cancellara.

O director-desportivo da Astana, Johan Bruyneel, disse ontem que não convinha à equipa pegar na corrida já nesta altura, por uma questão de poupança de recursos. Nesse sentido, o facto de o desempate – 220 milésimos de segundo – ter mantido Cancellara de amarelo deve agradar ao técnico belga. Já no seio da equipa Astana, resta saber como evolui a convivência entre Armstrong e Contador, separados por 19 segundos.

As duas próximas etapas deverão ser de tréguas e de transição, até sexta-feira, dia da primeira chegada em alto, em Andorra Arcalis. Amanhã corre-se a quinta tirada, uma longa viagem de 196,5 quilómetros entre Le Cap d’Agde e Perpignan. Veremos se assistimos a mais uma chegada ao sprint e, nesse caso, se Mark Cavendish se mantém invicto. As condições naturais da região também são de molde a formar-se abanicos, pelo que todo o cuidado é pouco e a boa colocação é uma exigência para quem tenha aspirações ao triunfo final.

CLASSIFICAÇÕES
5ª Etapa: Montpellier – Montpellier, 39 km (C/R Equipas)

1ª Astana, 46m29s
2ª Garmin-Slipstream, a 18s
3ª Saxo Bank, a 40s
4ª Liquigas, a 58s
5ª Team Columbia-HTC, a 59s
6ª Katusha, a 1m23s
7ª Caisse D’Epargne, a 1m29s
8ª Cervélo Test Team, a 1m37s
9ª Ag2r La Mondiale, a 1m48s
10ª Euskaltel-Euskadi, a 2m09s

Geral Individual
1º Fabian Cancellara (Saxo Bank), 10h38m07s
2º Lance Armstrong (Astana), mt
3º Alberto Contador (Astana), a 19s
4º Andreas Klöden (Astana), a 23s
5º Levi Leipheimer (Astana), a 31s
6º Bradley Wiggins (Garmin-Slipstream), a 38s
7º Haimar Zubeldia (Astana), a 51s
8º Tony Martin (Team Columbia-HTC), a 52s
9º David Zabriskie (Garmin-Slipstream), a 1m06s
10º David Millar (Garmin-Slipstream), a 1m07s
11º Sérgio Paulinho (Astana), a 1m16s
12º Christian Vande Velde (Garmin-Slipstream), mt
15º Roman Kreuziger (Liquigas), a 1m31s
20º Andy Schleck (Saxo Bank), a 1m41s
24º Kim Kirchen (Team Columbia-HTC), a 2m16s
25º Frank Schleck (Saxo Bank), a 2m17s
27º Vladimir Karpets (Katusha), a 2m31s
29º Carlos Sastre (Cervélo Test Team), a 2m44s
35º Cadel Evans (Silence-Lotto), a 2m59s
42º Rui Costa (Caisse D’Epargne), a 3m06s
72º Denis Menchov (Rabobank), a 3m52s

11 thoughts on “Astana domina contra-relógio por equipas e deixa Armstrong empatado com o líder”

  1. E acrescento que o facto de ter estado parado 3 anos e ter agora 38 , e mesmo assim conseguir estar a discutir o Tour , mostra que é um campeão dos campeões , e só não considero o melhor ciclista de todos os tempos porque falta no seu palmares o giro e a vuelta, e as classicas da belgica

  2. O facto do Armstrong ter conseguido estar na frente da corrida qdo a Columbia partiu o pelotão , não têm nada a ver com sorte mas com inteligencia tactica , já que consegui prever a situação de corrida e agir de acordo ( e não ficou à espera de ordens do director sobre o que fazer como todos os outros incluindo contador ) .
    E este ano não teve muita sorte , já que partiu a clavicula logo a seguir a Milão-S. Remo, e o facto de nunca ter caido durante todos estes anos que venceu o Tour deve-se a sua capacidade de saber de defender de situaçoes de possivel perigo, e á sua agilidade de conduzir a bicicleta .

  3. e como diz o pedro castro lance se desistir já amanhã já nada apaga a excelente imagem ke deixou…The king is back

  4. O melhor desportista de sempre a meu ver, alguém que vence 7 tours, regressa depois de 3 anos e meio parado e como ele diz a beber cerveja e a comer fritos e bater-se com os melhores do mundo é incrível. É impensável a meu ver algum outro desportista conseguir fazer isto com o mesmo êxito, e ressalve-se este senhor tem 38 anos…quando contador nasceu já lance era campeão americano de triatlo de uma categoria jovem, imagine-se…quando contador aos 13 anos começou a correr ciclismo já Lance havia sido campeão do mundo e vencido entre outras a Fleche-Wallonne…há que pensar bem nisto…acho que podería ser engraçado um passatempo aqui no site de quem foi melhor ciclista de sempre, pois o site é de ciclismo e então não faría sentido fazer sobre o melhor desportista…uma ideia a pensar…saudações a toda a direcção deste jornal, é muito bom

  5. ASTANA NO BOM CAMINHO RUMO MAIS A UMA VITORIA SERA?ARMESTRONG A MOSTRAR A CONCORRENCIA QUE ESTA NA VOLTA A FRANÇA PARA VENCER E NAO DE FERIAS COMO MUITA GENTE PENSA QUE ELE ESTA *FORÇA PORTUGUESES VAMOS UM POUCO MAIS PARA CIMA

  6. Armstrong é inspiração para todos os ciclistas,e porque não dizer para todas as pessoas.Depois da sua luta contra o cancro,vem uma vez mais,passados 3 anos demonstrar que uma pessoa com muito trabalho,dedicação,talento e pouco de sorta(tambem é precisa!)pode chegar onde quer,ou onde nos deixarem…Para mim já não haviam duvidas,mas Lance gosta de reforçar ideias!O melhor e mais completo ciclista da era moderna(se me faço entender).Por mim,podia desistir já amanhã e não regressar mais.Já mostrou o que vale.Gostava de realçar algo que tem passado despercebido a muita gente,Lance quando entra em algo é para vencer ou pelo menos para tentar vencer,mas o principal objectivo que trouxe Lance de novo ao ciclismo foi a sua fundação e a sua luta contra o cancro.Lance neste momento corre por causas e não por records.Quanto ao Sergio não se pode exigir mais,anda como quer na melhor equipa de sempre(?).

  7. Menchov está fora e o Evans tem que ter a atitude que teve no Dauphine porque o contra relógio não o vai ajudar muito. Armstrong muito dificilmente chegará de amarelo no final, mas deve-a a vestir um dia. Go Lance

  8. O armstrong esta-se a chegar muito a frente, será que ele está bom na montanha? eis a questão

  9. Os Parabens ao Site Jornal Ciclismo por publicar as noticias de Hoje segundos após terminar 4º dia da Volta a França. Sempre em cima do acontecimento

Os comentários estão fechados.