Sastre ganha etapa, Menchov já tem menos de 20 segundos para gerir [vídeo]

A última etapa de montanha da Volta a Itália foi hoje ganha pelo espanhol Carlos Sastre (Cervélo Test Team). Beneficiando de não ser um corredor marcado, o vencedor do Tour de 2008 atacou no primeiro terço da subida para o vulcão Vesúvio e chegou isolado ao alto. Na luta pelo pódio, o italiano Danilo di Luca (LPR Brakes-Farnese Vini) reduziu para 18 a desvantagem em relação ao líder, o russo Denis Menchov (Rabobank), que manteve nesta tirada a estratégia seguida nos últimos dias: seguir apenas e só na roda de di Luca. Franco Pellizotti (Liquigas) isolou-se dos dois primeiros da geral, reduzindo a diferença face ao líder para 1m39s.

A 19ª etapa da prova era mais uma daquelas cujo interesse se concentrava na última subida. Por isso, grande parte da viagem de 164 quilómetros que partiu de Avelino foi animada por uma fuga de dois corredores que não representavam qualquer perigo para os primeiros classificados. Quem aproveitou estas condições de corrida foram Mauro Facci (Quick Step) e Yury Krisov (Ag2R La Mondiale), que saíram do pelotão ao quilómetros 16 e só foram alcançados no começo da ascensão para o Vesúvio. A junção fez-se por acção da LPR, que pretendia endurecer a corrida para que o seu líder, Danilo di Luca, tentasse mais adiante deixar Menchov para trás.

A subida não começou, todavia, como a LPR pretendia. Os seus homens de trabalho viram-se sem saberem o que fazer, perante a má colocação de di Luca. Enquanto os corredores da LPR iam olhando para trás à procura do chefe-de-fila, outros ciclistas abriram as hostilidades. Inicialmente foram homens de segunda linha que saltaram para a liderança da etapa, mas rapidamente homens do top 10 fizeram valer os seus argumentos. Primeiro Ivan Basso (Liquigas) e, mais adiante, Carlos Sastre. Os dois chegaram a estar juntos em cabeça de corrida, mas impedido de colaborar com o espanhol, para defender o pódio do colega Pellizotti, Ivan Basso não colaborava. Sastre não se fez rogado e “descarregou” o transalpino, galgando em solitário para o triunfo na etapa.

Atrás, jogava-se a camisola rosa. Danilo di Luca apresentava-se menos fogoso do que há dois dias, tentando desgastar-se menos. Ao invés de fazer todas as despesas da subida, o italiano ia dando “sapatadas” para ver se descolava Denis Menchov. Hoje contou com a ajuda de Franco Pellizotti. Quando Menchov respondia a di Luca, invariavelmente contra-atacava Pellizotti. Só que o russo soube manter a frieza e nunca se desgastou perseguindo o homem da Liquigas. Di Luca acabou por cair sempre na esparrela e foi ele quem respondeu às investidas do compatriota, defendendo o segundo lugar, mas desperdiçando energias que poderiam ser úteis para atacar a camisola rosa.

Neste jogo de parada e resposta, era Pellizotti quem levavam alguma vantagem, pois dispunha de Basso à frente para o rebocar em caso de um ataque mais forte. Foi o que sucedeu nos últimos dois quilómetros. Ivan Basso esperou pelo companheiro, ajudando-o a distanciar-se da dupla Menchov-Di Luca para conquistar a bonificação do segundo lugar, à qual juntou mais nove segundos de diferença na meta. Danilo di Luca conseguiu a terceira posição e os oito segundos de bonificação dados por esse lugar.

Chega-se às duas últimas etapas com os dois primeiros separados apenas por 18 segundos. Amanhã, na 20ª etapa, a teoria aponta para o favoritismo de Danilo di Luca. Com uma chegada num topo curto mas íngreme, o italiano é um dos grandes candidatos a erguer os braços, o que, a suceder, poderia dar-lhe a camisola rosa, pois a vitória de etapa dá 20 segundos de bonificação. Essas contas serão feitas no final dos 203 quilómetros com partida de Nápoles e chegada a Anagni. O acerto final será feito no contra-relógio de 15,3 quilómetros do último dia.

CLASSIFICAÇÕES
Etapa 19: Avelino – Monte Vesúvio, 164 km

1º Carlos Sastre (Cervélo Test Team), 4h33m23s
2º Franco Pellizotti (Liquigas), a 21s
3º Danilo di Luca (LPR Brakes-Farnese Vini), a 30s
4º Denis Menchov (Rabobank), mt
5º Ivan Basso (Liquigas), a 35s
6º Levi Leipheimer (Astana), a 53s
7º Tadej Valjavec (Ag2r La Mondiale), a 1m14s
8º Serge Pauwels (Cervélo Test Team), a 1m15s
9º José Serpa (Serramenti Pvc Diquigiovanni-Androni Giocattoli), mt
10º Stefano Garzelli (Acqua & Sapona-Caffe Mokambo), a 1m15s

Geral Individual
1º Denis Menchov (Rabobank), 81h13m55s
2º Danilo di Luca (LPR Brakes-Farnese Vini), a 18s
3º Franco Pellizotti (Liquigas), a 1m39s
4º Carlos Sastre (Cervélo Test Team), a 2m40s
5º Ivan Basso (Liquigas), a 3m33s
6º Levi Leipheimer (Astana), a 4m55s
7º Stefano Garzelli (Acqua & Sapona-Caffe Mokambo), a 8m48s
8º Michael Rogers (Team Columbia-High Road), a 9m32s
9º Tadej Valjavec (Ag2r La Mondiale), a 10m42s
10º Marzio Bruseghin (Lampre-NGC), a 11m32s