Iuri Leitão o melhor em Miranda do Douro, num dia que podia ser complicado

Iuri Leitão ganhou a segunda etapa do Grande Premio Douro Internacional
Foto Miguel Moreira. Global Imagens

A partida da 2ª etapa do Prémio Douro Internacional atrasou um pouco, com um pequeno problema, prontamente resolvido pela equipa médica que acompanha a prova, de forma correta e exemplar.

Corrigida a situação, os ciclistas abalaram de Carrazeda de Ansiães, já passava das 12.00, sem que antes Teixeira Correia, o speaker da prova, e um ponta de lança do JN, no Alentejo, cantasse os parabéns a um habitué das provas nacionais. O major Bernardo, curiosamente a radicar nas bandas de Lisboa, mas transmontano de gema. Iniciou-se a correr, no Monaci, com o saudoso Manuel Pinto, na equipa de ciclismo de Mirandela.

A etapa até começou com muito andamento, mas verdade verdadinha, algumas equipas alinharam desfalcadas nesta importante prova do calendário nacional. Talvez, se até fizermos bem as contas, a mais interessante para as equipas nacionais. Quer pelo número de dias de corrida, quer pela cobertura que JN e Jogo dão à prova, quer ainda pelo facto do organizador ter dado primazia à participação de apenas equipas nacionais, em detrimento de equipas espanholas de duvidoso valor competitivo. E o que aconteceu: três equipas amadoras não compareceram no tiro de partida, e algumas outras vieram incompletos. assim a modos, que uma equipa de futebol começar um jogo só com 10 jogadores.

A etapa andou bem, os verdadeiros ataques a Mauricio Moreira praticamente não aconteceram. Apenas na fase inicial da etapa, na subida para a Torre de Moncorvo se criou algum alvoroço, mas a tirada estava ainda no principio, Depois, foram uma série de fugas sem significado de maior e um triunfo discutido ao sprint, numa chegada algo complicada. No final tudo na mesma, com equipas e ciclistas a correrem, mal terminou, para o segundo setor do dia: o regresso aos hoteis.

Com o balanço que levamos e que nostrás à memória , a recordações de tempos idos, nesta região duriense, que quase nos esquecíamos do triunfo de Iuri leitão, que diga-se não foi obra do acaso. A sua equipa trabalhou para isso, neutralizando a ultima investida de três ciclistas a já menos de mil metros da meta , eram eles: Samuel Blanco ( Tavira). Hugo Nunes ( RP-Boavista) e Roniel Campos ( Louletano).

No final, tudo na mesma, à espera do C/R de amanhã, da poarte da manhã, em Resende.

One thought on “Iuri Leitão o melhor em Miranda do Douro, num dia que podia ser complicado”

  1. Enquanto responsável pela organização da prova, gostaria de tecer alguns comentários em relação à peça. Tomou esta direção a opção de privilegiar após um longo e castigador período de pandemia as equipas portuguesas que no ano passado tanto se queixaram da falta de visibilidade dos seus patrocinadores,optando assim por dar primazia às equipas nacionais. Percebemos que no entender do autor da peça isto foi um erro. Para nós continua a ser uma aposta ganha. Quanto ao facto de uma grande parte das equipas não comparecerem ou não estarem presentes com os atletas todos é no meu entender uma enorme falta de respeito para com dois títulos (JN e jornal OJogo) que mais temfeito pelo ciclismo nacional. Tirará a direção dos dois jornais bem como a direção da prova as devidas ilações.

Os comentários estão fechados.