Bonificações em dois dias não é solução

O Grande Prémio Abimota já vai na sua 41ª edição e surpreende sempre pela positiva e boa vontade dos seus dirigentes, mas o esquema encontrado para a decisão do Prémio não foi a mais assertiva. Numa prova sem C/R, disputada apenas em duas etapas, as bonificações acabam por estragar o seu nível competitivo .

E com bonificações apenas numa meta volante por etapa, também não é a melhor solução, pois jogando-se nas bonificações, não dá hipótese de recuperação na luta pelos segundos. Sem bonificações a luta seria mais aberta, mas com bonificações deveria, existir as três contagens habituais nas metas volantes e chegada.