Chefe de fila Numa equipa A sério, Almeida estaria a discutir o Giro

Image

João Almeida subiu do 28ª ao oitavo posto da geral individual na ultima semana, apresentando-se na parte final do Giro, como um dos homens mais fortes . A sua constância ao longo da prova foi evidente, e agora que a prova está a caminhar para o final, podemos reconfirmar o que sempre dissemos: a Deceuninck não é nem nunca foi uma equipa talhada para provas de três semanas. É uma grande equipa para provas de um dia, mas pouco séria, no sentido de ser levada a sério, para provas por etapas. Os seus ciclistas não estão preparados, física e psicologicamente para trabalharem numa prova desta dimensão.

Dan Martin é um excelente estradista, beneficiou do handicap de estar na frente da corrida, e resistiu ao aperto de João Almeida, que fez a subida mais rápida de todos os ciclistas, o que é um bom sinal. Não vamos bater no ceguinho. Numa equipa belga, naturalmente que os belgas tudo fizeram para lançar o seu prodígio, podemos concluir agora, que a prova se aproxima do final, que o grande erro da Deceuninck não foi a sua indecisão de quem seria o seu chefe de fila, mas sim submeter Remco Evenepoel a uma prova de três semanas, sem qualquer competição disputada antes.

Poderão ter os melhores preparadores e treinadores, mas demonstraram uma enorme incapacidade para gerirem a carreira de Remco Evenepoel. O problema da Deceuninck não foi terem falhado na escolha do chefe de fila, o problema foi poderem ter hipotecado o futuro risonho de Evenepoel, apontado como o sucessor de Merckx. Arrastando-se na cauda do pelotão, em cada dia que passa, o seu futuro é cada vez mais posto em causa.

Bem pelo contrário, João Almeida tem dado mostras de ser um ciclista de provas de resistência. Tirando o dia da chuva em que perdeu os cinco minutos, nunca mais deu sinais de fragilidade, sendo inclusive, dos poucos jovens que consegue confirmar um passado recente. Onde anda Hindley, a irregularidade de Vlasov, os problemas constantes de Bernal , o desaparecimento de cena de Tao, resta Pogacar e poucos mais.

Tirando os mais de dois minutos que perdeu para Bernal em Montalcino , puxando com Evenepoel a reboque, e estaria neste momento na quarta posição da geral. Mas se estivesse como leader de uma equipa, naquela etapa da chuva, em que perdeu cinco minutos, e tivesse ao seu lado alguns colegas de equipa, poderia neste momento ser o principal opositor de Bernal. Na etapa rainha encurtada para Cortina d’Ampezzo, João Almeida perdeu apenas 1:21 para o Bernal. Hoje, como o melhor homem da classificação, ganhou 1:10 ao colombiano.

2 thoughts on “Chefe de fila Numa equipa A sério, Almeida estaria a discutir o Giro”

  1. Não tinha lido ainda.
    Nem mais! Não posso estar, se não, em 100% de acordo com o texto.

  2. No ano passado o nosso menino d’oiro fez-me sonhar, com os 15 dias de rosa, mas sempre ficou a desconfiança de que os melhores voltistas do mundo nao estavam em prova. Apos a etapa de hoje, acredito que teremos finalmente um português vencedor de uma grande volta na próxima década, e quando isso acontecer, irei lembrar-me desta noticia e deste comentário. O pódio já será muito difícil mas penso que o 4º lugar ainda é possível. Bota Lume

Os comentários estão fechados.