Volta aos Açores já é a melhor prova nacional no setor dos sub-23

Terminou ontem a Volta aos Açores, que ano após ano tem vindo a melhorar consideravelmente a organização, daquela que já é considerada a melhor prova para o escalão de sub-23 , a nível nacional.

O ciclismo que, em outros tempos, já teve algumas edições da Volta à Madeira, que hoje não existe, regressou há alguns anos aos Açores e a organização melhorou, e bem, em todos os níveis , mesmo tendo em linha de conta, a possível falta de experiência , de todos os envolventes. Na verdade, quer as forças de segurança, quer todos os envolvidos na sua realização, não são confrontados muitas vezes com eventos desta grandeza. Por isso, quando a nota é positiva, é porque houve um esforço elevado dos seus promotores, para apresentarem uma prova clean, bem arranjada, bem estruturada e com uma apresentação geral que servem de exemplo.

Mas será que a prova açoriana pode melhorar ? Naturalmente que tudo pode ser melhorado. O primeiro aspeto poderá começar por aumentar o número de dias de corrida, pelo menos em mais uma ou mesmo duas etapas, rentabilizando os elevados custos de deslocação das equipas. Por outro, encontrar uma solução para, efetivamente, contar com a totalidade dos ciclistas nacionais do escalão sub-23, abrindo a possibilidade da constituição de equipas mistas , pois alguns dos mais promissores sub-23 acabaram por ficar no continente, pormenor que a FPC não quis abrir mão…

Uma ilação a tirar desta Volta aos Açores : correndo pela segunda vez esta temporada , sem a presença dos profissionais, os problemas no setor continuam os mesmos. Na verdade, numa prova com apenas 350 kms de extensão, a diferença de tempo entre o vencedor e o 20º classificado é superior a 15 minutos, o que é muito e demonstra uma desigualdade de valores .