Lefevere: ” Já estive em Lourdes e nunca vi nenhum milagre”

Patrick Lefevere após o colapso da Remco Evenepoel: "Estive em Lourdes três vezes, nunca vi um milagre"
Payrick Lefevere e Remco Evenepoel, uma cumplicidade na busca de um novo Eddy Merckx.
Foto : Belga

Numa entrevista a um jornal belga, Patrick Lefevere considera normal o resultado de Evenepoel no Giro: “Para desânimo de todos que o viam de rosa, o Remco não teve uma preparação normal. Em janeiro ainda estava a recuperar recorrendo à natação, no hotel da equipa durante um estágio , após a recaída na sua reabilitação, não começando a época em pé de igualdade com os seus adversários.”

O manager da Deceuninck considerou que o tempo será o melhor aliado do jovem ciclista belga : – “O miúdo venceu todas as corridas em que começou no ano passado. Antes de sua queda na Lombardia, nunca teve contratempos. Mas milagres não existem na vida. Já estive em Lourdes três vezes e mesmo lá nunca vi nenhum. Remco não é um robot, é um ser humano. Felizmente.

Considerado um prodígio, Remco Evenepoel, contudo, nunca tinha sido posto á prova em provas de três semanas, nem sequer em etapas de alta montanha:

“- Agora questiono-me se Evenepoel consegue lidar com a alta montanha ? Desculpe, mas este Giro realmente não é uma referência, pois não podemos tirar ilações sem uma preparação completa. Tudo se resume a tirar as conclusões certas. Há dois anos, Remco já pôs os pés no chão no Tour de Romandie e aprendeu muito com isso. A sua aprendizagem ainda não terminou . A equipa, os médicos e ele próprio agora podem ver como seu corpo reage a três semanas de corrida. ”

*Pensamos que a prestação de Remco no Giro, ainda não está terminada, pois ainda tem um objetivo em mente com o contra-relógio em Milan. Vamos torcer para que Filippo Ganna tenha que entrar ao trabalho na frente do pelotão nos próximos dias “

O principal objetivo de Remco Evenepoel será o C/R dos Jogos Olímpicos, em Tóquio, onde esperam já estar completamente recuperado do sua participação no Giro. Caso isso não suceda, então sim ” temos um problema para resolver.” – concluiu Lefevere.