Campanaerts a alegria do ciclismo

REUTERS


Depois de várias tentativas, Victor Campenaerts finalmente conseguiu a sua primeira vitória , uma grande prova de três semanas. Depois de uma longa escapada em companhia de Oscar Riesebeek , da Alpecin, Campanaerts foi mais rápido e exultou de alegria no final.

O curioso da questão é entender como uma equipa de baixos recursos, com um dos orçamentos mais baixos do World Tour, limitada também na qualidade dos seus ciclistas, consegue neste momento ser a firmação mais vitoriosa do Giro. A Qhubeka já vai em três vitórias de etapa.

É uma vitória fantástica”, afirmou repleto de felicidade Victor Campenaerts. “Com duas vitórias de etapas neste Giro já no bolso, o clima já estava super bom na equipa. Qualquer coisa extra era um bónus. Esta manhã, à mesa do pequeno-almoço, perguntámos- nos como poderíamos tornar este Giro ainda melhor. Como não temos trepadores para as próximas etapas de montanha, decidimos apostar tudo hoje. Infelizmente, houve aquele acidente terrível, espero que todos estejam bem. Mas após o reinício tentamos tudo por tudo e estávamos com três homens da Team Qhubeka ASSOS. No final venci, demos tudo o que tínhamos e fizemos uma corrida fantástica .”

Campanaerts foi ainda há pouco, um excelente c/relogista. Foi o primeiro ciclista, ( 2019 – 55,089 ) a ultrapassar a marca dos 55 kms numa hora, batendo na altura o record mundial que estava na posse de Bradley Wiggins. Daí para cá, porém, as suas capacidades no C/R diminuíram imenso, nunca sendo capaz de competir com a nova vaga encabeçada por Ganna, Van Aert e Evenepoel . É um lírico do ciclismo, com os seus longos passeios em gravel, com as suas loucas imersões em águas geladas no inverno, e pelos vistos pode vir a ser um dos novos baroudeurs do ciclismo. A sua alegria contagiante e o seu inconfundível guiador fazem dele uma imagem de marca.