Giro: Fortunato vale uma fortuna para a Eolo

RESULTADO GIRO ESTÁGIO 14. Remco Evenepoel perde um minuto e meio em seções íngremes do Monte Zoncolan, vitória de estágio para o surpreendente atacante Lorenzo Fortunato
Um sorriso de felicidade premiou hoje Fortunato… e Contador.

Simon Yates andou escondido, segundo ele, não se sentiu bem na primeira semana. Passou despercebido e apareceu, afinal quando tinha de aparecer e, hoje, foi o principal opositor de Egan Bernal, que parece não ter rival à sua altura, num Giro que aos poucos vai perdendo algum interesse competitivo, tal é a força e o poder do ciclista colombiano.

A chegada ao monte Zoncolan é um dos pontos altos do Giro, qualquer ciclista que aqui vença será um ponto alto da sua carreira. Hoje, a jovem equipa de Alberto Contador, a Eolo, teve o seu dia de glória, que só um ciclista com fé, e com uma grande motivação consegue vencer. Lorenzo Fortunato tem 25 anos e na sua ainda relativa curta carreira, nunca tinha vencido nada. passou por algumas equipas continentais profissionais italianas, Bardiani e Vini Zabu, mas hoje acreditou que podia ganhar, mesmo com nomes como George Bennett e Tratnik a seu lado. Sofreu como nunca, soube esperar pela sua altura, marimbou-se para o acelerar do passo, no início da montanha final, por parte dos seus adversários e ganhou. Um milagre, talvez, mas será que há milagres ?

RESULTADO GIRO ESTÁGIO 14. Remco Evenepoel perde um minuto e meio em seções íngremes do Monte Zoncolan, vitória de estágio para o surpreendente atacante Lorenzo Fortunato
Simon Yates foi o único, até agora, a afrontar diretamente Bernal.

Cá atrás. Bernal respondeu a Simon Yates, afinal, nestes momentos sérios, nomes como Hugh Carthy e Vlasov, que tantas vezes mandaram os seus homens para a frente do pelotão, desapareceram de cena. Num abrir e fechar de olhos Yates passou por eles e a experiência de Caruso mantém-no num lugar de pódio. Ainda falta muito Giro, mas a inconstância de muitos nomes fazem que pensar.

Quem esteve bem foram os portugueses. João Almeida não tivesse o azar de ter perdido os cinco minutos na maldita etapa da chuva e estaria, certamente num lugar entre os três primeiros. Depois mais liberto, Nelson Oliveira tem estado muito ativo integrando fugas. Ficamos sem saber qual a necessidade de um ciclista vulgar, como Soler, necessita de estourar com ciclistas com o bairradino. Depois Ruben Guerreiro, também ele muitas vezes a trabalhar para um inconstante Carthy, taticamente um desastre. ficamos sem saber se a culpa é dele ou da sua direção de equipa.

O Giro não está decidido, mas quase, Não surja nenhuma dor de costas a Bernal e a distância para o segundo será, cada vez maior.

Diferenças de tempo dos primeiros vinte da geral para Bernal:

  1. Egan Bernal (INEOS Grenadiers) – camisa rosa
  2. Simon Yates (Team BikeExchange) – a 1m33s
  3. Damiano Caruso (Bahrain Victorious) – a 1m51s
  4. Aleksandr Vlasov (Astana-Premier Tech) – em 1m57s
  5. Hugh Carthy (EF Education-Nippo) – a 2m11s
  6. Emanuel Buchmann (BORA-hansgrohe) – a 2m36s
  7. Giulio Ciccone (Trek-Segafredo) – a 3m02s
  8. Remco Evenepoel (Deceuninck-Quick-Step) – a 3m52s
  9. Daniel Felipe Martinez (INEOS Grenadiers) – a 3m54s
  10. Romain Bardet (Team DSM) – a 4m31s
  11. Tobias Foss (Jumbo-Visma) – a 5m37s
  12. Attila Valter (Groupama-FDJ) – a 7m49s
  13. Dan Martin (Israel Start-Up Nation) – a 7m50s
  14. João Almeida (Deceuninck-Quick-Step) – a 8m32s
  15. Ruben Guerreiro (EF Education-Nippo) – a 9m19s
  16. Davide Formolo (Emirados Árabes Unidos) – a 9m52s
  17. Nick Schultz (Team BikeExchange) – a 10m15s
  18. George Bennett (Jumbo-Visma) – a 11m48
  19. 19 Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo) – a 14m25s
  20. Rein Taaramae (Intermarché-Wanty-) – a 16m04s