Prémio Jogo: Domínio coletivo da W52-FCP , a chave do triunfo de José Fernandes

.

Joni Brandão venceu a etapa final do Prémio O Jogo, concluindo uma fuga de cinco elementos que se destacou na descida da primeira subida de montanha da etapa, em Covide, depois de uma queda na descida para S. Bento da Porta Aberta, no Gerêz. A queda desmembrou já o pequeno grupo de ciclistas que seguia na vanguarda, cerca de 15 unidades, envolvendo Joaquim Silva, Emanuel Duarte e André Domingues.

Na frente da corrida ficariam Joni Brandão, José Fernandes e Ricardo Vilela ( W52-FCP), Luis Mendonça ( Efapel), Henrique Casimiro ( Kelly), Marque ( Atum General/Tavira ) e Cesar Paredes ( Louletano). Com três homens na liderança, e temendo a chegada em Vieira do Minho, muito técnica e algo imprópria, o FC Porto passou para o ataque, aproveitando a fragilidade de Luis Mendonça, que não tinha a seu lado nenhum companheiro de equipa. Brandão atacou na parte final das CVerdeirinhas e depois seguiu isolado para Vieira do Minho, ganhou apenas 12 segundos na chegada mantendo-se os dois primeiros da geral nas mesmas posições.

Atrás do primeiro grupo, um outro pequeno grupo era comandado por Joaquim Silva, Gonçalo Carvalho, Luis Gomes, João Rodrigues, que nunca conseguiram chegar ao grupo da vanguarda. obrigando Joaquim Silva a baixar para o oitavo posto da geral.

No final, um triunfo mais da força coletiva que individual. Na verdade, Luis Mendonça embora perdendo, foi um problema muito difícil de solucionar para o FC Porto. José Fernandes conseguiu aguentar-se, deu uma imagem de alguma fragilidade na segunda etapa, quando perdeu alguns segundos para Mendonça, na chegada a S.Pedro do Sul, mas hoje num percurso mais rolante justificou porque razão foi o mais forte na primeira etapa.

Uma palavra para o jovem Eulálio Afonso, do Antarte-Feirense, 12º na etapa um posto nos 15 primeiros da geral e vencedor do Prémio da Juventude… num Prémio com muitas classificações especiais.