Organização do Giro fortemente criticada

A organização do Giro foi hoje fortemente criticada pelo grau de perigosidade do final da etapa, com uma série de rotundas e estradas estreitas , que estiveram na origem de uma serie de quedas, nos últimos dez kms da tirada.

Grave caída y adiós de Landa

Mikel Landa foi o nome mais sonante, que foi obrigado a abandonar o Giro, com suspeitas de fraturas da clavícula e pulso. Landa seguia na roda de Joe Dombrowski  , quando este embateu com um bandeira amarela. A queda dos dois ciclistas foi imediata.

Por outros motivos, Sivakov também acabou por abandonar, depois de embater contra um árvore, suspeitando-se de fratura de clavícula.

Enquanto a Bahrain ficou privada do seu chefe de fila, cabendo agora a responsabilidade de chefia a Pello Bilbao, considerado a segunda opção, já a Ineos perdeu a segunda escolha, restando agora toda a responsbilidade em Bernal, que tem tido alguns problemas com uma lesão na região dorsal, que nem sempre tem corrido bem.

Uma outra queda envolveu Kobe Goossens e o francês François Bidard, com o primeiro a sofrer fratura de clavícula.