Bennett mais verde

A Terceira etapa da Volta ao Algarve é novamente uma presa para Sam Bennett e Deceuninck - Quick Step

A 22ª vitória de Deceuninck – Quick-Step aconteceu hoje. Sam Bennett venceu folgadamente a terceira etapa da Volta ao Algarve. O irlandês fez a etapa de Faro a Tavira à frente de Danny Van Poppel e… do seu companheiro de equipa Michael Morkov. Ethan Hayter continua no comando.

Tradicional chegada a Tavira, terra de ciclismo como poucas no país, desta feita, já com a moldura humana que o esforço dos ciclistas merece.
Já vão longe os tempos em que Lance Armstrong venceu em Tavira, num contra relógio. Nos últimos anos o reino de Tavira tem sido dos sprinters. Sendo assim, Sam Bennett anunciava-se como o principal candidato à vitória nesta etapa. E não defraudou, numa vitória bem conduzida pelo seu lançador.

Num dia quente, uma etapa longa, de mais de duzentos quilómetros, com cerca de 47 km percorridos na primeira hora, tornada interessante pela fuga do dia, com a presença de duas equipas nacionais, a Kelly-Oliveirense e a Efapel. Alcançou alguma vantagem, sempre consentida pelo pelotão, numa aventura que durou 175 km.

No momento da absorção, já próximo de Tavira, algumas tentativas de saída, naturalmente difíceis de concretizar quando o interesse das equipas dos sprinters é elevado.

Uma aproximação à chegada rápida, muito rápida, sempre com bastante tensão quanto à colocação o que aumenta o perigo de quedas, as quais, marcaram infelizmente presença. Uma última curva apertada, impondo alguma perigosidade, e uma reta da meta enganadora, sempre ligeiramente ascendente. Iuri Leitão (Tavfer-Mortágua) foi de novo o melhor representante português, das equipas nacionais, indicando que o quinto lugar na primeira etapa não foi obra do acaso.

As principais novidades desportivas estarão reservadas para amanhã, dia do contra relógio individual, que definirá ainda mais a classificação geral. Hoje, Sam Bennett voltou a ser rei do sprint, reforçando a camisola verde, numa chegada prevista para os sprinters, com mais um grande nome da especialidade a somar vitória em Tavira. Novidade maior, hoje, talvez só a presença de público junto ao risco de meta. Tavira e o ciclismo merecem.
Luís Gonçalves