Romandia: Cavagna ganhou o C/R e Geraint Thomas a geral

Rémi Cavagna dá a Deceuninck - Quick-Step a vitória na 21ª temporada, mas: "O curso não era realmente para mim"

Rémy Cavagna, de 25 anos, foi o venecdor do exigente contra-relógio de 16,2 quilômetros nas ruas de Friburgo, com que terminou o Tour de Romandia. O campeão francês de contra-relógio superou especialistas como Filippo Ganna, Stefan Küng e Stefan Bissegger, e também teve a sorte de os melhores da classificação geral terem terminado parcialmente a sua etapa em estradas molhadas.

O percurso não me agradou muito, com algumas partes técnicas e íngremes”, disse Cavagna. “Fiquei muito motivado e queria terminar a semana da melhor maneira. É a minha primeira vitória da temporada .Este resultado é um impulso considerável de confiança para o Giro d`Italia. Tenho alguns objetivos pessoais , mas também quero ajudar a equipa ”.

Geraint Thomas sabe mais uma vez o que é vencer: "Sim, é um grande alívio"

Esteve sempre perto de ganhar muitas vezes, mas Geraint Thomas não conseguia vencer, desde julho de 2018 com uma vitória em duas etapas e a vitória geral no Tour de France. Mas o líder do Team Ineos, de 35 anos, no final deste mês deu os toques finais com a vitória geral no Tour de Romandie. O seu companheiro de equipa Richie Porte e Fausto Masnada (Deceuninck – Quick Step) completaram o pódio.

“Afinal ainda posso ganhar”, disse no final visivelmente satisfeito Geraint Thomas. “ É um grande alívio. Desde minha vitória geral no Tour, estive perto algumas vezes, mas vencer não foi possível. Segundo no Tour de 2019, segundo em Tirreno, terceiro na Catalunha e quarto no Campeonato Mundial de Contra-relógio, foram os meus melhores resultados

Thomas sabia que tinha uma grande chance de vencer a geral individual. No contra-relógio final, partiu apenas onze segundos atrás de Michael Woods, que não é um especialista. “O plano esta manhã era claro: eu ou Richie (Porte, ed.) Tínhamos que levar a vitória geral. O resultado final não poderia ser melhor. ”

Vou curtir com a minha família por uma semana porque já há muito que não os vejo por perto. Depois vou para Tenerife para um treino de altitude. O Dauphiné será minha última corrida antes do Tour de France. ”