O exemplo Roglic

Toda a miséria foi rapidamente esquecida: Roglic encontrou conforto com o filho Lev após sua chegada.
Foto:  Joeri De Knop

O ciclismo é sem dúvida maravilhoso, porem as quedas são o pior para o ciclista, e na alta competição muitas vezes inevitáveis, e quando se corre a alta velocidade ao mínimo descuido vai-se ao tapete, o qual pode provocar graves danos e muitas vezes derrotas que não se esperam.

Hoje, Primoz Roglic teve duas quedas, continuou, na primeira a equipa colocou na frente da corrida tentando segurar a camisola amarela. O inesperado aconteceu novamente e vai outra vez ao tapete, mas não foi suficiente para o desmotivar, e continuou a pedalar , desta vez sem ajuda, tentendo segurar a amarela, porem o seu esforço foi em vão, não conseguindo no final melhor de que um honroso 15º lugar, e digo honroso, já que duas quedas, roupa toda rota, escoriações no quadril esquerdo, e um ombro deslocado, não desistiu e lutou sempre até ao fim, terminou a etapa a 3min08s, na classificação geral ficou a 2min16s, e encerrou o Paris-Nice de 2021 em 15º.

Isto é o exemplo do ciclista, da forma como luta até ao fim, não abandonando o barco, lutando pelos seus objetivos e da equipa, mas quando o azar lhe bate à porta, consegue aguentar superar tudo e todos, e mesmo muito maltratado, o importante é não desistir, por isso o ciclismo merece muito respeito, devendo valorizar mais e melhor os ciclistas.

José Morais

One thought on “O exemplo Roglic”

  1. Só para reforçar que ainda foi cumprimentar o vencedor no final da etapa, dando provas de um grande desportivismo.

Os comentários estão fechados.