Strade Bianchi: dia grande para recordar

Dia de Strade Bianche, prova feminina e masculina. Dia cheio de ciclismo ao mais alto nível. Dia de emoções, de algum dramatismo, de vencedores e derrotados. Elenco de luxo em ambas as provas composto pelas e pelos melhores velocistas e classicistas.

Na prova feminina, cheia de incertezas e sempre aberta como é usual no ciclismo feminino, assistimos a uma disputada prova em que a equipa mais bem posicionada (SD Worx com 4 ciclistas no grupo final) movimentou a corrida no momento certo e acabou por isolar a antiga campeã do mundo de estrada Chantal van den Broek-Blaak com a campeã italiana Elisa Longo Borghini da Trek-Segafredo. Na subida final – Via Santa Caterina – a experiência de Chantal e a sua capacidade física levou esta ciclista a uma merecida vitória.

Na prova masculina, mais controlada e mais tática, fomos assistindo a um progressivo e empolgante “descarregar” efetuado pelos ciclistas que se foram posicionando como os mais fortes. Mathieu van der Poel não deu hipóteses a ninguém e a demonstração de forças e watts na La Tolfe e em particular na Via Santa Catarina causou ondas de choque no mundo velocipédico. Com um pódio ao mais alto nível, que para além de Van der Poel, teve Alaphilippe e Bernal, e de seguida Wout Van Art em 4º e com Pagacar em 7º, a Strada Bianche pode não ser um monumento, mas foi monumental!

Enquanto em Portugal a toalha continua no chão, lá fora o ciclismo vai mostrando ao mundo corridas empolgantes e emocionantes. Obrigado.

Paulo Vaz

One thought on “Strade Bianchi: dia grande para recordar”

  1. Um monstro do ciclismo!

    sprint final: 20s a 1000w e 186bpm

    Nos últimos 60km teve média 439w em 1:30

    Fortíssimo!!!

    Abraço

Os comentários estão fechados.