Cândido Barbosa mais forte no duelo de cunhados

Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) venceu hoje a terceira etapa do GP Paredes Rota dos Móveis, tornando mais vivo o amarelo da camisola da liderança. O cunhado de Cândido, Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), revelou-se o mais inconformado dos favoritos, tendo saltado do pelotão mais do que uma vez, a última das quais já na derradeira subida para o prémio de montanha de segunda categoria. O bom momento da equipa tavirense permitiu anular os intentos do homem da Liberty, dando a Cândido Barbosa mais uma oportunidade para vencer. O “Foguete de Rebordosa”  não defraudou o esforço dos companheiros e bateu o espanhol Ángel Vicioso (Andalucía-Cajasur) no apertado sprint para a vitória, na íngreme rampa para a meta.

A jornada de hoje – 144,5 quilómetros entre Valongo e Rebordosa – era a primeira das duas mais duras e decisivas da competição. No primeiro teste, Cândido Barbosa e a sua equipa responderam à altura, reforçaram o favoritismo. Correndo de forma cerebral, como confirmou o camisola amarela em declarações aos jornalistas, a formação tavirense deixou alguns adversários sair do pelotão, controlando as fugas à distância e em colectivo, obrigando os rivais a desgastarem-se em escapadas condenadas ao fracasso. Este plano de Vidal Fitas resultou em pleno, levando o seu pupilo com uma confortável vantagem de 26 segundos para a última etapa.

Além da luta pelo triunfo final, a terceira etapa do GP Rota dos Móveis foi animada pela disputa da camisola da montanha. Desde a primeira das cinco subidas de segunda categoria, dois homens destacaram-se nesta batalha particular. Miguel Candil (Fercase-Paredes Rota dos Móveis) lançou-se em fuga para defender a liderança da classificação dos trepadores e Gustavo Rodríguez (Artesania de Galicia (CC Lugo) lançou-se à aventura para tentar desalojar o compatriota do topo da classificação da montanha. Rodríguez foi o mais forte e vestiu a camisola dos trepadores, dispondo de 6 pontos de vantagem sobre Candil.

Apesar de ter cimentado a candidatura ao triunfo final, Cândido Barbosa ainda terá pela frente uma etapa de elevada dificuldade, aquela que, desde o primeiro dia, o líder aponta como a menos favorável às suas características. Os 128,8 quilómetros vão “aquecer” a partir do quilómetro 92,3, quando se inicia a primeira das quatro escaladas para o Alto de Cruzeiro, em Lordelo, onde está instalada a meta, na quarta passagem dos corredores.

CLASSIFICAÇÕES
3ª etapa: Valongo – Rebordosa, 144.5 km
Média de 38.292 km/h
1º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Tavira), 3h46m25s
2º Angel Vicioso (Andalucia-Caja Sur), mt
3º David Herrero (Xacobeo-Galicia), a 2s
4º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), mt
5º Edgar Pinto (Liberty Seguros), a 5s
6º André Cardoso (Palmeiras Resort-Tavira), mt
7º Santiago Perez (Madeinox-Boavista), mt
8º Célio Sousa (Madeinox-Boavista), a 7s
9º Danail Petrov  (Madeinox-Boavista), a 10s
10º Constantino Zaballa (Fercase-Rota dos Móveis), mt
11º David Bernabeu (Barbot-Siper), a 19s
12º Virgilio Santos (Fercase-Rota dos Móveis), a 20s
13º Aketza Peña (Cartaxo-Capital do Vinho), a 24s
14º Ricardo Mestre (Palmeiras Resort-Tavira), a 27s
15º Gustavo Rodriguez (Artesania-Galicia), mt

Geral individual
1º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Tavira), 11h47m13s
2º Angel Vicioso (Andalucia-Caja Sur), a 26s
3º David Herrero (Xacobeo-Galicia), a 27s
4º Edgar Pinto (Liberty Seguros), a 29s
5º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), a 32s
6º Santiago Perez (Madeinox-Boavista), a 37s
7º André Cardoso (Palmeiras Resort-Tavira), mt
8º Célio Sousa (Madeinox-Boavista), a 39s
9º Constantino Zaballa (Fercase-Rota dos Móveis), a 42s
10º  Danail Petrov (Madeinox-Boavista), mt
11º David Bernabeu (Barbot-Siper), a 51s
12º Virgilio Santos (Fercase-Rota dos Moveis), a 52s
13º Aketza Peña (Cartaxo-Capital do Vinho), a 56s
14º Gustavo Rodriguez (Artesania-Galicia), mt
15º Ricardo Mestre (Palmeiras Resort-Tavira), a 59s

Geral equipas
1º Madeinox-Boavista, 35h23m37s
2º Palmeiras Resort-Tavira, a 10s
3º Liberty Seguros, a 28s
4º Fercase-Rota dos Móveis, a 37s
5º Boyaca, a 1m30s

Geral pontos
1º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Tavira), 76 pontos
2º Edgar Pinto (Liberty Seguros), 43
3º David Herrero (Xacobeo-Galicia), 42
4º Manuel Ortega (Andalucia-Caja Sur), 26
5º Francisco Pacheco (Contentpolis-Murcia), 26

Geral montanha
1º Gustavo Rodriguez (Artesania-Galicia), 48 pontos
2º Miguel Candil (Fercase-Rota dos Móveis), 42
3º David Bernabeu (Barbot-Siper), 12
4º Hugo Sancho (Fercase-Rota dos Móveis), 12
5º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), 11

Geral Juventude
1º César Fonte (Cartaxo Capital do Vinho-CC JM Nicolau)
2º Rui Vinhas (Aluvia/Valongo)
3º Javier Etxarri (Contentpolis-Ampo)
4º Carlos Baltazar (Aluvia/Valongo)
5º Esteban Plaza (Andalucía-Cajasur)


5 thoughts on “Cândido Barbosa mais forte no duelo de cunhados”

  1. Cândido não te esqueças da subida que fizeste à 9 anos na Volta a Portugal de 2000.
    Força não nos desiludas, tens capacidades pra isso e muito mais, vais partilos todos, acredito nisso.

    FORÇA CÂNDIDO

  2. grande dia de ciclismo…Candido Barbosa em grande…Nuno Ribeiro fenomenal…a liberty se quer ganhar a volta a Portugal que deixe de apostar em estrangeiros porque têm o melhor…

    VIVA O CICLISMO

  3. Cartaxo em destaque, Cesar Fonte a confirmar uma excelente época até agora. Aketza Pena, força a qualidade vem sempre ao de cima.

    Força Cartaxo.

Os comentários estão fechados.