Ciclistas a menos a nível internacional e a mais nas provas nacionais

De forma a poder dar mais chances a um número alargado de equipas, no curto calendário internacional previsto de agosto a finais de outubro / princípios de novembro alguns nomes proeminentes da modalidade, defendem a possibilidade do número de ciclistas por equipa seja reduzido para seis, pois desta forma estarão presentes um maior número de equipas na mesma competição.

A ideia é boa, em especial para as equipas Continentais Profissionais, que poderão ter a possibilidade de participar num número mais alargado de competições.

Mas se esta ideia até poderá ser positiva para o ciclismo internacional, já o mesmo não será para o calendário nacional, cujas equipas e em especial os ciclistas têm um calendário com evidente falta de provas . Sendo, em princípio a primeira prova prevista do nosso calendário, o Prémio de Torres Vedras prevê apenas a participação máxima de seis ciclistas . Considerada internacional, a prova do Oeste deverá ter poucas ou nenhumas equipas estrangeiras, devendo-se já desenhar-se um novo figurino da competição, caso esta se venha a realizar.