Só para animar a malta

Desta vez vou-me armar em porta voz de milhares de aficionados pelo ciclismo, desde os praticantes amadores da modalidade – não falo nos profissionais, porque não acredito que algum me esteja a ler neste momento, porque deve ter mais do que fazer – dos agentes que estão diretamente ligados à modalidade, através da FPC e das Associações que devem obviamente seguir tudo que meta bicicletas e claro, do simples espetador que adora ver uma boa clássica ou um etapa de um Grande Tour, sentadinho no sofá, e adormecer mais ou menos a 70 kms da chegada e acordar a faltar 20 Kms. Confesso que é o meu caso, mas depois do final, faço rewind para ver os 50 kms da hora da sonequinha.

Nós, os milhares de aficionados pelo ciclismo, queremos fazer uma reclamação ao raio do Covid-19, ou SARS-CoV-2 ou ao raio que o parta, que num ano que até tem um numero simpático – 2020 – nos tem trazido muitos dissabores e drama que chegue. Estamos todos deprimidos com a falta do ciclismo, do cheiro a suor dos equipamentos, do barulho da bomba a encher os pneus, o cheiro do lubrificante a ser meticulosamente inserido na corrente, dos bidões que apodreceram e que são substituídos por novinhos em folha e os sais que já perderam a validade e que é preciso ir comprar um bidãozinho e sobretudo do convívio dos velhos amigos da estrada.

Quando finalmente pudermos pegar nas bikes, os equipamentos ficaram apertados… com os 5 quilinhos a mais, as pernas estão perras como as dobradiças ressecadas das portas de madeira e já não vamos poder fazer medias de 40 kms com uns quantos de acumulado.

Caríssimos, quando começarem a pegar nas vossas bicicletas, com revisão bem feita, não vão os cabos dos travões estarem calcinados, e outras coisas que tais, não pensem em fazer mais do que vinte quilómetrinhos. É um risco forçarem o que está perro… É só um conselho porque cada um sabe de si, não se zanguem comigo.

Para já e para aqueles dados aos computadores e redes sociais e digitais que tais, Facebook, Twitter e os Zwift ?s todos que por aí andam, não faltam provas virtuais todos os fins-de-semana. A equipa Ineos promoveu um evento no passado dia 12 e foi muito interessante ver o Rohan Dennis dar coça ao Bernal, ao Thomas, ao Amador e ao Froome. Este até surpreendeu porque acabou em 6o.

Já se fala em Tour da Suiça e do Giro de Italia, provas virtuais, com Vivianis e Roglics e muitos mais. Vai dar para matar saudades porque aquilo tem piada e vemos a cara dos verdadeiros ciclistas em pleno esforço, alguns a soarem a rodos, todos partidinhos como o Froome.

É o que se pode arranjar de momento. E pronto, foram só umas palavrinhas para vos animar.

Bom fim de semana a todos e cuidem-se. Ele anda por aí…
Jorge Garcia