UCI aguarda pareceres técnicos sobre passaporte biológico

A União Ciclista Internacional (UCI) deverá ter em sua posse, ainda durante o presente mês, as recomendações dos especialistas encarregados de analisar os resultados do chamado passaporte biológico. Ou seja, a UCI quer avançar com sanções aos corredores a quem sejam detectados valores considerados anómalos para os parâmetros pessoais de cada ciclista, mas só o irá fazer com base num suporte técnico especializado, de modo a que as acções suspensivas que possa vir a adoptar tenham apoio em caso de recurso desportivo e/ou jurídico.

A informação foi hoje avançada pelo diário francês L’Equipe, que revela ainda que a UCI tem em mãos alguns casos suspeitos, embora se recuse a precisar o seu número. O passaporte biológico permite aplicar suspensões por dopagem a ciclistas que nunca acusaram qualquer substância proibida, mas que tenham variações de valores sanguíneos que os especialistas considerem impossíveis de obter sem manipulação. A base de dados da UCI para efeitos de passaporte biológico contém dados dos corredores pertencentes aos quadros das equipas ProTour e dos membros dos colectivos Continental Profissional com “wild card”.