Luis Pinto “treinou” e ganhou na Maratona de Estremoz

Luís Pinto, actual campeão nacional de Cross-Country (XCO), regressou temporariamente às maratonas para conseguir a vitória na primeira prova da Taça de Portugal, uma corrida hoje disputada na localidade alentajana de Estremoz. O betetista vianense da Lacoviana/Edaetech/Bicicletas Lavarinhas pedalou a uma média superior a 26.2 km/h e deixou para trás toda a concorrência nos primeiros quilómetros dos 95 que compunham a competição, cujo percurso cruzava a Serra d’Ossa e apresentava um desnível acumulado próximo dos 2800 metros.

O actual campeão nacional Elite de XCO, que este mês compete na terceira prova da Taça de Portugal daquela vertente, e, mais tarde, juntamente com outros betetistas viaja para a Alemanha, a fim de tomar presença na segunda prova da Taça do Mundo (Offenburg, 25.04, Selecção Nacional) cumpriu o percurso em 3h37m13s, antecipando-se em mais uma dezena de minutos a José Carvalho Silva (Bttrilhos) e a Hugo Sancho (Mortágua/DR Seguros).
A prova alentejana, que reuniu quase três centenas de betetistas, foi assinalada pela numerosa presença de atletas de estrada, caso de Hugo Sancho e Bruno Sancho ou, por exemplo, do ex-profissional José Rodrigues, todos com resultados nos primeiros lugares. À margem do asfalto, pelo menos para já, posicionaram-se Marco Sousa (KTM/Turquel/Benebikes) e Rui Lavarinhas (Lacoviana/Edaetech/Bicicletas Lavarinhas), os dois rivais que protagonizaram a disputa da Taça de Portugal de XCM em 2008. Marco Sousa terminou a prova na quarta posição, ao passo que o campeão nacional Lavarinhas não foi além da sexta posição.

“Estou duplamente feliz dado que, além da vitória pessoal, conseguimos a vitória por equipas, um dos nossos objectivos. Estou numa altura da época bastante importante em que enfrento várias competições, a Taça de Portugal de XCO e no final de Abril a participação na Taça do Mundo de XCO em Offenburg”, começou por dizer Luis Pinto, citado no site oficial da UVP-FPC. “Está fora de questão discutir a Taça de Portugal de XCM, é impossível conciliar as vertentes ao longo do ano, mas deverei participar em mais algumas maratonas tendo em vista a soma de pontos para a presença no Campeonato do Mundo de Maratonas em Graz, um dos objectivos estabelecidos pelo seleccionador nacional” acrescentou o betetista minhoto.

Por sua vez, nas mulheres, a melhor foi Celina Carpinteiro (BTT Loulé/Loulé Concelho) que não acusou a participação na prova de abertura feminina de estrada em Rio de Mouro, disputada na véspera, e venceu por escassa margem Sandra Araújo (BTTrilhos).

CLASSIFICAÇÕES
Masculinos
95 km – média de 26,241 km/h
1º Luis Pinto (Lacoviana/Edaetech/Bicicletas Lavarinhas), 3h37m13s
2º José António Carvalho Silva (BTTrilhos), 3h51m45s
3º Hugo Sancho (Mortágua/DR Seguros), 3h52m34s
4º Marco Sousa (KTM/Turquel/Benebike), 3h54m30s
5º Bruno Sancho (Mortágua/DR Seguros), 3h56m56s
6º Rui Lavarinhas (Lacoviana/Edaetech/Bicicletas Lavarinhas), 3h59m19s
7º Ruben Almeida (Lacoviana/Edaetech/Bicicletas Lavarinhas), mt
8º Paulo Vila (Team Bike Zone), 4h01m31s
9º José Rodrigues (Crc-Famalicão), 4h06m44s
10º Davide Marques (GD Volta da Pedra), 4h07m08s

Femininos
95 km – média de 19,751 km/h
1ª Celina Carpinteiro (BTT Loulé/Loulé Concelho), 4h48m36s
2ª Sandra Araújo (BTTrilhos), 4h48m48s
3ª Ana Vilaça (BTT Loulé/Loulé Concelho), 5h19m30s
4ª Felipa Fernandes (GD Volta da Pedra), 5h23m49s
5ª Mónica Santos (Maxigym-Leiria), 5h35m06s

Equipas
1ª Lacoviana/Edaetech/Bicicletas Lavarinhas
2ª Mortágua/DR Seguros
3ª BTT Loulé/Loulé Concelho
4ª GD Volta da Pedra
5º Team Bike Zone/Amarante

Foto: Montycirclemix

13 thoughts on “Luis Pinto “treinou” e ganhou na Maratona de Estremoz”

  1. Força Luís , és um verdadeiro campeao

    quem me dera ser um dia como tu e ter esse andamento

  2. Invejosos… é o que é!!! Frustrados! não conseguem viver com o sucesso dos outros! Força campeão! vais longe!

  3. Não entendo os comentários de um tal de Marinheiro…ou será que o pior cego é aquele que não quer ver? …como a evidencia não deixou margem para discussão sob o ponto de vista do grande resultado,o mau feitio fruto de algum provável complexo,faz com que se discuta a personalidade do atleta que não deixa de ser exemplar ou mesmo uma referencia para quem conhece o Luis quer como profissional( advogado) quer como desportista.

  4. Bom ou mau um atleta com objectivos internacionais no xco ir a uma maratona? Se o atleta fosse à maratona para andar em esforço durante 3 horas e meia, ai sim poderia ser mau… mas pelo que sei da planificação de treinos qualquer atleta (elite) faz pelo menos uam vez por semana um treino mais longo (normalmente em estrada) com repetições longas (entre 15 a 30 minutos no minimo) e pelo que ouvi dizer o Luis Leão Pinto chegou a parar nso abastecimentos, conclusão lógica, acredito que tivesse dado o máximo ou perto deste em algumas secções do percurso, para ganhar vantagem, mas em muitas partes deve ter ido a um ritmo confortável, não digo que fosse um ritmo que lhe permitisse ir a descansar, mas sim um ritmo que lhe permitia rolar sem muito esforço… deve ter sido um treino relativamente soft com umas séries a 200% pelo meio…

  5. Concordo com o sr Marinheiro. O Leão é um grande atleta, sem dúvida. Mas quem o conhece das maratonas, sabe toda a arrogância que ele transmitia à 4 ou 5 anos quando ganhava com 20 e 30 minutos de avanço. Um homem que aparece no BTT e ia para as maratonas a feijões, como era a maratona da Mealhada, Esposende, Chaves, etc, passear a sua arrogância, ganhar de roda no ar, pedir às organizações que abrissem o caminho de mota, etc. E este, para mim, é um dos casos mais obscuros do BTT nacional, vindo de uma terra pródiga em grandes talentos da estrada e de tudo o que está associada a ela.
    Mas tudo de bom para ele, e que continue a ser a grande referência a nível nacional.

  6. ok… então o homem não sái fora para não “levar nas orelhas dos estrangeiros” que dói e nem ele nem os amigos gostam de perder para evoluir… não aprende e não melhora para não perder, e assim cá na terra de cegos, faz maratonas, faz cross, faz estrada, é o faz tudo… é o herói nacional que come tudo e não deixa nada (gosto mesmo é de de ganhar, diz ele na Rtp2) … mas quando vai fora, apenas a e Espanha o melhor que faz é 17º… mas pronto, por cá vai limpando tudo… é o maior… ainda bem que não sabe mexer numa bike, senão era Downhill também e nem o Pombo se safava, para não deixar nada aos outros que também se esforçam… Apenas disse que era melhor para o Btt nacional que ele planificasse bem e se dedicasse ao XCO para nas Taças do Mundo nos representar bem a todos não sendo dobrado em Ofenbourg e Houfalize, apenas isso, nada mais… mas se o homem e os amigos querem ganhar apenas cá, contra tipos que não têm o mesmo médico, ou sequer médico, fica para consumo interno apenas, e nem lá fora serve, com o desnível que criou e Portugal, nem cá para dentro é válido pois dentro de pouco tempo cria-se o troféu “vencedor não Leão” e tudo fica como dantes com alguma competitividade onde eu ganho uma e tu outra… se tem tanto nível, é tão forte vá lá para fora bater-se com os do tamanho dele, que cá não tem concorrencia, pois cá, poucos ou nenhuns estão na disposição de ter os problemas de saúde que ele teve, apenas para ganhar num desporto onde o pagamento é feito em bananas… cá o pessoal do XCO tem juízo que não ganha dinheiro…

  7. Foi uma grande . . . mas mesmo grande prova. . . .! E para se ter feito ali uma boa classificação não foi por acaso. . . quanto ao sr. Marinheiro tem que ter cuidado mesmo a olhar para o próprio umbigo, visto que casos cm o seu que querem fazer dos filhos aquilo que nunca tiveram capacidade de ser. . . porque há ai alguns casos assim que não tem corrido muito bem. . . .!
    Agora falando no que interessa parabéns ao marco Sousa que mostrou que este anos esta para repetir o feito. . .!

  8. Parabens Luís Leão Pinto por mais esta brilhante vitória, que mais uma vez demonstra a força e a raça de um homem do norte!!
    Quanto ao Sr. Paulo Marinheiro é de lamentar que continue na sua onda do “bota a baixo” a tudo e todos e só consiga olhar para o seu umbigo e para o seu rebento! Quanto a mim é muito mais gratificante ver o melhores atletas nacionais a impor nível nas nossas provas, a motivar novos atletas a demonstrar a sua força, determinação e valentia por cá, do que ir para a Suiça levar nas orelhas por que quer arrecadar meia duzia de pontos UCI. Trabalhar em prol do btt nacional é correr em portugal, elevar o nível das nossas provas, entusiasmar o nosso publico a ir ver as nossas provas, cativar o interesse dos atletas estrangeiros a vir ás nossas provas, incentivar o surgimento de cada vez mais atletas e peparar o futuro do btt Português… não é olhar só para o nosso umbigo e para os resultados pessoais além fronteiras. Obrigado pelo que, em tão pouco tempo, tens feito pelo btt nacional. Outros que já cá andam há anos, pouco mais têm feito do que ser egoistas e criticar tudo e todos… ora criticam-se atletas, ora criticam-se os organizadores das provas, ora critica-se a FPC…
    Mais uma vez parabéns por esta gande vitória!!!!

  9. O Sr Paulo Marinheiro que guarde para si a sua maneira de ver o XCO nacional, e se preocupe mais com o andamento do seu filho, porque para quem quer ser campeão do mundo, nem acabar 1prova da taça de portugal é mau sinal…muito mau!

  10. Muitos Parabéns ao Luis Pinto!! Dar 14:32min ao 2º é muita coisa.
    E desta vez a concorrência foi forte.
    É bom para esta modalidade do BTT que é a que me dá mais gozo acompanhar e praticar.

  11. mais uma vez viu-se que o btt em portugal ta a ter grande nivel de de ciclistas .parabems a tds os atletas e a tds os Mortaguenses.

  12. Com a necessidade de pontos UCI, com a necessidade de resultados internacionais com minimo de relevancia, com as Taças do Mundo de XCO à porta, o melhor atleta nacional, o único que poderá em Elites fazer alguma coisa por este pobre BTT, fazer e ganhar uma maratona de nível internacional de 100km???? Talvez o XCO português em termos de Elites tenha o que merece quando vái lá fora e é parado antes do final com dobragens dos primeiros e ficando com menos 3 voltas… talvez o resto do Mundo do XCO planeie e faça a gestão de forma diferente… bem diferente… muito difrente… mau para o XCO Nacional esta falta de especialização numa vertente que é por demais exigente, é a mais exigente e afogante, como se comprova em cada saída internacional. Assim não vamos lá… ninguém no Mundo do XCO faz isto… assim não!

Os comentários estão fechados.