Castro Marim com elevado nível competitivo [reacções]

A prova inaugural da Taça de Portugal de XCO em Castro Marim consagrou a  evolução que se deseja das diferentes categorias e escalões de competição, com a entrada de novos atletas e afirmação dos valores que despontaram em épocas transactas. Nos Elites, o triunfo de José Melitão testemunhou a polivalência de um betetista que, com resultados regulares ao longo dos anos, compete em duas frentes –  cross-country (XCO) e maratonas (XCM) – com relativo sucesso. Por outro lado, Luis Pinto mostrou no Algarve um interessante resposta à contrariedade mecânica que foi alvo – problema no eixo dianteiro da sua roda da frente – oscilando entre a excelente recuperação e, posteriormente, pela quebra perante o esforço anterior. A sua condição, até porque liderava isolado aquando do seu azar, permiti-lhe aspirar a uma boa classificação em Banyoles, Catalunha, no próxima fim-de-semana na primeira competição fora de portas em 2009.

Nos sub-23, Ricardo Vicente (Bicisintra) forneceu uma interessante resposta a Tiago Ferreira, actual campeão nacional da categoria e vencedor no Algarve, num duelo que se perspectiva ao longo da época, à semelhança, por exemplo, do que se passará no escalão júnior, malgrado a vantagem pontual conseguida para David Rodrigues – vencedor em Castro Marim – diante do rival Ricardo Marinheiro – ausente desta prova, em competição (vitoriosa) em Espanha.

As categorias acima citadas foram particularmente acompanhadas pelo seleccionador nacional Paulo Pais que, no final, destacou ” o nível muito elevado e de grande espectacularidade na maior parte das categorias”. “Gostei ainda da atitude e da evolução de alguns atletas mais jovens e nos escalões inferiores e que, a médio prazo, poderão integrar os trabalhos da Selecção Nacional”, acrescentou.

Por sua vez, Delmino Pereira, presidente-adjunto da FPC, avaliou como “positivo” o arranque da Taça de Portugal de XCO: “O cross-country está a renascer e notou-se, em Castro Marim, um aumento aproximado de 30 por cento no número de participantes”, afirmou. “O evento destinado às escolas de ciclismo e de BTT foi uma participação positiva e feliz que contagiou, com a alegria própria dos jovens, uma grande jornada de BTT. Em termos gerais, todas as corridas foram bem disputadas e com muito público. É uma nova dinâmica que queremos implementar no BTT e Castro Marim foi disso um importante exemplo”, disse.

3 thoughts on “Castro Marim com elevado nível competitivo [reacções]”

  1. Da minha experiencia com vários atletas que hoje são cracks, à altura das escolinhas eles corriam em copy/paste dos mais velhos, sentindo-se mesmo corredores miniatura em tudo iguais e a coisa mais importante para eles era terem o nome a figurar nas classificações. É assim que se motiva os jovens para a competição, é assim que se faz nas nações que têm realmente escolas como a Suiça e a França. Sem dar demasiada impotancia à vitória ou outro lugar, mas sem ignora-la de todo, pois se exacerbar a vitória de um míudo é mau para a sua formação, fingir que essa vitória não existíu será tão mau ou pior.

  2. Boas noites,

    espero que a minha opiniao seja entendida como tal.

    Em relaçao a classificaçoes de escolinhas, parece-me que o principal reconhecimento è o divertimento e a sensaçao de estarem na mesma competiçao dos seus idolos e “encherem” a bolsa de sensaçoes divertidas para quando chegarem à idade de “pressao” competitiva nao se desmotivem e sigam divertindo-se com o BTT

  3. Boa tarde. Gostaria de perguntar aos responsáveis, o porquê das classificações das escolas de ciclismo não figurarem em site nenhum, nem no oficial da Federação Portuguesa de Ciclismo.

    Apenas falam da participação dos jovens, realçando a alegria que dão ao evento, mas a classificação limita-se à das outras categorias, não havendo uma única menção às escolas.
    Parece que não houve participação das mesmas em Castro Marim. A minha opinião é de que os jovens não vêem reconhecido o seu esforço e só tende a desmotivá-los.

Os comentários estão fechados.