Liberty Seguros em Múrcia à procura da primeira vitória na Europa

Rubén Plaza é o chefe-de-fila da equipa portuguesa
Rubén Plaza é o chefe-de-fila da equipa portuguesa

A Liberty Seguros vai correr a Volta a Múrcia (4 a 8 de Março) com um objectivo bem claro: “Queremos alcançar a nossa primeira vitória de 2009 na Europa. Se fosse na geral individual, seria óptimo. Mas uma etapa já nos satisfaz”, revela o director-desportivo, Américo Silva, ao Jornal Ciclismo. Manuel Cardoso, único português vitorioso este ano, no Gabão, será a aposta nas chegadas em pelotão compacto. O valenciano Rubén Plaza, terceiro na recente Volta ao Algarve, é o líder para a geral. “O Rubén está num bom momento e com a existência de um contra-relógio pode ter uma boa participação”, analisa o técnico.

Além de Cardoso e de Plaza, a comitiva lusa é composta por mais seis ciclistas: Héctor Guerra, Nuno Ribeiro, Rui Sousa, Edgar Pinto, José Mendes e Carlos Nozal. Com um mês de Março reduzido a três dias de competição em Portugal, a internacionalização foi uma necessidade imperiosa para a Liberty Seguros, cujo plantel de 14 elementos obriga a um calendário preenchido para que todos os corredores possam rodar e ganhar ritmo competitivo. “O que nos levou a fazer um maior esforço no sentido de estarmos presentes na Volta a Múrcia foi a anulação da Volta ao Distrito de Santarém. Temos 14 corredores e muito tempo sem competir baixa o nível de qualquer ciclista”, assume Américo Silva. Apesar da necessidade de correr nas próximas semanas, a participação da Liberty Seguros na Volta a Múrcia esteve em risco até ao fim da tarde de ontem. Ao que pudemos apurar, houve pressão de equipas continentais espanholas, excluídas da prova, que se sentiam com maior legitimidade para serem convidadas do que uma formação estrangeira da mesma categoria.

O pelotão da Volta a Múrcia irá disputar cinco etapas e 678,6 quilómetros. As duas primeiras tiradas, apesar de algumas subidas, não deverão constituir obstáculo de monta para uma chegada ao sprint. Ao terceiro dia corre-se um contra-relógio individual de 16,3 quilómetros, que ajudará a definir a corrida. No dia seguinte é a vez de os trepadores jogarem os seus trunfos, numa viagem de 156,1 quilómetros com três contagens de montanha, a última delas, de primeira categoria, em Collabo Bermejo, dista apenas 23 quilómetros e uma descida da meta. A consagração chegará no quinto dia de competição.

A corrida espanhola, ganha nos dois últimos anos por Alejandro Valverde, conta com uma lista de pré-inscritos com alguns nomes importantes, mas perfeitamente ao alcance dos homens da Liberty Seguros. Os contra-relogistas Fabian Cancellara (Saxo Bank) e David Zabriskie (Garmin-Slipstream) levam vantagem na luta contra o tempo, mas poderão não resistir à montanha. Nos terrenos mais acidentados, podem dar cartas homens como Xavier Tondo (Andalucía-Cajasur), Ezequiel Mosquera (Xacobeo Galicia) ou Stefano Garzelli (Acqua & Sapone-Caffe Mokambo). Denis Menchov (Rabobank) é o mais completo dos inscritos, faltando saber em que condição irá apresentar-se. Nos sprints, Manuel Cardoso terá a concorrência de Juan José Haedo (Saxo Bank), Graeme Brown (Rabobank), Diego Milán (Acqua & Sapone-Caffe Mokambo), Francisco Pacheco e Javier Benítez (Contentpolis-Ampo).

Etapas
1ª San Pedro del Pinatar – Lorca, 188,6 km
2ª Torres de Cotillas – Caravaca, 175,1 km
3ª San Pedro del Pinatar – San Pedro del Pinatar, 16,3 km (C/R)
4ª Alhama de Múrcia – Alhama de Múrcia, 156,1 km
5ª Santiago de la Ribera – Múrcia, 142,5 km