Federação aposta na pista e no ciclocrosse

A proposta de Plano de Actividades e Orçamento da Federação Portuguesa de Ciclismo para 2011 revela uma aposta em duas disciplinas com muita tradição mas com escassa representatividade no ciclismo português actual: a pista e o ciclocrosse.

A construção do Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, deu o impulso necessário para que a pista passasse a ser olhada como prioridade. Já em 2010 foi criada uma selecção com atletas residentes no centro de alto rendimento. Para o próximo ano prevê-se dotar esta selecção de experiência internacional, mas também está agendada a reanimação da competição interna, por via da reformulação do calendário.

O ponto alto do calendário de pista será a realização do Campeonato da Europa de Sub-23 e de Juniores, entre 26 e 31 de Julho. Outra novidade é a mudança de data da Taça de Portugal de Pista. Em vez de disputar-se em final de época, como tem acontecido com fraca participação, o troféu começa em Fevereiro.

Taça e Campeonato de Ciclocrosse
Se a pista tem vivido em letargia, o ciclocrosse está completamente adormecido em Portugal, sem que se realize qualquer competição há vários anos. A intenção da federação é mudar este cenário em 2011. Logo no começo do ano, ainda contando para o calendário 2010/2011, deverá disputar-se o Campeonato Nacional de Ciclocrosse. Mas a maior aposta reside na temporada 2011/2012, com a implementação da Taça de Portugal, cuja prova de abertura, no Festival Bike, tem todas as condições para proporcionar um banho de multidão que contagie o restante calendário.

Pré-calendário de Pista
Fevereiro

19 a 20 1ª Prova da Taça de Portugal – Sub-23, Juniores e Cadetes
26 a 2 2ª Prova da Taça de Portugal – Sub-23, Juniores e Cadetes

Março
19 Campeonato Nacional de Sub-23
19 a 20 Campeonato Nacional de Cadetes e Juniores

Abril
2 a 3 3ª Prova da Taça de Portugal – Sub-23, Juniores e Cadetes

Julho
2 a 3 4ª Prova da Taça de Portugal – Sub-23, Juniores e Cadetes
26 a 31 Campeonato da Europa de Pista Juniores e Sub-23

Pré-calendário Ciclocrosse 2011/2012
Outubro

23 Taça Portugal CX #1 – Festival Bike

Novembro
20 Taça Portugal CX #2

Dezembro
11 Taça Portugal CX #3
29 Taça Portugal CX #4

Janeiro 2012
16 Campeonato Nacional CX

7 thoughts on “Federação aposta na pista e no ciclocrosse”

  1. meus amigos falar e de borla fazer ou partecipar custa muito dinheiro e trabalho , para aqueles que vem para aqui falar da vida dos outros nao custa nada o que custa meus amigos e fazer. fazer bem a poucos criticar a muitos gostaria de ver fazer aqueles que para aqui vem dizer que fica barato, meus amigos sao sempre os mesmos a fazer as provas. por mim falo estou a ficar cançado……. deixam de falar e passem mas e fazer as coisas em vez de dar tantas opinioes.

  2. Até concordo Tiago, mas como deves saber este ano o dinheiro segundo soube acabou, para as provas fora do pais. Só espero que por parte de Federação não vá servir de desculpa. Embora para mim o ciclocross serve de preparação para a estrada e não tanto para o Xco, o Xco estara ,mais proximo em pre- epoca o Dh ou o Fr, para podermos fazer alguma coisa alem fronteiras

  3. Sou adepto e praticante de ciclocross (e de outras modalidades) nunca vi nenhuma prova em Portugal porque não sou desse tempo, mas é engraçado ver comentários como este. Só em Portugal mesmo, pois em todos os países da europa a cultura do ciclocross está bem vincada, são provas economicamente falando baratas, de 1 dia apenas, a bike (que é mais barata do que se pensa) pode ser utilizada para fazer estrada ou ciclocross, não se paga inscrição, serve de preparação para a época de BTT ou Estrada que se segue e apura a técnica na maior parte dos casos. É uma importante ferramenta de treino para quem assim encare o ciclocross, serve para manter e elevar a forma física num período “morto” em que dantes não havia actividade desportiva por parte da Federação.

    Anda muita gente preocupada com verbas e nem lhes sai do bolso, não consigo compreender esse aspecto. Os atletas de formação, formam-se em provas regionais, inter-freguesias, ou desporto escolar, essas não necessitam de equipas com grandes condições mas sim de vontade em correr! As equipas só têm de ser realistas, se não há condições não podem querer correr nas Taças, corram regionais que a oferta até é bastante. E sim, aí temos a tal diferenciação de atletas/equipas que querem e podem correr ao mais alto nível.
    Infelizmente, como o pensamento tuga é sempre o de puxar para trás, continuamos na cauda da evolução desportiva da Europa. Basta olhar para os restantes Estados-membro e vemos como é especial o lugar que, tanto a pista como o ciclocross, têm nos dias de hoje.
    Não matemos as crianças (pista e ciclocross) à nascença…

  4. Heee ………..mesmo para rir, a 10 anos atraz tinhamos o Minho a fazer corridas, so vinham cà correr atletas Espanhois, e uma equipa Portuguesa que se fazia representar por 3 atletas, agora aparecem, è Novidade heee……….. Estão a dividir meios , o Btt esta como esta as equipas não tem muitas delas condições para fazer as taças de portugal e nacionais, e vão criar , ou seja reavivar uma modalidade que esta morta a partida, para que meia duzia de moinas vendam umas bicicletas.
    Aproveitem os valores que temos no Btt e na estrada apoiem como deve ser a formação, séria , e não a pategada que se tem visto, de algumas equipas que para ai andam, e vamos em frente para termos atletas de topo mundial. Temos de difrenciar os atletas que querem e podem competir ao mais alto nivel, do simples praticante, apostar em quem pode levar Portugal a ribalta tais como cadetes, juniores, sub-23 e seniores. Criar escolas , verdadeiras escolas vocacionadas para a competição, para diversão temos o desporto escolar os interfreguesias e por ai fora.

  5. Apostem bem na pista, ha muitos atletas enteressados em correr pista, eu pessoalmente, se houvesse uma epoca inteira de corridas de pista iria fazer tudo para participar em todas.. e para o ano la estarei outra vez…
    É um desporto bonito, espero que apostem bem nesta vertente 🙂

Os comentários estão fechados.