Dezoito selecções preparam Mundial em critério australiano

Cento e trinta e cinco corredores, de elite e sub-23, disputam no próximo domingo, 26 de Setembro, a Herald Sun World Cycling Classic, um critério australiano de preparação para o Campeonato Mundial de Estrada.

Entre os inscritos estão alguns dos candidatos à camisola arco-íris, que será atribuída uma semana depois, em Melbourne. Filippo Pozzato, Vincenzo Nibali, Philippe Gilbert, Sylvain Chavanel, Edvald Boasson Hagen, Thor Hushovd, Peter Sagan, Peter Velits e Janez Brajkovic são algumas das estrelas confirmadas para a corrida de 120 quilómetros, que se realiza em Ballarat, mas que faz uma incursão pelo circuito da prova de fundo do mundial.

Apesar de os regulamentos impedirem a utilização dos equipamentos das selecções, a Herald Sun World Cycling Classic integra a preparação de 18 selecções nacionais com vista aos mundiais. Entre as equipas representadas não está a portuguesa, cujos corredores se encontram na Austrália desde a passada quarta-feira.

10 thoughts on “Dezoito selecções preparam Mundial em critério australiano”

  1. Queria só emendar o Sr. Sérgio, porque para além dos ciclistas convocados, 5 elites e 4 sub-23, a comitiva da selacção é apenas preenchida com um tecnico nacional, um director da federação, 2 massagistas e um mecânico. Nunca conseguiriam levar 27 pessoas, pois o investimento naquilo que vale a pena, neste pais pobre e sem valores não existe. Levamos 14 pessoas e com muito esforço, dai não terem ido mais ciclistas, e com grande valor, que ficaram de fora.
    Boa sorte para todos os corredores!

  2. Nem guita temos para levar equipa completa quanto mais para provas de preparação !?!?!?!

    Já noutra noticia tinha dito algo parecido com isto que o Miguel disse.

    Para atletas não há dinheiro,para os PANÇUDOS/PARASITAS da F:P:C…há….nem sei como não levam o cão e o gato tb…vergonhoso!!!!

  3. Amorim nao deves morar no mesmo pais que eu.3ª mundo? 
    Vai ver se estou na esquina homem. 
    Deves ter um orgulho imenso  no teu pais pra dizer isso…enfim

  4. Caro Hélder Marinho
    Dar mais gozo deve dar. Isso é verdade. Mas também será embaraçoso e humilhante para quem lá vai competir. E devem sentir muita vergonha de pertencer a um país do terceiro mundo, em plena Europa.
    Enfim, é o ciclismo e os dirigentes que temos… Não há tacho suficientemente fundo para eles! Digo eu.
    Cumprimentos

  5. Apoiado. Partilho da mesma opinião que o Sr Miguel, mas devo acrescentar que alcançar essas vitórias, com menos meios que os outros, deve dar muito mais gozo, a quem o conseguir.

  6. Temos a geração de ouro a ser mal aproveitada porque calhou com a geração dos homens dos “tachos” noutras alturas teriamos uma equipa de topo e uma selecção a lutar por todas as provas em que estivessem inseridos.
    Agora deixa ciclistas de fora e levar 4 ou 5 tasqueiros a mais diz tudo do momento actual do ciclismo nacional.
    Existe muita gente a orientar a sua vida á custa do ciclismo. Vamos ver até quando dura.

  7. nao concordo contigo miguel com respeito a guita’pois nos varios escaloes devemos ter mais ou menos 10 atletas,equipa tecnica mais uns 5,depois empregados da federaçao(secretarias’tesoureiros e resto da comitiva mais uns 12)o que da um total mais ou menos de 27 pessoas que estam a comer a custa de todos nos.portanto temos uma grande seleçao. P.S este ano è capaz de ficar um pouco mais barato pois à là um deles que costuma levar uma carrinha da seleçao para vender pinturas e comprar outras reliquias.lol

  8. Estavam à espera de que ?
    Nem guita temos para levar equipa completa quanto mais para provas de preparação !?!?!?!
    Não admira depois os resultados que obtemos (já muito fazemos nós que conseguimos medalhas em Mundias e JO, etc..). Se tivessemos estrutura à altura de certo que lutaría-mos por títulos em todas as provas em que entrassemos. Só prova que somos dos melhores ciclistas do MUNDO !!!!!!!!!!!!!!!

Os comentários estão fechados.