José Antonio Pecharromán declarado inocente pelo Tribunal Arbitral do Desporto

O corredor espanhol José Antonio Pecharromán viu o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) dar-lhe razão no caso de alegada dopagem que ditou o seu despedimento pelo Benfica. O ciclista acusou finasterida num controlo antidopagem realizado após a Clasica Los Puertos de 2007. O positivo àquela substância, usada como mascarante de produtos dopantes, valeu a Pecharromán o despedimento da equipa portuguesa e a suspensão por nove meses, ditada pela Real Federação Espanhola de Ciclismo. O atleta alegou, desde o princípio, que não se dopara e que a substância ilícita aparecera na sua urina devido a um produto de combate à queda de cabelo. O TAS veio agora dar razão às alegações de José Antonio Pecharromán, que já antes tinha conseguido que uma decisão judicial considerasse o despedimento ilegal, condenando a empresa Lagos Sports, proprietária do Benfica, a pagar uma indemnização ao ciclista.

Fonte: Biciciclismo