Números e curiosidades da Volta a Portugal

1 – Oliveira de Azeméis é a única localidade que se estreia neste ano como ponto final de uma etapa da Volta.

2 – Há dois de corredores no pelotão voltista que já sabem o que é conquistar a Volta a Portugal. São eles David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) e David Bernabéu (Barbo-Siper).

3 – David Blanco ganhou a Volta a Portugal três vezes (2006, 2008 e 2009), podendo igualar em 2010 o recorde de quatro triunfos que é pertença de Marco Chagas. Blanco pode mesmo conseguir o feito de alcançar a quarta vitória antes mesmo de lhe ser atribuída a terceira, já que os resultados de 2009 continuam por homologar.

4 – Quatro dos ciclistas portugueses que já venceram em Portugal em 2010 ficam de fora da Volta a Portugal. Bruno Lima e Bruno Saraiva não foram escolhidos pelos directores-desportivos das equipas Barbot-Siper e CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow, respectivamente. Francisco Costa, único sub-23 que se impôs aos profissionais, não corre porque representa a Aluvia/Valong, uma equipa de clube, sem acesso à Volta, e não foi convocado para a Selecção Nacional/Liberty Seguros. A Caisse D’Epargne, equipa de Rui Costa, não está presente, pelo que o poveiro pode descansar do Tour.

4 – São quatro as tiradas cuja meta coincide com contagens de montanha. A segunda, com final na Senhora da Assunção (2.ª categoria), a quarta, com meta no Monte Farinha, junto à Ermida da Senhora da Graça (1.ª categoria), a quinta, em Lamego (2.ª categoria), e a sétima, na Torre (Cat. Especial).

5 – O malogrado José Santiago é o ciclista que mais vezes se sagrou rei dos trepadores na Volta a Portugal. Nenhum corredor inscrito na prova deste ano tem mais do que uma vitória na classificação da montanha, mas há quatro que podem bisar: Ricardo Mestre, André Cardoso, Rui Sousa e Sérgio Sousa.

6 – Seis ciclistas já venceram em pelo menos um dos finais de etapa da edição deste ano da corrida. David Blanco ganhou em Viseu, em Castelo Branco e na Torre (desclassificação de Nuno Ribeiro em 2009), Cândido Barbosa venceu na Senhora da Assunção e em Lisboa, Francisco Pacheco sprintou para a glória em Viseu e em Castelo Branco, André Cardoso “herdeu” o primeiro lugar na Senhora da Graça por desclassificação de João Cabreira e Nuno Ribeiro em 2009. Na Torre já brilharam mais alto Rui Sousa e Santiago Pérez.

8 – Cândido Barbosa é o recordista de vitórias na classificação por pontos/regularidade com oito conquistas.

13 – Quantas rotundas podem caber em 5,5 quilómetros de corrida? Se nos referirmos ao prólogo são 13 as rotundas que terão de ser ultrapassadas.

14 – A equipa portuguesa mais vitoriosa de 2010 é o Palmeiras Resort-Prio-Tavira, que soma 14 sucessos – entre corridas nacionais e internacionais -, dez dos quais conquistados por Cândido Barbosa o português com mais lugares cimeiros do pódio nesta temporada e na história da modalidade.

16 – Participam dezasseis equipas, mais duas do que há um ano, quando o pelotão foi o mais mirrado de que há memória nos últimos 15 anos. Só uma é ProTour, Lampre-Farnese Vini, há seis do escalão Continental Profissional, oito do nível Continental e uma selecção.

19 – Todas as etapas em linha incluem contagens de montanha. No total são 19 as metas pontuáveis para a classificação dos trepadores. A tirada com mais altos classificados é a quinta, que liga Fafe a Lamego.

25 – Uma das novidades da Volta deste ano é a participação da Selecção Nacional/Liberty Seguros. Há 25 anos que uma selecção portuguesa não marcava presença na prova-rainha. Em 1985 não competiu uma selecção nacional, mas sim três regionais: Selecção do Norte, Selecção do Centro e Selecção do Sul.

34 – Alves Barbosa é o corredor que mais etapas da Volta a Portugal ganhou: 34. Cândido Barbosa soma 24 sucessos, tantos como Joaquim Agostinho, podendo em 2010 passar a ser o segundo mais laureado da história.

38,1 – A 72.ª edição da Volta a Portugal inclui 38,1 quilómetros de contra-relógio, 5,5 quilómetros no prólogo de Viseu e 32,6 no exercício individual que ligará Pedrógão a Leiria, na nona etapa.

83 – A Volta a Portugal já é octogenária, tendo completado em Abril 83 anos. A primeira edição realizou-se entre 26 de Abril e 15 de Maio de 1927. A segunda só sairia para a estrada em 1931. Depois disso foi interrompida em 1936 e 1937, entre 1942 e 1945, em 1953 e 1954 e em 1975. Daí que, aos 83 anos, se dispute a 72.ª edição.

198 – Somando a extensão das 19 subidas a contar para a classificação da montanha chegamos à conclusão de que os corredores irão escalar 198 quilómetros.

221,1 – A sexta etapa é a mais longa da competição e única acima dos 200 quilómetros. A viagem inicia-se em Moimenta da Beira e termina, 221,1 quilómetros adiante, em Castelo Branco.

1611,9 – Total de quilómetros a percorrer pelo pelotão, ao longo de nove etapas em linha, um contra-relógio individual de um prólogo, também em sistema de contra-relógio individual.

1961 – A meta instalada na Torre está 1961 metros acima do nívem do mar. É o tecto da corrida. Os dois locais de menor altitude que serão atravessados pelos ciclistas são a Praia da Vieira (etapa 9) e a Praia das Maçãs (etapa 10). Em ambos os casos a altitude é de sete metros.

16045 – O homem que chegar ao fim da Volta de amarelo no corpo vai amealhar 16.045 euros, menos 2935 euros do que embolsará o vencedor do ano passado, quando a classificação de 2009 for homologada. David Blanco, principal candidato em 2010, arrisca-se a receber os dois prémios de uma assentada. Estas verbas costumam ser distribuídas por todos os elementos da equipa do vencedor.

Foto: Carlos Rodrigues/PAD

2 thoughts on “Números e curiosidades da Volta a Portugal”

Os comentários estão fechados.