Pelotão nacional encontra-se pela última vez antes da Volta

A 33.ª edição do GP de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho, na estrada entre 7 e 11 de Julho, e a última oportunidade antes da Volta a Portugal para as equipas portuguesas medirem forças antes do grande objectivo do ano. Para isso irão dispor de um percurso variado de 593,5 quilómetros, que inclui um curto contra-relógio individual à laia de prólogo, uma chegada em alto, um circuito selectivo e duas etapas em linha sem muitas dificuldades.

O arranque dá-se no final da tarde de dia 7, a partir das 17h30, com a disputa do prólogo de 5,3 quilómetros, entre o monumento em homenagem a Joaquim Agostinho e o Forte de S. Vicente. Os últimos metros são em subida acentuada, adicionando um pouco de exigência e de emoção à corrida.

A primeira etapa é aquela mais ao jeito dos velocistas, ligando Samora Correia a Manique do Intendente, ao longo de 166 quilómetros. Para o dia seguinte adivinham-se algumas definições classificativas, já que a tirada conta com algum sobe e desce no terço final, culminando com a ascensão ao Parque Eólico da Carvoeira (montanha de segunda categoria), onde está colocado o pano de meta, 148,2 quilómetros depois da partida, em Sobral de Monte Agraço.

A terceira etapa pode ser enganosa, já que é aparentemente fácil, mas foi na mesma chegada que, em 2009, a corrida se decidiu a favor de Héctor Guerra, entretanto suspenso por dopagem. Esta tirada é a mais longa, contando 170 quilómetros desde Mafra até ao Monumento da Batalha do Vimeiro, com a meta instalada numa íngreme ladeira que poderá causar mossa e provocar “cortes de tempo”.

O fim de festa é no sítio do costume, o Circuito de Torres Vedras, que totaliza 104 quilómetros, resultantes de dez voltas ao perímetro de corrida, incluindo dez subidas à serra da Vila.

Participam vinte equipas: Barbot-Siper, CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow, LA-Paredes Rota dos Móveis, Madeinox-Boavista, Palmeiras Resort-Prio-Tavira, Cartaxo Capital do Vinho, Aluvia/Valongo, Liberty Seguros/SM Feira, ASC/Vitória/RTL, Maia/Bike Team, Mortágua/Basi, Crédito Agrícola, Orbea, Caja Rural, Selecção da Rússia, Côtes d’Armor, Team Raleigh, LKT Team Brandenburg, Meridiana Karmen Team e SP Tableware.

4 thoughts on “Pelotão nacional encontra-se pela última vez antes da Volta”

  1. Pois. quer participar no desenvolvimento do ciclismo nacional, organizando provas, este ano juntando Elites e Sub23 mas equipas de Sub23 só com 6 corredores e as restantes com 8, NÃO É LIMITAR O POSSIVEL EXITO DAS EQUIPAS DE SUB23. Assim o ciclismo não vai longe.

  2. gostaria de saber porque é que estamos a menos de um mes de começar a volta a portugal de 2010 e ainda não foi informado quem venceu a volta de 2009 penço que é uma falta de respeito pelo ciclismo,mas é o que temos ainda á de terminar a volta de 2010 e andam a procura do vencedor de 2009 ao que pare-se andam a brincar ao ciclismo .

  3. porque sera que quem escreve para ojornal ciclismo,teem que falar sempre nos corredores que acusarao na epoca passada,este senhor nao deve gostar ciclismo,senao gosta nao escreva sempre a falar do mesmo,parece que quem foi apanhado nao foi castigados,ociclismo nao tem pagar p0or causa de alguns ciclista

  4. PAGUEM AOS SUB 23 a merecida compensação pelo seu esforço, equivalente aos pseudo profissionais portugueses…

Os comentários estão fechados.