Carlos Sastre: Giro é o primeiro objectivo, mas o Tour é o principal

Carlos Sastre interpelado pela comunicação social
Carlos Sastre interpelado pela comunicação social

O vencedor da edição de 2008 da Volta a França, Carlos Sastre, foi a principal figura da conferência de imprensa com que a sua nova equipa, Cervélo Test Team, se deu a conhecer ao Mundo, esta manhã, numa unidade hoteleira de Vila Nova de Cacela, Algarve. “Tudo é novo. O projecto é novo, a motivação é nova. O Giro de Itália vai ser o meu primeiro objectivo, mas o Tour será a grande meta para mim. Vamos lutar por esses objectivos e esperamos que no final tenhamos uma temporada bem sucedida”, declarou o madrilena que surpreendeu o pelotão ao vencer o Tour do ano passado. A Cervélo Test Team, federada na suíça, apesar de representar um fabricante de bicicletas sediado no Canadá, aposta em quatro valores-base para o ano de 2009: “inovação, sacrifício, união e sucesso”.

Para levar a cabo o quádruplo objectivo, a equipa dotou-se de um plantel experiente, no qual pontificam corredores da primeira linha internacional, ainda que tenha optado por inscrever-se como colectivo Continental Profissional e não ProTour. Uma das estrelas é Thor Hushovd, que, na conferência de imprensa desta manhã, também disse ao que vinha: “O Milão-São Remo é um grande objectivo, assim como a Paris-Roubaix”. O norueguês aproveitou ainda para enaltecer o grupo de trabalho e a principal ferramenta: “Quando quero mudar é para algo novo e quando ouvi falar do projecto da Cervélo achei-o bastante interessante. Temos um grupo bom de corredores, divertimo-nos muito na estrada e esperamos poder ganhar. Estas bicicletas são as melhores do Mundo, são incríveis”, assegurou.

A Cervélo Teste Team conta com um plantel de 25 elementos, além de uma equipa feminina com doze corredoras, entre as quais sobressai a campeã olímpica Kristin Armstrong.

Plantel multinacional apresentou-se em Portugal
Plantel multinacional apresentou-se em Portugal

Plantel masculino: Carlos Sastre, Iñigo Cuesta, Gómez Marchante, Xavi Florencio, Oscar Pujol e Joaquín Novoa (espanhóis); Daniel Fleeman, Roger Hammond, Jeremy Hunt e Daniel Lloyd (britânicos); Heinrich Haussler, Andreas Klier e Martin Reimer (alemães); Simon Gerrans e Brett Lancaster (australianos); Thor Hushovd e Gabriel Rasch (noruegueses); o suíço Marcel Wyss, o estadunidense Ted King, o neozelandês Hayden Roulston, o canadiense Dominique Rollin, o belga Serge Pauwels, o lituano Ignatas Konovalovas, o ucraniano Volodymir Gustov e o irlandês Philip Deignan.

Fotos: Luís Santos