Bruyneel e Caisse D’Epargne investigados por suspeitas de doping no Tour

As autoridades francesas prosseguem as investigações às suspeitas de dopagem na Volta a França do ano passado, envolvendo no inquérito a Caisse D’Epargne e os antigos responsáveis pela Astana, Johan Bruyneel e Alain Gallopin. Os gauleses recolheram os detritos medicinais deixados pelas duas equipas e encontraram equipamentos e substâncias que levantam dúvidas acerca da possível prática de métodos ilícitos.

De acordo com o jornal L’Équipe, analisadas laboratorialmente as seringas da Caisse D’Epargne, foi detectada a presença de insulina. Já relativamente à Astana, foram encontrados equipamentos que indiciam a prática de dopagem sanguínea. Johan Bruyneel e Alain Gallopin já foram ouvidos pelas autoridades francesas, perante as quais negaram conhecer qualquer prática ilegal na equipa, onde competia o vencedor da competição, Alberto Contador, e Lance Armstrong, além do português Sérgio Paulinho. Rui Costa participou na prova ao serviço da Caisse D’Epargne.

5 thoughts on “Bruyneel e Caisse D’Epargne investigados por suspeitas de doping no Tour”

  1. N me acredito k equipas desse nivel fossem deixar no hotel seringas com restos de produtos dopantes.
    Dá vontade de rir até.
    Tem sp que se inventar alguma coisa. Isto ja nem é de agora, mas como estamos perto do Tour pk nao?
    Ha que armar mais uma polémica. Acho que é melhor descongelar-mos as amostras do Tour de 1928, eu tenho quase a certeza que o vencedor n venceu a competição naturalmente. Ele estava muito forte… lol

  2. …Prevericadores irradiados….doping reduzia drasticamente….castigos de 1/2 anos são férias….crime compensa.

  3. Esqueçam essa luta !
    É o melhor que eles têm a fazer.
    Andar sistematicamente a bater na mesma tecla, começo a pensar que mais vale legalizar a coisa.
    A luta contra o doping infelizmente nao tem resultado e enquanto se luta, andamos a desgastar a modalidade. Por isso mais vale esquecer isso e preservar a modalidade.

    Sinceramente, até ponho em causa se é mesmo isto que penso, mas pelo menos deixava-se de estragar esta modalidade e já sei viu que apanham uns e aparecem logo outros com sangue nas mãos, isto nunca acaba.

Os comentários estão fechados.