Taça de Portugal e GP Liberty Seguros na rota da elite e dos sub-23

A era das corridas internacionais em território português parece cada vez mais distante e as próximas duas semanas voltam a juntar as equipas de elite com as de clube, na temporada mais caseira do ciclismo português da última década. No próximo domingo, 9 de Maio, corre-se a Clássica de Amarante, quarta prova a contar para a Taça de Portugal Liberty Seguros de Elite e Sub-23.

A prova duriense começa às 14h00, no Largo de S. Gonçalo, de onde partem os corredores para os 155 quilómetros, que irão terminar junto ao Museu de Amarante, à quarta passagem pela linha de meta. Uma contagem de montanha a 3,4 quilómetros do final poderá ser decisiva para encontrar o vencedor. Na geral da Taça, Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) comanda entre a elite, ao passo que Fábio Palma (Maia/Bike Team) é o melhor sub-23. Em ambos os casos, a diferença para os perseguidores é recuperável numa única corrida, pelo que as lideranças estarão em causa na Clássica de Amarante.

Dias depois da corrida da Taça é a vez do GP Liberty Seguros, que se disputa de 14 a 16. Esta prova nacional, que apenas contará com as formações de elite e sub-23 portuguesas, substitui, no calendário, o GP Internacional Paredes Rota dos Móveis. Vai ser uma competição marcada pela dureza. Só uma das três etapas não termina em alto, destacando-se a segunda tirada, que assinala o regresso do ciclismo ao Alto de Santa Helena, Tarouca, que já foi palco de grandes espectáculos na Volta a Portugal.

A corrida arranca com a mais curta das etapas, apenas 92,5 quilómetros, entre o Fundão e Oliveira do Hospital. Pelo caminho há duas contagens de montanha, uma terceira e outra de quarta categoria.

Ao segundo dia os corredores vão viajar de Celorico da Beira até Tarouca, num percurso de 129 quilómetros, que inclui um prémio de montanha de terceira categoria e outro de primeira, este coincidente com a meta. A escalada até ao Alto de Santa Helena tem 7,1 quilómetros de extensão e uma inclinação média de 7,66 por cento.

O GP Liberty Seguros encerra com uma ligação de 141 quilómetros, com saída de Moimenta da Beira e chegada a Lamego. A única montanha do dia é de segunda categoria e coincide com a meta. A ascensão desde a Régua até Lamego tem 11,7 quilómetros de extensão com uma inclinação média de 3,46 por cento.