Filipe Cardoso em segundo lugar na Tropicale Amissa Bongo [ACTUALIZAÇÃO]

O português Filipe Cardoso (Liberty Seguros) terminou hoje na segunda posição a etapa inaugural da Tropicale Amissa Bongo – Volta ao Gabão, ocupando igual lugar na geral individual, que é liderada pelo vencedor da tirada, o gaulês Mathieu Lagadnous (Française des Jeux). A ligação de 88,4 quilómetros, entre Franceville e Akiéni, assistiu à saída do pelotão de um grupo de quinze unidades. Destes fugitivos, destacaram-se cinco, entre os quais dois elementos da equipa portuguesa, Filipe Cardoso e Isidro Nozal. O quinteto, onde estavam representados os principais blocos, além da Liberty e da Française des Jeux também a Bbox Bouygues Telecom, ganhou mais de dois minutos ao grupo perseguidor e cerca de dez ao pelotão. Os primeiros classificados cumpriram o percurso em 2h11m18s, à média de 40,4 km/h.

A etapa foi discutida num apertado sprint em que Mathieu Ladagnou se impôs a Filipe Cardoso, Pierre Rollande (BBox Bouygues Telecom) e Jérôme Coppel (Française des Jeux). Isidro Nozal, quinto classificado, perdeu quatro segundos por falta de ponta final. Manuel Cardoso chegou integrado no segundo grupo, na oitava posição, a 2m44s do vencedor. Dois segundos depois chegaria Hernâni Broco, em décimo primeiro. Os outros dois corredores portugueses presentes no Gabão integraram o pelotão principal, que cruzou a meta a 10m10s do vencedor. António Jesus foi 27º e Rui Sousa 35º.

Mercê das bonificações, Filipe Cardoso está no segundo posto da geral, mas tem o camisola amarela a sete segundos. Isidro Nozal, na quinta posição, está a 21 segundos do líder. Manuel Cardoso, oitavo, tem o líder a 3 minutos e Hernâni Broco, 11º, perdeu hoje 3m03s para o camisola amarela.

Com dois homens entre os cinco primeiros da geral individual, a Liberty Seguros está em boa posição para lutar pela vitória final. A maior oposição virá, certamente, das duas equipas francesas do ProTour. Dos restantes colectivos, as selecções africanas mostraram hoje que estão alguns furos abaixo. A sul-africana House of Paint não conseguiu melhor do que um representante nos dez primeiros, ao passo que os búlgaros da Bourgas nem isso lograram.

O camisola amarela lidera ainda as classificações dos pontos e dos pontos quentes. O melhor trepador é James Ball (House of Paint).

Amanhã disputa-se a segunda etapa, 120,2 quilómetros entre Mounana e Franceville. Espera-se mais uma jornada sem dificuldades montanhosas. A abordagem à meta será, todavia, mais complexa do que hoje, exigindo mais força aos sprinters, uma vez que a chegada está colocada numa subida de 200 metros com 3 por cento de inclinação média.


Foto: La Tropicale Amissa Bongo