UCI prossegue mundialização e apresenta plano para a América

A União Ciclista Internacional (UCI) prepara-se para lançar este ano um programa de desenvolvimento quadrienal do ciclismo no continente americano para que certos países desta zona atinjam a médio prazo o nível europeu, anunciou o seu presidente, o irlandês Pat McQuaid, ontem em Havana. “A ideia é que o ciclismo do continente prossiga o seu desenvolvimento e que em alguns países alcance um nível europeu”, declarou McQuaid aquando do congresso da Confederação Panamericana de Ciclismo (COPACI) que se realizou na capital cubana. Este programa comportará “a formação de técnicos, a criação de escolas de ciclismo e o desenvolvimento de atletas de elevado rendimento”, sublinhou o responsável que felicitou os progressos já operados “particularmente na América do Sul”, citando nomeadamente a Colômbia, a Argentina e a Cuba. Pat McQuaid recordou ainda que uma das prioridades do UCI em 2009 será “prosseguir a luta contra a dopagem” em colaboração com a Agência mundial Antidopagem (AMA) e o Comité olímpico internacional (CIO).

“Creio que o UCI foi a federação que mais fez no avanço na luta contra a dopagem. Em 2008, realizamos 10.000 controlos e este ano manteremos este nível”, acrescentou McQuaid. “Esperamos reduzir (os riscos de dopagem) graças ao passaporte biológico”. Aquando do seu congresso, onde 36 das 40 federações das duas Américas eram representadas, o COPACI elegeu o seu presidente na pessoa do Cubano Jose Pelaez, igualmente Vice-Presidente do UCI.

Fonte: AFP