Equipas portuguesas sentiram dificuldades no primeiro dia

Nelson Oliveira e Bruno Lima, dois dos portugueses em prova
Nelson Oliveira e Bruno Lima, dois dos portugueses em prova

Dos 40 corredores que alinham na Volta ao Algarve ao serviço das cinco equipas portuguesas só 14 conseguiram alcançar hoje a meta com o mesmo tempo do primeiro pelotão. O melhor representante dos colectivos lusos foi o galego Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), 37º a passar o risco. Além de Marque, chegaram com o mesmo registo de André Greipel (Team HTC-Columbia), Filipe Cardoso (LA-Paredes Rota dos Móveis), Bruno Pires (Barbot-Siper), Edgar Pinto (LA-Paredes Rota dos Móveis), Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), Pedro Soeiro (CC Loulé-Louletano-Aquashow), José Mendes (LA-Paredes Rota dos Móveis), César Fonte (Barbot-Siper), Mário Costa (Barbot-Siper), Santiago Pérez (CC Loulé-Louletano-Aquashow), João Benta (Madeinox-Boavista),  David Bernabéu (Barbot-Siper) e Luís Pinheiro (Madeinox-Boavista).

Já os portugueses que correm em equipas estrangeiras conseguiram estar melhor. Rui Costa (Caisse D’ Epargne)) esteve na discussão da etapa, terminando na sétima posição. Manuel Cardoso (Footon-Servetto), Tiago Machado e Sérgio Paulinho (RadioShack) também chegaram no pelotão. Só o jovem Nelson Oliveira (Xacobeo Galicia), na sua primeira corrida como profissional, perdeu algum tempo, concretamente 43 segundos face à cabeça do pelotão.

Numa análise das formações lusas, equipa a equipa, merece destaque a LA-Paredes Rota dos Móveis. Depois de triunfar na Prova de Abertura, o bloco do Vale do Sousa, colocou hoje Hugo Sabido em fuga, o que valeu a liderança das metas volantes ao vencedor da Volta ao Algarve em 2005. A Madeinox-Boavista também esteve presente na fuga, por intermédio de Luís Pinheiro, conseguindo, por essa via, algum protagonismo. O esforço de Pinheiro foi premiado com a liderança da classificação de melhor português, obtida graças às bonificações. Pedro Lopes deu visibilidade ao CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow, pois foi outros dos fugitivos.

A Barbot-Siper pautou-se pela discrição, mas logrou colocar quatro homens no primeiro pelotão, entre os quais os dois líderes, Bruno Pires e David Bernabéu. O Palmeiras Resort-Prio-Tavira esteve mais apagado: não se mostrou na fuga e não conseguiu ter mais de dois elementos entre aqueles que não foram traídos por qualquer corte.

3 thoughts on “Equipas portuguesas sentiram dificuldades no primeiro dia”

  1. ola nao fui ver a chegada ,mas tenho esperanca ke nossos ciclistas vao estar atentos ,so hoje comecou,pedro lopes es sempre o mesmo a pedrinho( forca amigo algarve ta contigo) e tu Caldeirinha ja sabes o teu dia vai Chegar ok b0a volta pra todos eee forca daniel mestre henrike casimiro e ricardo mestre DESEJO KE TUDO CORRA BEM A ASSOCIACAO DO ALGARVE

  2. Até ao lavar dos cestos ainda é vindima.
    Ainda falta muita corrida. Ainda há muito para mostrar

Os comentários estão fechados.