Volta a Múrcia veta equipas italianas

Solidariedade com Valverde exclui transalpinos da Volta a Múrcia
Solidariedade com Valverde exclui transalpinos da Volta a Múrcia

A organização da Volta a Múrcia (3 a 7 de Março) anunciou que não vai convidar qualquer equipa italiana. A decisão é uma vingança pela suspensão por dois anos, decretada pelas autoridades antidopagem de Itália, de que foi alvo Alejandro Valverde.

A decisão foi conhecida no mesmo dia em que a agência espanhola Europa Press revelou que as instâncias judiciais de Madrid consideraram que o Comité Olímpico Italiano não tem competência para julgar e sancionar Valverde.

O caso, relacionado com o alegado envolvimento do corredor na Operação Puerto, está a ser julgado no Tribunal Arbitral de Desporto, que deverá proferir uma sentença durante o próximo mês.

Foto: La Vuelta

9 thoughts on “Volta a Múrcia veta equipas italianas”

  1. porque no caso do valverde nunca houve mais do que suspeitas e no caso do basso houve provas, apenas por isso aceito esta decisão como justa.

  2. A UCI deveria era sancionar a federação espanhola ( caso eles não tomem acção contra esta atitude vergonhosa ), até porque com esta atitude corre-se o risco dos organizadores italianos impedirem os espanhois de correm em italia ( na minha opinião os espanhois são os grandes responsaveis pela imagem que o ciclismo tem neste momento ).
    Quanto a quem apoia este tipo de atitudes deveria se lembrar que Basso cumpriu 2 anos de suspensão , e porque é que valverde não deve ter o mesmo tratamento

  3. Este é daqueles dopados que só escapou (parcialmente) por pormenores técnicos e alta cooperação das autoridades espanholas, não sei como é que se pode apoiar este tipo de decisões.

  4. Os italianos tb n tinham nada que o proibir de correr lá.
    O que supostamente se descobriu do Valverde foi em território espanhol.
    Quem deve sancionar o ciclista é a UCI e não o COI. Por causa dos Italianos o Valverde tb não participou no Tour.
    Neste caso estou de acordo com os espanhois.
    Quem não se doi pelos seus não é filho de boa gente.

  5. Patetice. Se não concordam com as leis italianas não corram em Itália , agora não privem os ciclistas de equipas Italianas de trabalharem. As equipas não têm nada que ver com as decisões dos tribunais nacionais.

  6. Parvoíce. Como se fossem as equipas italianas a suspender o corredor. E como se fosse um castigo injusto, um ciclista cujo ADN é identificado numa bolsa de sangue com EPO, encontrada na casa de um médico que se dedicava a práticas dopantes.

  7. Olha se fosse em Portugal. Crucificavam o Português.

    Grandes Espanhois. Aplaudo estas decisões.

Os comentários estão fechados.