Team Sky: cinco anos para vencer o Tour

Orçamento é milionário mas o segredo é a alma do negócio na Team Sky
Orçamento é milionário mas o segredo é a alma do negócio na Team Sky

A Team Sky, a nova equipa britânica do pelotão internacional, reiterou os objectivos a que se propôs aquando do seu projecto inicial: adoptar os métodos de reconhecido sucesso da selecção britânica de pista à estrada e alcançar a vitória na Volta a França no prazo máximo de cinco anos.

Como se previa, a apresentação oficial da equipa que hoje decorreu em Londres foi bastante concorrida tendo em conta o frenesim que na cena velocipédica rodeia a formação idealizada por Dave Brailsford, o mentor do “milagre britânico” no ciclismo de pista que transformou o impacto mediático e desporto modalidade no Reino Unido com conquista de 14 medalhas nos Jogos Olímpicos de Pequim.

“Somos ambiciosos mas a chave do sucesso, no nosso entender, é estarmos totalmente centrados nos corredores”, resumiu Brailsford. “Vamos tratá-los com respeito e dignidade de tal modo que possam dar o melhor de si”, acrescentou o responsável que, publicamente, descartou a contratação de David Millar face à política de tolerância zero com a dopagem, mesmo após o actual reconhecimento do veterano como uma das vozes “anti-doping” do pelotão internacional.

A nova formação que visa a conquista do Tour antes de 2014 é patrocinada pela cadeia televisiva Sky e contará com um forte apoio mediático. Além da vitória desportiva, outro dos objectivos de base da nova Team Sky é a promoção do ciclismo enquanto modalidade para todos alicerçando os pilares da popularidade da própria equipa junto do grande público.

Bradley Wiggins assume a liderança da equipa aos 29 anos
Bradley Wiggins assume a liderança da equipa aos 29 anos

A equipa que surge vestida de negro  e azul é tida como evolução dos resultados do programa olímpico de pista e será liderada na estrada por Bradley Wiggins, triplo campeão olímpico de perseguição e quarto classificado da última Volta a França. Wiggins rompeu de forma soberba o seu anterior contrato com a Team Garmin numa contratação polémica – tal como de Ben Swift reabrindo o dossiê das transferências pagas –  e vinculou-se à primeira equipa de topo do Reino Unido por quatro épocas. No plantel de 26 corredores surgem 12 diferentes nacionalidades que inclue, por exemplo, o  norueguês Edvald Boasson Hagen, o neo-zelandês Greg Henderson, o espanhol Juan Antonio Flecha ou o australiano Simon Gerrans.

A apresentação da equipa foi precedida de um treino conjunto com adeptos nas principais artérias de Londres num sorteio que seleccionou – via Facebook – trezentos ciclistas ocasionais.

Team Sky
Site oficial: http://www.teamsky.com
Twitter: http://www.twitter.com/teamsky
Facebook: http://www.facebook.com/teamsky
Plantel: Bradley Wiggins, Geraint Thomas, Steve Cummings, Pete Kennaugh, Chris Froome, Ian Stannard, Russell Downing, Ben Swift (GBR), Chris Sutton, Simon Gerrans, Mathew Hayman (AUS), Davide Vigano, Dario Cioni, Morris Possoni (ITA), Edvald Boasson Hagen, Kurt Arvesen, Lars Petter Nordhaug (NOR), Sylvain Calzati, Nicolas Portal (FRA), John Lee Augustyn (AFS), Serge Pauwels (BEL), Michael Barry (CAN), Juan Antonio Flecha (ESP), Kjell Carlstrom (FIL), Greg Henderson (NZL), Thomas Lövkvis (SUE).

Todas as notícias da Team SKY: http://jornalciclismo.com/tag/team-sky

4 thoughts on “Team Sky: cinco anos para vencer o Tour”

  1. Uma equia que irá animar o tour este ano, mas Bradley Wiggins não srá capaz de ganha-lo e de se impor ao contador, armstrong ou ao Andy Schleck . Pelo menos por este ano. Mas e uma equia com capacidades para colocar o seu lider num dos lugares mais baixos do podio.

  2. não creio que wiggins consiga bater contador ou armstrong na montanha…ganhar o tour ja este ano é um bocado impossivel :0

  3. Não é de descartar essa possibilidade em ganhar o Tour e poderá ser ainda este ano. A maneira cientifica e precisa com que trabalharam na pista, tendo em conta os técnicos e técnicas envolvidas, digo que será muito dificil outras equipas conseguirem os feitos que esta vai trazer. resta aguardar e ver se conseguem transpor para a estrada toda essa potência.

Os comentários estão fechados.