Ciclista Raul Castaño detido no âmbito da Operação Grial

Raul Castaño, corredor da equipa amadora CCN Valencia-Terra i Mar, é o segundo ciclista a ser detido no âmbito da operação contra a dopagem que decorre em Espanho sob o nome de código “Opração Grial”. De acordo com o jornal Marca, Castaño tinha em casa produtos dopantes aquando das buscas efectuadas pela “Guardia Civil”. Já ontem fora noticiado o envolvimento de outro corredor, Pedro Vera (Contentpolis-Ampo), na rede que seria comandada pelo médico peruano Walter Viru, um antigo assistente de Eufemiano Fuentes na Kelme. Pedro Vera já foi libertado, após prestar declarações ante o juiz.

Apesar de estarem estes dois corredores envolvidos, o nome mais sonante dos desportistas alegadamente clientes e/ou membros da rede de dopagem é o do marchador Paquillo Fernández, medalhista mundial e olímpico nos 20 quilómetros de marcha atlética.

O jornal El Pais indica como alegadamente funcionaria a rede dirigida por Walter Viru. O médico, com a ajuda de um filho farmacêutico e de outros cúmplices, era responsável por conseguir as substâncias proibidas e até pelo fabrico de algumas. A ciclista Cristina Navarro seria a distribuidora para a região da Catalunha, papel que, na costa valenciana, caberia ao treinador Vicente Natividad e ao ciclista paralímpico Javier Otxoa, enquanto Pedro Vera seria o responsável pelo tráfico na região de Múrcia.

Todos os suspeitos que já se pronunciaram publicamente – Paquillo Fernández, Pedro Vera e Javier Otxoa – negaram ter qualquer relação com alguma rede de dopagem.