Guia do Campeonato do Mundo de Ciclismo de Sala Tavira 2010

Os grandes nomes do ciclismo de sala já estão a caminho de Tavira, Algarve, onde, amanhã se iniciam os treinos livres para o Campeonato do Mundo, que se realiza entre 6 e 8 de Novembro, no pavilhão Eduardo Mansinho. A maior parte dos melhores executantes das diferentes disciplinas de ciclismo artístico e de ciclobol estarão presentes no torneio, que, pela segunda vez, se realiza em Portugal, depois da anterior experiência, em 1999, na Madeira.

A lista de inscritos apresenta praticamente todos os líderes dos actuais rankings mundiais, apenas faltando o primeiro classificado do ranking de singulares masculinos em ciclismo artístico, o alemão Michäel Brugger. Além dos mais bem classificados nas tabelas de 2009, a competição conta com a presença de três campeões mundiais de 2008, que se dirigem a Portugal com o objectivo de revalidar os títulos. Com a qualidade dos nomes em cartaz, espera-se um fim-de-semana com grandes prestações e com muito espectáculo. Para cativar ainda mais o público falta a presença de atletas portugueses, já que depois do fim de carreira das irmãs Ivone e Carmo Carvalho – triplas campeãs mundiais em duplas -, nunca mais o ciclismo luso brilhou nesta vertente.

Hegemonia alemã
A variante masculina de ciclismo artístico assistirá a uma luta acesa entre representantes da Alemanha – a grande potência do ciclismo de sala -, da Áustria e da Suíça. A ausência do líder do ranking é compensada pelas presenças dos atletas que o perseguem na listagem da União Ciclista Internacional, por esta ordem: Florian Blab (Alemanha), Lukas Burri (Suíça) e Fabian Allgäuer (Áustria). Aguarda-se também com expectativa o desempenho do campeão mundial em título, o germânico David Schnabel.

O sector feminino é liderado pela alemã Corinna Hein, grande dominadora da temporada, encimando o ranking internacional com uma vantagem superior a 200 pontos face à segunda classificada, a austríaca Denise Boller, que também estará em Tavira, assim como a helvética Angela Nägele, terceira colocada no ranking. A vencedora da prova em 2008, a alemã Anja Scheu é a ausência mais notada.

A prova de duplas open – podem ser duos mistos ou masculinos – atrai ao Mundial as três equipas mais pontuadas de 2009, os alemães Florian e Félix Blümmel, os suíços Beni Jost e Joël Schmid e os austríacos Joachim e Fabian Allgäuer. Os “medalha de prata” de 2008, os germânicos Stefan Rauch e Ann-Kathrin Egert também irão evoluir no pavilhão de Tavira.

A competição de duplas femininas será animada, entre outras, pelas duas atletas mais pontuadas de 2009, as alemãs Kathrin Schulthies e Sandra Sprinkmeier, que tentarão repetir este ano o título alcançado em 2007 e em 2008. O ciclismo artístico tem ainda a modalidade de quartetos femininos, prova em que se espera uma disputa renhida entre as austríacas, campeãs mundiais em 2008, e as alemãs, vencedoras em 2007.

Principais regras do ciclismo artístico
As competições de ciclismo de sala dividem-se em provas individuais, provas de duplas e provas de quatro executantes. O ciclismo artístico engloba exercícios com bicicleta que têm semelhanças com algumas técnicas da ginástica e da patinagem artísticas. Cada exibição tem no máximo 5 minutos. A actuação dos atletas é acompanhada por música, sendo a escolha sonora da responsabilidade dos concorrentes. Os regulamentos estipulam as figuras passíveis de execução e as técnicas adequadas para a sua realização, assim como o sistema de penalizações para os gestos técnicos menos conseguidos.

Os participantes indicam ao júri quais os exercícios que vão realizar e a ordem por que o vão fazer, tendo de cumprir estas indicações sob pena de serem penalizados. Nas provas singulares, os ciclistas podem fazer um máximo de 30 figuras. Os quartetos e as duplas têm de limitar-se a 25 figuras. No caso dos duos, há que respeitar ainda um limite mínimo de oito figuras e um máximo em bicicleta de 15 figuras.

“Futebol em duas rodas”
O ciclismo de sala tem uma outra vertente que se junta ao ciclismo artístico. Trata-se do ciclobol, que pode ser definido como uma espécie de futebol em cima da bicicleta. Os alemães também dão cartas nesta modalidade. A dupla que lidera o ranking de 2009 é germânica e formada por Uwe Berner e Mathias König, jogadores que estarão em Tavira com o estatuto de favoritos para um torneio que, surpreendentemente, foi ganho no ano passado pela dupla checa. Além dos líderes do ranking, o mundial de 2009 conta com as equipas que estão nos postos cimeiros, os autríacos Simon König e Dietmar Schneider e os suíços Peter Jiricek e Marcel Waldispühl.

O ciclobol tem é jogado em dois grupos. No A concentram-se as seis melhores selecções mundiais, numa espécie de primeira divisão. É entre estes colectivos que se discute o título mundial. O último classificado do grupo A terá de disputar um “play-off” com o primeiro do grupo B para decidir qual das duas equipas tem lugar no grupo A do próximo ano.

Regras básicas
O ciclobol é jogado por equipas de dois elementos, em partidas com duas partes de 7 minutos cada uma. O rectângulo de jogo tem uma dimensão de 14 metros por 11 metros (nas competições nacionais pode ser mais pequeno, 11m x 9m). O objectivo é marcar golos na baliza adversária (2 metros x 2 metros). A bola, que tem um diâmetro entre os 17 e os 18 centímetros e um peso que oscila entre os 500 e os 600 gramas, pode ser rematada com a bicicleta (o jogador tem de ter as duas mãos no guiador e os dois pés nos pedais) ou com a cabeça.

Informações úteis
Os bilhetes para os três dias de competição custam 60 euros. O programa completo pode ser consultado na seguinte ligação: http://www.uvp-fpc.pt/ficheirossite/03112009123359.pdf

One thought on “Guia do Campeonato do Mundo de Ciclismo de Sala Tavira 2010”

  1. Belos (e longinquos) tempos em que estas competições passavam na íntegra no Eurosport …

Os comentários estão fechados.