Amostras do Giro 2008 testadas à procura de CERA

O método de detecção de EPO CERA – a mesma substância utilizada por Nuno Ribeiro, Hector Guerra e Isidro Nozal na Liberty Seguros – foi primeiramente utilizado no Tour 2008, tendo feito severa mossa aos participantes dessa edição: Ricardo Ricco, Bernard Kohl, Stefan Schumacher e Leonardo Piepoli foram apanhados no rol de prevaricadores. Agora é a vez do Giro 2008 enfrentar os efeitos dos testes de CERA com a análise retrospectiva das amostras recolhidas durante a prova e na qual o rastreio de CERA não estava ainda a ser aplicado.

Segundo a Gazzeta Dello Sport, a primeira análise de 83 amostras revelou resultados “impressionantes” assim como a presença de graves anomalias no perfil de alguns atletas. O diário desportivo refere a existência de seis ou sete casos suspeitos de administração de CERA que poderão reescrever a classificação da prova.

Com o aval da União Ciclista Internacional os resultados das novas análises deverão ser conhecidos dentro de um par de meses. Numa edição conquistada por Alberto Contador, a equipa sensação foi a modesta CSF Navigare na qual se destacou Emanuelle Sella, meses mais tarde apanhado num controlo anti-doping surpresa. O corredor denunciou a fonte do produto e o nome do traficante – o corredor e colega de equipa Matteo Priamo – tendo identificado ainda a Sérvia como país de origem.