Agência francesa contra a dopagem diz que Astana teve tratamento favorável

A Agência Francesa de Luta Antidopagem (AFLD) considera que a equipa Astana, de Alberto Contator, Lance Armstrong e Sérgio Paulinho, teve um tratamento de favor durante a última Volta a França. Segundo o jornal Le Monde, a AFLD acusa os inspectores da UCI de não respeitarem os regulamentos, em benefício da formação do vencedor do Tour. A autoridade gaulesa de luta contra o doping diz que a Astana foi avisada por antecipação dos controlos de “surpresa” que iria ser realizados.

[actualização]

A UCI rejeita as acusações, garantindo o cumprimento de todos os pressupostos legais da Agência Mundial Antidopagem. Em resposta à tomada de posição dos franceses, a UCI pondera encontrar um parceiro que substitua a AFLD no combate ao doping nas provas realizadas em França.

9 thoughts on “Agência francesa contra a dopagem diz que Astana teve tratamento favorável”

  1. O sr. rui tem razão quem se dopa é fora da competição para se pôr a andar e só com controlos surpresa é que se consegue apanhar alguem.

  2. Aqui o sr rui devia ser convidado para fazer parte do cnad…grande especialista na matéria…:)

  3. O problema para quem faz doping são os controles surpresa porque em prova só uma pequena percentagem dos dopados é que são apanhados, basta lembrar o caso da liberty em que na volta não acusaram positivo mas antes da volta em controle surpresa acusou.
    Durante o Tour a Astana em controle surpresa foi avisado com uma antecedencia de pelo menos 1 hora que iria haver controle , tempo suficiente para encobrir practicas ilicitas .

  4. aTÉ parece é k só toma quem ganha…………….havia de ser feito controles do 1º ao ultimo classificado………………..bem sei k é complicado ser assim como digo mas k havia lá isso havia…………

  5. Igor,

    Não há nada nas regras que obrigue a que o vencedor da etapa e o portador da camisola amarela após a etapa tenham que ir obrigatoriamente ao controlo anti-dopagem. Por norma estes dois são sempre escolhidos mas o critério de escolha depende em última análise sempre ao comissário responsável. Por exemplo, numa prova por etapas em que o portador da camisola amarela é o mesmo há já alguns dias e se por exemplo numa determinada etapa o comissário entender que determinados corredores tiveram um desempenho extraordinário pode muito bem dispensar o portador da camisola amarela e designar um desses em sua substituição.

  6. Ide à página da UCI, que refuta em comunicado de imprensa o relatório da AFLD. Vá-se lá acreditar em quê… em quem… e quem beneficia com todas estas declarações.

  7. Não me pareçe que a noticia tenha algo a ver com o contador. Afinal, segundo as regras, o vencedor da etapa, o camisola amarela, e alguns sorteados aleatoriamente têm de fazer testes todos os dias de prova. ora o contador sabia que ia ao controlo, portanto avisaram foi outros corredores dentro da astana.

  8. Era uma desgraça o Contador ser apanhado de surpresa depois do Diluca no Giro , tem-se de proteger a imagem do ciclismo, ….. desculpa isto não é futebol.
    tenho a forte convicção que o Contador mais cedo ou mais tarde vai ser apanhado , da maneira os controles são rigorosos actualmente .

  9. Lá como cá!!!
    Tenho insistido que este gravissimo comportamento (a ser verdade, porque também por lá os OCS costumam ser parciais) também vai acontecendo neste nosso cantinho. Pelo menos é o que parece… Alguém duvida disso??? Será preciso chamar os bois pelos nomes???
    Acho que toda a gente ligada à modalidade conhece as amizades e afinidades existentes!
    Mas felizmente parece que chegou a hora da mudança.

Os comentários estão fechados.