Madeinox-Boavista fecha época de estrada na Volta a Chihuahua

A temporada ainda não terminou para a Madeinox-Boavista, que participa na Volta a Chihuahua, México, de amanhã até dia 10 de Outubro. Os boavisteiros são os única equipa portuguesa num pelotão multinacional, que iria contar com a Liberty Seguros, no caso de a equipa não ter sido extinta. O ciclismo nacional terá, contudo, mais um representante, pois Rui Costa é um dos escolhidos pelo técnico da Caisse D’Epargne. A corrida, pontuável para o calendário continental americano de 2010, é composta por um prólogo e seis etapas.

O professor José Santos chamou para este compromisso Joaquim Sampaio, Nelson Rocha, João Benta, Danail Petrov, Luís Pinheiro e dois estagiários espanhóis, Alberto Morrás e Jon Pardo.

O cartel apresenta alguns nomes interessantes, fruto da presença de um forte contingente internacional. Além da Madeinox-Boavista e da Caisse D’Epargne, deve seguir-se com atenção a corrida que farão os homens de formações como a Fuji-Servetto, a Andalucia-CajaSur, a Contentpolis-Ampo a Xacobeo Galicia ou a ISD.

Nenhuma das etapas se apresenta com um grau de dificuldade muito elevado. No entanto, toda a prova será feita em altitude, o que prejudicará o desempenho sobretudo dos corredores europeus, pouco habituados a correrem diariamente nestas condições. As primeiras pedaladas serão dadas em jeito de prólogo, com os ciclistas a terem de percorrer 4,2 quilómetros em Chihuahua. Os dois últimos são a subir para a meta, numa inclinação média de 10 por cento que faz a chegada coincidir com uma contagem de montanha de segunda categoria.

A primeira etapa em linha tem 118,2 quilómetros e uma contagem de montanha de terceira categoria a cerca de 40 quilómetros do final, não se esperando que faça grande mossa. Segue-se mais uma tirada com características semelhantes, na véspera daquela que pode considerar-se a etapa-rainha, a terceira, que une Creel a Guachochi, na distância de 152,3 quilómetros. Pelo caminho, os participantes vão encontrar quatro prémios de montanha, um dos quais de primeira categoria. Apesar da dureza, a última montanha, que é de terceira, fica a mais de 30 quilómetros da chegada.

Após uma jornada selectiva, os ciclistas não terão descanso, pois vão pedalar ao longo de 192,4 quilómetros. Olhando à altimetria, as duas derradeiras tiradas não se prevêem muito complicadas, embora a altitude possa sempre deixar marcas.

6 thoughts on “Madeinox-Boavista fecha época de estrada na Volta a Chihuahua”

  1. O Paco Mancebo (Ex Fercase-Rota dos Moveis) campeão em titulo de 2008 não vai estar presente?

  2. Parece que finalmente outro ciclista, irá ter oportunidade para liderar a equipa…
    Quem será? Petrov, Sampaio ou Rocha, ou até 1 dos estagiários? Eu aposto no Petrov pois já participou nesta prova e conhece minimamente o terreno,….

Os comentários estão fechados.