Volta ao Alentejo: Eleições Autárquicas decidem futuro

Qual o futuro da Volta ao Alentejo em Bicicleta, depois das Eleições Autárquicas e da entrada em funcionamento da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), uma nova unidade territorial definida com base nas NUTS III, no Distrito de Évora, é uma questão que começa a ser colocada na região.

A “Alentejana” é organizada pela Associação de Municípios do Distrito de Évora (AMDE) e com a existência da CIMAC que vai assumir algumas das competências, nomeadamente, na gestão de candidaturas ao QREN, e estatutariamente terá as mesmas atribuições, na promoção, articulação, participação e planeamento, a pergunta é: quem vai organizar a Volta ?

Norberto Patinho, presidente da Câmara de Portel e responsável pelos autarcas socialistas no Distrito de Évora, afirma que “é uma situação que só deve ser abordada após as eleições”, considerando que “é razoável que a prova continue”, deixando perceber que a mesma deve ficar na esfera da AMDE.

A Associação de Municípios do Distrito de Évora tem como associados doze das catorze autarquias, excepção a Reguengos de Monsaraz e Alandroal, sendo seis do PS, cinco da CDU e uma Independente em, tem como presidente o presidente da Câmara de Arraiolos, liderada pelo comunista Jerónimo Lóios. Por seu turno a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central vai ser composta pelos catorze municipais sendo os seus órgãos eleitos depois da instalação da CIMAC, o que ocorrerá depois das eleições Autárquicas.

Teixeira Correia / Rádio Voz da Planície

2 thoughts on “Volta ao Alentejo: Eleições Autárquicas decidem futuro”

  1. Até da politica o ciclismo está dependente, pena que isto aconteça uma prova desta categoria e que levou tantos anos a conseguir este estatuto e de um momento para o outro pode acabar, isto deixa triste qualquer um adepto do ciclismo.

Os comentários estão fechados.