Valverde mantém liderança com demonstração de carácter na montanha

O espanhol Alejandro Valverde (Caisse D’Epargne) resistiu às cinco chegadas em alto da Volta a Espanha e parte para a recta final da competição, onde não haverá mais nenhuma meta em altitude, com a camisola dourada no corpo. A 14ª etapa, que hoje levou os corredores ao alto de La Pandera, com vitória do escapado Damiano Cunego (Lampre-NGC), chegou a ameaçar a liderança do murciano, quando o líder da prova perdeu o contacto com o grupo dos melhores, a cerca de 4 quilómetros do final, devido a uma aceleração de Robert Gesink (Rabobank). Demonstrando saber dosear o esforço e, sobretudo, ter muito carácter, Valverde não perdeu a compostura e reagiu, fazendo uma subida de trás para a frente, que lhe valeu passar por todos os rivais, excepto por Ezequiel Mosquera (Xacobeo Galicia) e por Samuel Sánchez (Euskaltel-Euskadi), que não perderam o terreno ganho na altura em que o líder sofreu mais.

À semelhança das tiradas anteriores, a 14ª ligação da Vuelta, que uniu Granada a La Pandera, ao longo de 157 quilómetros, ficou marcada por uma fuga vitoriosa. Um grupo de nove elementos repleto de bons valores escapou ao pelotão ao quilómetro 42. A fuga consolidou-se com a autorização do pelotão e o mais forte acabaria por revelar-se Damiano Cunego, que deixou para trás os companheiros de escapada e pedalou para uma autoritária vitória em solitário, repetindo o êxito que já conquistara, na presente edição da prova, no alto de Aitana.

A luta pela camisola dourada esteve amorfa até à entrada nos últimos quatro quilómetros da chegada. Até então, o grupo mais restrito era liderado pela Liquigas. A o lote dos favoritos só se desfez com a aceleração de Robert Gesink, segundo na geral. Com o holandês seguiram Cadel Evans (Silence-Lotto), Ezequiel Mosquera e Ivan Basso (Liquigas). Valverde e Samuel Sánchez perderam contacto. Gesink e Mosquera mostravam-se os mais fortes, tendo o galego galgado para mais uma excelente exibição, em busca de Cunego e dos resistentes da fuga do dia. Samuel Sánchez deixou Valverde mais atrasado e juntou-se aos da frente.

Como que ressuscitando, o camisola dourada iniciou a recuperação e foi ultrapassando os adversários directos. Só Mosquera e Samuel Sánchez não pagaram a factura do atrevimento de deixarem o primeiro classificado pregado ao asfalto quilómetros antes. Feitas as contas, Alejandro Valverde manteve o comando, agora com 31 segundos sobre Gesink e com 1m10s sobre o campeão olímpico, Samuel Sánchez, que é o terceiro.

CLASSIFICAÇÕES
14ª etapa: Granada – La Pandera, 157 km
1º Damiano Cunego (Lampre-NGC), 4h04m23s
2º Jacob Fuglsang (Saxo Bank), a 2m23s
3º Samuel Sanchez (Euskaltel-Euskadi), a 3m08s
4º Ezequiel Mosquera (Xacobeo-Galicia), a 3m10s
5º Alejandro Valverde (Caisse d’Epargne), a 3m22s
6º Robert Gesink (Rabobank), a 3m26s
7º Cadel Evans (Silence-Lotto), a 3m40s
8º Gonzalo Rabuñal (Xacobeo Galicia), a 3m46s
9º Ivan Basso (Liquigas), a 3m48s
10º Juan José Cobo (Fuji-Servetto), mt

Geral individual
1º Alejandro Valverde (Caisse d’Epargne), 60h30m53s
2º Robert Gesink (Rabobank), a 31s
3º Samuel Sanchez (Euskaltel-Euskadi), a 1m10s
4º Ivan Basso (Liquigas), a 1m28s
5º Cadel Evans (Silence-Lotto), a 1m51s
6º Ezequiel Mosquera (Xacobeo-Galicia), a 1m54s
7º Joaquin Rodriguez (Caisse d’Epargne), a 5m53s
8º Paolo Tiralongo (Lampre-NGC), a 6m24s
9º Tom Danielson (Garmin), a 8m28s
10º Juan José Cobo (Fuji-Servetto), a 10m45s

5 comentários a “Valverde mantém liderança com demonstração de carácter na montanha”

  1. Pois para mim Basso mais parecia que ele era da equipa de Valverde, puxa o maximo que pode para ficar para tras, qto a sanchez eu não disse que era o mais forte mas sim Mosquera apenas disse que foi o que demostrou maior capacidade de sofrimento e de gestão do esforço

  2. Não tem nada contra evans. Querias que ele fosse so na roda? Os ciclistas tentam sp ir mais longe. Nas horas de sofrimento não se consegue ler tão bem a corrida cm se devia e apenas se pensa em perder o minimo de tempo possivel e se deixou o evans para tras melhor, pois é mais um lugar que poderia subir.

  3. Como Sanchez e o melhor se apenas hoje ganhou tempo aos favoritos? O melhor num competo tem sido Mosquera, sempre ao ataque e sempre, excepto hoje, a ganhar tempo

  4. Grandioso esteve Sanchez que descolou primeiro que Valverde e foi o unico que conseguiu acompanhar Ezequiel Mosquera ( este sim está a demostrar que é o mais forte na montanha ).
    Qto a Basso a ajudar Valverde para ficar para tras !!!!!!!!!
    Será que tem alguma coisa contra Evans ?

Os comentários estão fechados.