Hot! Directo 7ª etapa Volta a Portugal: Póvoa de Varzim – S. João da Madeira, 161,8 km

CLASSIFICAÇÕES
7ª Etapa: Póvoa de Varzim – S. João da Madeira, 161,8 km
1º Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author), 4h07m04s
2º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), mt
3º Mauro Santambrogio (Lampre-NGC), mt
4º Manuel Cardoso (Liberty Seguros), mt
5º Sérgio Ribeiro (Barbot-Siper), mt
6º César Quitério (CC Loulé-Louletano-Aquashow), mt
7º Tiago Machado (Madeinox-Boavista), mt
8º Frédéric Amorison (Landbouwkrediet-Colnago), mt
9º Héctor Guerra (Liberty Seguros), mt
10º Hugo Sabido (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt

Geral Individual
1º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros),
2º João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow), a 7s
3º David Bernabeu (Barbot-Siper), a 57s
4º Patrik Sinkewitz (PSK Whirlpool-Author), a 1m32s
5º André Cardoso (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m32s
6º David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m47s
7º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m49s
8º Eladio Jimenez (CC Loulé-Louletano-Aquashow), a 1m53s
9º Rubén Plaza (Liberty Seguros), a 1m54s
10º Vergílio Santos (LA-Paredes Rota dos Móveis), a 2m06s

Km 161,8: O alemão Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author) venceu a etapa ao sprint. Hondo participou na fuga do dia e ainda reservou energias para vencer. Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) foi segundo. Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) continua com a camisola amarela.

Km 160: Pelotão no último quilómetro.

Km 159: A dois quilómetros do final, o primeiro pelotão é liderado por um homem do Palmeiras Resort-Prio-Tavira. Discussão ao sprint em perspectiva.

Km 158: Tavira e Lampre na frente do pelotão nos derradeiros quilómetros. Pelotão compacto.

Km 156: Ataques no grupo da frente, onde vão reentrando cada vez mais corredores.

Km 155: Na descida já vários corredores reentraram. Ainda assim é um grupo restrito na dianteira. Estão lá os favoritos.

Km 154,1: 3ª cat. Codal: 1º Isidro Nozal (Liberty Seguros), 2º Damiano Cunego (Lampre-NGC), 3º Patrik Sinkewitz (PSK) .

Isidro Nozal estica o pelotão e já não há fuga. O que há é cortes no pelotão.

Anulada a iniciativa de Pidgornyy. Pelotão, acelerado pela Liberty Seguros, muito perto dos escapados.

Na subida para o Codal, sai do pelotão Ruslan Pidgornyy (ISD-Neri). O ucraniano aproxima-se do trio da frente.

Km 152: Barbot-Siper junta-se ao Tavira na perseguição para tentar alcançar Chuzhda. É a luta pela montanha sempre ao rubro.

Antes do começo para a subida de terceira categoria no Codal, Antonio Piedra segue uma trajectória errada e agora tem de esforçar-se para regressar à cabeça de corrida. Nelson Rocha persegue, mas temo pelotão a “morder-lhe” os calcanhares.

Km 150: Alssandro Petacchi perde o contacto com o pelotão que se apresta para absorver grande parte do grupo de fugitivos. Resistem apenas  Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author), Olega Chuzhda (Contentpolis-Ampo) e Antonio Pedra (Andalucía-Cajasur) em cabeça de corrida e Nelson Rocha (Madeinox-Boavista) na perseguição. Pelotão a 34 segundos da dianteira.

Km 148: Nova frente de corrida: Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author), Olega Chuzhda (Contentpolis-Ampo) e Antonio Pedra (Andalucía-Cajasur). Os anteriores colegas de fuga estão atrás e o ritmo indicia que esperam pelo pelotão, que está a 1m03s da cabeça de corrida.

O desentendimento reina na frente. Comboio de Tavira faz aproximação: 1m15s.

Km 146: continuam as movimentações no que resta dos fugitivos, um grupo volátil com uma constituição que vai variando ao sabor dos ataques e contra-ataques. Pelotão a 1m3os da dianteira.

Km 143: Luís Pinheiro (Madeinox-Boavista) descaiu dos fugitivos e já mora no pelotão, onde os boavisteiros cederam de novo o comando do pelotão ao Palmeiras Resort-Prio-Tavira.

Km 141: Apesar de ter dois homens na fuga, a Madeinox-Boavista assume a perseguição no pelotão. O objectivo é defender a liderança da montanha de Sérgio Sousa. Diferença cai ligeiramente: 1m51s.. Reagrupamento dos fugitivos.

Km 141: Meta Volante Oliveira de Azeméis: Ordem de passagem: 1º Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), 2º José López Gil (Andalucía-Cajasur), 3º Giairo Ermmeti (LPR Brakes-Farnese Vini). Os três destacam-se na passagem intermédia, mas vêm outros homens da escapada no seu encalço.

Km 138: O engano existente no pelotão permitiu aos fugitivos aumentarem a vantagem: 2m00s.

Km 136: Ataques no grupo de frente. Os 12 vão acabar por dividir-se em grupos mais pequenos para a discussão dos quilómetros finais. A Andalucía-Cajasur, com três unidades em fuga, leva vantagem nestas movimentações. Foi assim, graças à superioridade numérica, que venceu a etapa da Fafe.

Uma parte substancial do pelotão escolheu a trajectória errada e estão presos nas baias. Barreiras abertas e os ciclistas retomam a estrada. Resta-lhes lutar para recolar ao pelotão. Um dos ciclistas envolvidos no engano é Alessandro Petacchi (LPR), favorito para a discussão da etapa de hoje.

Km 133,2: Escapados passam pela primeira vez na meta. Muito público, como é habitual em São João da Madeira.

Km 130: Na aproximação dos fugitivos à primeira passagem na meta, pelotão a 1m38s dos escapados.

Km 125: a diferença estabilizou em torno dos dois minutos, cifrando-se agora em 2m07s.

Km 119: Cumprida a terceira hora de corrida. A média caiu muito nesta última hora, sendo a média geral da etapa neste momento de 39,6 km/h.

Km 117: Pelotão comandado pelos tavirenses a 1m58s dos 12 escapados. A equipa algarvia quer preparar uma chegada ao sprint para Cândido Barbosa ou Samuel Caldeira.

Km 114: P. Montanha 3ª cat. Fagilde. Ordem de passagem: 1º Héder Oliveira (Barbot-Siper), 2º Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), 3º Nelson Rocha (Madeinox-Boavista), 4º Frantisek Kloucek (PSK Whirlpool-Author). A camisola verde de Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista) está cada vez mais em perigo. Apenas três pontos separam o tirsense de Hélder Oliveira.

Km 112: 2m09s entre o pelotão e os 12 da frente. Aproxima-se a luta pela montanha na contagem de terceira em Fagilde. Os dois boavisteiros na fuga marcam Hélder Oliveira e Oleg Chuzhda.

Km 110: A caminho do prémio de montanha instalado em Fagilde, o trabalho do Palmeiras Resort-Prio-Tavira no pelotão dá frutos e os fugitivos já dispõem de apenas 2m45s.

Km 98: A diferença cai para 4m52s.

Km 95: O Palmeiras Resort-Prio-Tavira ajuda a Liberty Seguros na perseguição. Pelotão estirado.

Km 92: 5m25s separam o pelotão da dúzia de ciclistas em fuga.

Km 89,8: Meta Volante Castelo de Paiva. Ordem de passagem: 1º Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), 2º Danilo Hondo Frantisek Kloucek (PSK Whirlpool-Author), 3º Manuel Calvente José López Gil (Andalucía-Cajasur).

Km 87: Aumenta a vantagem: 5m05s.

Km 85: Duas horas de corrida. Média de 42,5 km/h.

Km 83: Pelotão a 4m08s da frente de corrida. Liberty Seguros puxa no pelotão.

Km 80: 3m57 entre o pelotão e os doze fugitivos. Constituição da fuga: Bruno Barbosa e Miguel Candil (LA-Paredes Rota dos Móveis), Luís Pinheiro e Nelson Rocha (Madeinox-Boavista), Hélder Oliveira (Barbot-Siper), Giairo Ermmeti (LPR Brakes-Farnese Vini), Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), José López Gil, Antonio Piedra e Manuel Calvente (Andalucía-Cajasur), Danilo Hondo e Frantisek Kloucek (PSK Whirlpool-Author).

Km 75: Pelotão comandado pela Liberty Seguros e com o campeão nacional de fundo, Manuel Cardoso, na dianteira. Fugitivos com 4m40s de vantagem.

km 70: Pelotão a 4m05s.

Km 68: 4m20s de diferença.

Km 60: A diferença entre fugitivos e pelotão ainda está em fase ascendente: 3m45s.

Km 55: Diferença para o pelotão é de 3m15s. Entre os fugitivos há corredores com diferentes objectivos. Hélder Oliveira e Oleg Chuzhda lutam declaradamente pela camisola da montanha. Outros homens aproveitam a passagem nas regiões de onde são originários para se mostrarem. É o caso, por exemplo, de Bruno Barbosa, Nelson Rocha e Luís Pinheiro, este com a meta perto de casa.

Nelson Rocha é o mais classificado dos fugitivos, estando a 6m09s do líder. Hélder Oliveira está perto, a 6m13s.

Km 52. Composição do grupo de 12 fugitivos: Bruno Barbosa e Miguel Candil (LA-Paredes Rota dos Móveis), Luís Pinheiro e Nelson Rocha (Madeinox-Boavista), Hélder Oliveira (Barbot-Siper), Giairo Ermmeti (LPR Brakes-Farnese Vini), Oleg Chuzhda (Contentpolis-Ampo), José López Gil, Antonio Piedra e Manuel Calvente (Andalucía-Cajasur), Danilo Hondo e Frantisek Kloucek (PSK Whirlpool-Author). Pelotão a 2m32s.

Km 51,2. Meta Volante em Rebordosa. Ordem de passagem: 1º Nelson Rocha (Madeinox-Boavista), 2º José López Gil, 3º Giairo Ermmeti (LPR Brakes-Farnese Vini).

Km 48: atacam 12 corredores.

Km 46,3: Cumprida a primeira hora de corrida. Nem a contagem de montanha reduziu a velocidade média que foi de 46,3 km/h.

O argentino Jorge Montenegro (Andalucía-Cajasur) desistiu.

Km 37,6: P. MOntanha 3ª categoria. Ordem de passagem: 1º Hélder Oliveira (Barbot-Siper), 2º Constantino Zaballa (LA-Paredes Rota dos Móveis), 3º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), 4º ,Damiano Cunego (Lampre-NGC). A liderança da montanha de Sérgio Sousa vai empalidecendo ponto a ponto.

Km 36: fuga anulada.

Km 35: Fuga anulada e logo outra se forma. Adiantaram-se Bruno Barbosa (LA-Paredes Rota dos Móveis), Pedro Lopes (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Cristian Salerno (LPR Brakes-Farnese Vini) e Martin Mares (PSK Whirlpool-Author). No seu encalço saem do pelotão Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista) e Antonio Piedra (Andalucia-Cajasur). A luta pela camisola da montanha está ao rubro.

Km 31: Onze homens ao ataque com 25 segundos para o pelotão. Composição da fuga: Constantino Zaballa e Bruno Barbosa (LA-Paredes Rota dos Móveis), Célio Sousa e João Benta (Madeinox-Boavista), Pablo de Pedro (CC Loulé-LOuletano-Aquashow), Hélder Oliveira (Barbot-Siper), Enrico Magazzini (Lampre-NGC), Ruslan Pidgornyy (ISD-Neri), Iban Mayoz (Xacobeo Galicia), Javier Ramirez (Andalucia-Cajasur) e Martin Mares (PSK Whirlpool-Author).

Com uma contagem de montanha ao quilómetro 37, é de esperar que qualquer ataque e resposta estejam relacionados com esse objectivo. A dificuldade de terceira categoria, na serra da Agrela, é bem conhecida do líder da montanha, Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), que vive ali bem perto.

Km 25: A velocidade é elevadíssima e o pelotão está estirado, qual serpente colorida ao longo da estrada.

Km 5: Pelotão compacto e em excelente ritmo. Um sexteto já tentou sair, mas foi prontamente engolido pelo grande grupo.

Km 0: Partida real. Estão na estrada 111 corredores, todos aqueles que chegaram ao fim da etapa de ontem, uma tirada que não registou desistências.

7ª etapa, Póvoa de Varzim – S. João Madeira, 161,8 km
São João da Madeira recebe a Volta sempre com banhos de multidão. A Volta costuma agradecer com espectaculares disputas entre sprinters. Também já sucedeu o sucesso das fugas. Como os melões, só depois de aberta se verá o que nos reserva esta ligação. Mas uma coisa é certa: salvo algum imponderável, não é tirada para preocupar os corredores que têm debaixo de olho a classificação geral. A excepção é Cândido Barbosa, que pode bem tentar amealhar segundos nas bonificações.
Altitude/Local/Km percorridos/Km a percorrer/Hora
0 Partida: Av. Descobrimentos 0 161,8 13h05
156 Início subida Agrela 34 127,8 14h08
336 PM 3ª Cat. Alto Agrela 37,6 124,2 14h13
237 Meta Volante: Rebordosa 51,2 110,6 14h33
238 Meta Volante: Castelo de Paiva 89,8 72 15h28
53 Início subida 108,9 52,9 15h55
260 PM 3ª Cat. Fagilde 114 47,8 16h02
222 1ª passagem Meta 133,2 28,6 16h30
238 Meta Volante: Oliveira de Azeméis 141 20,8 16h41
234 Início subida 150,9 10,9 16h55
381 PM 3ª Cat. Codal 154,1 7,7 17h00
222 Meta: Av. da Liberdade 161,8 0 17h11

8 Comments

Comments are closed.

  1. E mandando aguardar Luís Pinheiro que chegava na sua terra.

  2. nao consegui perceber esta tactica, 2 homens em fuga da madeinox boavista a tirar em prol de helder oliveira,depois manda parar um, no plutao já estavam a tirar a perseguir o colega, depois sairam de lá,se era para o sergio tentar pontuar na ultima montanha tudo bem,mas afinal a madeinox abdica de vencer etapas por causa de 5 pontos para a montanha,e depois viu-se que nem uma coiza nem outra….parabens ao helder oiveira e claro ao danilo hondo

  3. Ai Professor não estara na hora de ir para a reforma não? com um homem que pode discutir a etapa com o Nélson esta preocupado com a montanha que ja se viu que não vai conseguir ganhar.Inclusive manda parar o Pinheiro que chega a casa. Muito maú.

  4. ganda bronca ! portugal no seu melhor…

  5. Este Helder Oliveira e uma mota, tava na 1ª fuga, passou em 1º nao montanha e agora ta outra vez na fuga.
    Força Helder Oliveira!

  6. Força helder oliveira :D

  7. HELDER OLIVEIRA tamos ctg.. :D

  8. Meus senhores tentem dar ver as coisas como são fala-se muito de certos ciclistas e esquessem outros que por acaso estão a fazer uma exelente volta : ANDRÈ CARDOSO 5º na geral o jovem DANIEL SILVA a correr de borla eu penso que tambem merecem