Hot! Directo 6ª etapa Volta a Portugal: Barcelos – Sr.ª Assunção, 174,6 km

CLASSIFICAÇÕES
6ª Etapa: Barcelos – Senhora da Assunção, 174,6 km
1º Eladio Jiménez (CC Loulé-Louletano-Aquashow), 4h21m09s
2º Rubén Plaza (Liberty Seguros), a 12s
3º David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 14s
4º Paolo Tiralongo (Lampre-NGC), mt
5º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), mt
6º Vergílio Santos (LA-Paredes Rota dos Móveis), a 17s
7º Constantino Zaballa (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
8º Tiago Machado (Madeinox-Boavista), mt
9º João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow), mt
10º Patrik Sinkewitz (PSK Whirlpool-Author), a 22s

Geral Individual
1º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros),
2º João Cabreira (CC Loulé-Louletano-Aquashow), a 7s
3º David Bernabeu (Barbot-Siper), a 57s
4º Patrik Sinkewitz (PSK Whirlpool-Author), a 1m32s
5º André Cardoso (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m32s
6º David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m47s
7º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m49s
8º Eladio Jimenez (CC Loulé-Louletano-Aquashow), a 1m53s
9º Rubén Plaza (Liberty Seguros), a 1m54s
10º Vergílio Santos (LA-Paredes Rota dos Móveis), a 2m06s

Km 174,6: Eladio JIménez (CC Loulé) ganha a etapa. Nuno Ribeiro mantém a camisola amarela.

Os melhores juntam-se todos, mas Eladio JIménez está isolado na frente.

No último quilómetro, Cabreira, Nuno Ribeiro e Sinkewitz em perseguição a Jiménez.

As movimentações deixaram para trás Héctor Guerra e Bruno Pires.

Quase à entrada do último quilómetro, Patrik Sinkewitz salta à procura de Eladio Jiménez.

A dois quilómetros da meta é cada vez mais restrito o grupo dos favoritos. Nenhum deles se move. Jiménez sozinho tem tudo para ganhar a etapa.

Eladio Jiménez (CC LOulé-Louletano-Aquashow) acelera e isola-se em cabeça de corrida.

Cândido Barbosa não resiste e cede terreno. João Cabreira encabeça grupo de Nuno Ribeiro.

Martin Mares (PSK) ataca no grupo e tem resposta de Vergílio Santos (LA-Paredes). Eladio Jiménez (CC Loulé) na resposta e os três perto de Bruno Pires (Barbot-Siper).

Paolo Tiralongo (Lampre-NGC) acelera, com ele acelera também Patrik Sinkewitz e o grupo segue-os.

km 171: Pires tem 17 segundos para os perseguidores. Os favoritos não se movem.

Bruno Pires (Barbot-Siper) continua numa pedalada fortíssima, ganhando cada vez mais espaço para o grupo perseguidor, liderando por Vítor Rodrigues (Liberty Seguros).

Km 170: Bruno Pires ganha vantagem e não deve ter perseguição muito atiçada, pois não é dos mais perigosos para a geral.

Km 169: Bruno Pires (Barbot-Siper) ataca e a Liberty responde. Damiano Cunego (Lampre-NGC) perde o contacto. O ataque do alentejano esticou o grupo.

Km 169: Ainda é numeroso o grupo do camisola amarela, com os principais homens a terem companheiros de equipa para qualquer eventualidade.

Km 168,1: Início de subida. Filipe Cardoso (Liberty Seguros) impõe o ritmo.

Km 166: meta volante Santo Tirso. Ordem de passagem: 1º Samuel Caldeira (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), 2º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros). O camisola amarela bonifica 2 segundos. A estrada em empedrado está a tornar muito perigosa a corrida. Nervosismo ao máximo no pelotão.

Hugo Sabido, quinto classificado, ficou na queda no momento em que a Liberty Seguros acelera o grupo.

Km 164. Queda nos primeiros lugares do pelotão. Os pés saltaram dos pedais de Joaquim Andrade que ginca sobre a máquina, derrubando outros homens. Andrade não cai. Daniel Silva (CC Loulé) foi dos mais prejudicados e foi ao solo.

Km 163: Palmeiras Resort-Prio-Tavira na cabeça do pelotão acelerando a marcha.

Km 162: Fuga anulada, pelotão compacto.

Km 160: 16 segundos entre o pelotão e os fugitivos. Fim de fuga à vista.

Km 159: 23 segundos. No pelotão há movimentações pela melhor colocação na frente do grande grupo.

Km 157: Pelotão a 35 segundos de Castanheira e Konig. Nem a passagem na meta volante de Santo Tirso está garantida. Talvez se assista a uma disputa pelas bonificações da meta volante entre homens importantes.

Km 155: 45 segundos. A fuga vai ser anulada e prevê-se luta entre os homens que disputam a Volta.

Km 152: Lampre e Liberty na cabeça do pelotão estão cada vez mais perto de Castanheira e Konig: 53 segundos.

Km 149: Pelotão a 1m33s da frente à entrada nos últimos 25 quilómetros. Liberty Seguros lidera a perseguição.

Km 140: Grupo perseguidor absorvido pelo pelotão, que está a 2m37s do duo de fugitivos.

Km 138,5. Meta volante Guimarães. Ordem passagem: 1º Bruno Castanheira (Barbot-Siper), 2º Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author), 3º Frantisek Klousck (PSK Whirlpool-Author). Perseguidores a 2m45s da frente. Pelotão a 2m50s

Km 137: Pelotão a 4m24s da frente de corrida, numa altura em que alguns homens da cabeça do pelotão se enganaram no percurso, mas depressa retomaram a estrada correcta.

Km 130: A diferença do duo da frente para o pelotão continua a crescer para valores capazes de darem hipóteses de lutar pela etapa: 4m15s. O grupo intermédio já está a 2m00s e não tardará muito para serem alcançados pelo pelotão.

Km 128,9. P. Montanha 3ª cat. Balazar. Ordem de passagem: 1º Bruno Castanheira (Barbot-Siper), 2º Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author), 3º Frantisek Klousck (PSK Whirlpool-Author), 4º João Benta (Madeinox-Boavista).

Km 127: duo com 1m12s sobre os perseguidores e 3m53s para o pelotão.

Km 126: Na subida para Balazar destacam-se Bruno Castanheira (Barbot-Siper) e Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author). O duo encabeça a etapa. Os perseguidores estão a 42 segundos. O pelotão rola a 3m37s.

Km 124: Na passagem por Braga e perto de se começar a subir para a montanha de terceira categoria em Balazar sucedem-se os esticões no grupo de fugitivos. Está a trabalhar-se para formar o grupo de escapados que vai enfrentar os quilómetros finais.

Km 118: Muitas movimentações na frente de corrida. Bruno Pinto (Barbot-Siper), João Benta (Madeinox-Boavista) e Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author) estão na dianteira, mas o grupo perseguidor está muiti próximo e ameaça recolar. Pelotão a 3m11s.

Km 117: Benta e Pinto juntos em cabeça de corrida. Perseguidores a 15 segundos e pelotão a 2m40s.

Km 116: Mexidas na frente de corrida. Bruno Pinto (Barbot-Siper) isola-se e João Benta (Madeinox-Boavista) vai à sua procura.

Km 114: 1m50s de diferença entre o pelotão e o grupo integrado por Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), João Benta (Madeinox-Boavista), Bruno Castanheira e Bruno Pinto (Barbot-Siper), César Quitério (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Giairo Ermetti (LPR Brakes-Farnese Vini), Eloy Teruel (Contentpolis-Ampo), Alejandro Paleo (Xacobeo Galicia), Jorge Montenegro (Andalucía-Cajasur), Frantisek Klousck e Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author).

Km 111: Pelotão a 1m45s da frente, mas como o grande grupo passa no abastecimento apeado, pelo que se a diferença voltar a subir não surpreenderá.

Km 108: Caiu a diferença para 2m34s.

Km 103: 3m27s entre o pelotão e os fugitivos.

Km 100: 3m55s entre os fugitivos e o pelotão, no qual a Lampre divide o esforço com a Liberty Seguros.

Km 99: 3m30s entre os fugitivos e o pelotão.

A etapa corre-se sob uma temperatura abrasadora, que oscila entre os 35 e os 39 graus.

Km 95: Diferença cai ligeiramente para 3m22s.

Km 88: Pelotão a 3m27s dos onze da fuga. Liberty e Lampre comandam o pelotão.

Km 84: Foi atingida a segunda hora de corrida. Rolou-se a 42 km/h nas duas horas iniciais da tirada.

Km 83: Meta Volante Ponte da Barca. Ordem de passagem: 1º Bruno Pinto (Barbot-Siper), 2 Frantisek Klousck (PSK Whirlpool-Author), 3º Alejandro Paleo (Xacobeo Galicia). Na frente já rolam 11 elementos, após a recolagem de Alejandro Marque. Daniel Silva já foi alcançado pelo pelotão, que está a 4m12s da liderança da etapa.

Km 73: Dez na frente. Alejandro Marque a 38 segundos, Daniel Silva a 1m30s. Pelotão a 4m10s.

Depois de Daniel SIlva ter descaído, o mais bem colocado dos fugitivos é Bruno Castanheira (Barbot-Siper), 48º, a 14m41s do líder.

Cabeça de corrida: João Benta (Madeinox-Boavista), Bruno Castanheira e Bruno Pinto (Barbot-Siper), César Quitério (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Giairo Ermetti (LPR Brakes-Farnese Vini), Eloy Teruel (Contentpolis-Ampo), Alejandro Paleo (Xacobeo Galicia), Jorge Montenegro (Andalucía-Cajasur), Frantisek Klousck e Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author).

Km 62: Alejandro Marque e Daniel Silva perdem o contacto com a frente de corrida, que é agora composta por dez corredores. O duo está a 22 segundos da dianteira. Pelotão a 3m42s.

Km 61: Bruno Pinto certamente esperava seleccionar o grupo com o ataque, mas como não conseguiu, acabou por integrar de novo os doze escapados.

Km 57: A pedalada de Bruno Pinto está a render-lhe um crescimento paulatino da vantagem: perseguidores a 27 segundos e pelotão a 4m20s.

Km 55: Bruno Pinto insiste em pedalar solitariamente. Os onze perseguidores estão a 20 segundos. O pelotão rola 4m10s atrás do líder da etapa.

Km 50: Bruno Pinto (Barbot-Siper) isola-se e é perseguido pelos anteriores companheiros de fuga, que estão a 14 segundos. Pelotão a 3m30s. Lampre e Liberty perseguem.

Km 46: A Liberty Seguros encontrou na Lampre-NGC uma aliada de peso. À semelhança do que sucedeu em boa parte da etapa de ontem, são homens de cor-de-rosa que estão a comandar o pelotão. Fugitivos com vantagem de 3m33s.

Km 43,5: Na primeira hora percorreram-se 43,5 quilómetros.

Km 40: Depois de a diferença ter atingido os 4m24s à passagem por Viana do Castelo, começou a cair, mercê da perseguição da Liberty Seguros e da Lampre-NGC. Agora a diferença é de 3m55s.

Km 30: O corredor que seguia em posição intermédia já está no grupo da frente. Cabeça de corrida formada por Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), João Benta (Madeinox-Boavista), Bruno Castanheira e Bruno Pinto (Barbot-Siper), César Quitério e Daniel Silva (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Giairo Ermetti (LPR Brakes-Farnese Vini), Eloy Teruel (Contentpolis-Ampo), Alejandro Paleo (Xacobeo Galicia), Jorge Montenegro (Andalucía-Cajasur), Frantisek Klousck e Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author). Há quatro equipas que não estão representadas na fuga: Liberty Seguros, LA-Paredes Rota dos Móveis, Lampre-NGC e ISD-Neri.

Km 20: Os onze da frente dispõem de 58 segundos para Alejandro Marque, já que o companheiro deste na perseguição descolou e espera pelo pelotão. O grande grupo está a 3m22s da cabeça de corrida.

Nesta etapa não haverá qualquer passagem intermédia a ditar o jogo táctico do pelotão em relação à fuga, já que a primeira meta volante da jornada está colocada apenas ao quilómetro 83, em Ponte da Barca.

O mais bem classificado dos fugitivos é Daniel Silva (CC Loulé-Louletano-Aquashow), 19º a 3m19s da camisola amarela de Nuno Ribeiro (Liberty Seguros).

Devido ao calor, o abastecimento abre ao quilómetro 30 da etapa e encerra a 15 mil metros da chegada.

km 17: Pelotão a 2m44s. Duo a 1m00s.

Composição da fuga: João Benta (Madeinox-Boavista), Bruno Castanheira e Bruno Pinto (Barbot-Siper), César Quitério e Daniel Silva (CC Loulé-Louletano-Aquashow), Giairo Ermetti (LPR Brakes-Farnese Vini), Eloy Teruel (Contentpolis-Ampo), Alejandro Paleo (Xacobeo Galicia), Jorge Montenegro (Andalucía-Cajasur), Frantisek Klousck e Leopold Konig (PSK Whirlpool-Author). Os intermédios são Kevin Neirynck (Landbouwkrediet-Colnago) e Alejandro Marque (Palmeiras Resort-Prio-Tavira).

Km 10: Onze homens em cabeça de corrida. Dois em posição intermédia, a 24 segundos. Pelotão a 28 segundos da frente.

Km 0: Foi dada a partida real. Não há abandonos. Alinharam os 111 ciclistas que terminaram a etapa de ontem.

6ª etapa, Barcelos – Senhora da Assunção, 174,6 km
A Senhora da Assunção, em Santo Tirso, entrou definitivamente no mapa da Volta a Portugal. Pelo terceiro ano consecutivo, a dificuldade do Monte Córdova está no cardápio. Surgindo em final de etapa sem subidas anteriores de relevo, não se espera que sejam marcadas grandes clivagens de tempo. Antevê-se, isso sim, mais uma jornada de luta velocipédica com a batalha pelo primeiro lugar a permanecer aberta, o que augura maior espectáculo para os dias que se seguem.

Altitude/Local/Km percorridos/Km a percorrer/Hora
77 Partida: 0 174,6 12:50
77 Meta Volante: Ponte da Barca 83 91,6 15h01
210 Esporões: Início subida 124,3 50,3 16h01
326 PM 3ª Cat. Balazar 128,9 45,7 16h08
212 Meta Volante: Guimarães 138,5 36,1 16h22
103 Meta volante: Santo Tirso 166,2 8,4 17h03
85 Início subida 168,1 6,5 17h06
470 Meta: Monte N. Sª. Da assunção / PM 2ª Cat. 174,6 0 17h15

24 Comments

Comments are closed.

  1. vitor silva

    Voces estão-se a esquecer que em portugal tambem se treina todos os dias e tambem existem ciclistas. Muitos dos nossos se estivessem em equipas pro tour seriam bons ciclistas. O cunego não é um super ciclista para chegar aqui e brincar com os portugueses. Mesmo em grande momento de forma para ganhar teria que sofrer muito e msm assim n seria facil. N façam dele mais do que ele é na realidade. Ganhou um Giro a 4 ou 5 anos, a partir dai n se viu mais nada de relevante da parte dele. Temos aqui jovens ciclistas melhores que ele e a prova está dada com o Rui, o Sergio, para o ano c o Tiago. Juntem o edgar, o Ze Mendes, o Vitor Rodrigues e outros mais e temos valores ao nivel ou melhores do que o Cunego

  2. O Cunego vem preparar a Vuelta..nao lhe é pedido que ganhe a volta. É so para ganhar ritmo, como o Iban basso fez na volta a polonia. Tambem foi uma desilusao para mim, mas tenho que aceitar que é para estar bem na vuelta.

    O “mesmo” aconteceu com o Contador no Dauphiné Libéré…

  3. Pois é, anti-america ja o ano passado foi uma vergonha fazerem aquilo ao Rui..Nao acreditou nele, apostou no hector (Só no hector) e deu-se mal. Este ano que aposte no ruben plaza, que pode ser que se de mal outra vez!! Enfim mesmo…

    A volta em principio vai ser discutida entre o david e o nuno…
    Mas falta a Torre, muita coisa pode acontecer..

    Força Rui a Torre é tua! E ja agora que o Tiago machado ganhe a volta!

  4. Tiago Cardoso

    Este Damiano Cunego cada vez mais me desilude

  5. Anti-America

    Joao.. tens toda a rasao! o Americo é mesmo avariado… poe o rui sousa e o carlos nozal a puchar de inicio a fim… o ano passado. na serra, o RUI SOUSA ia com mais de 7 minutos de avanço e o americo pós os da propria equipa a perceguir…

    Enfim! Optimo serio o manuel zeferino, treinador da liberty, ai sim, ganhavam!

    abraços

  6. para bem do nosso ciclismo era muito Bom

  7. vamos a ver se o senhor tiago machado nao vai mesmo kom o jose azevedo…depois digam se tenho ou nao razao

  8. ui ui ui o tiago machado tem de ir pra uma equipa k olhe

    por ele, pra ele ser um grande ciclista, ele ja e grnde ciclista mas

    tem de mundar de equipa……parabens machado

  9. Mas é pena porque têm de facto o conjunto mais forte da volta e nota-se claramente que o Nuno Ribeiro está super à vontade a subir e a responder facilmente a qualquer ataque.
    A desvantagem que ele teria seria e será sempre no CR mas face à vantagem que ele ganhou na Sra. da Graça já consumiu tudo o que poderia perder no CR dando-lhe alguma margem de manobra para o mesmo.
    Se ele continua assim acho que na Serra da Estrela ele ataca e vai-se embora.
    Hoje e na Sra. da Graça esteve mesmo muito à vontade a subir.

  10. vitor silva

    Sr … Caso n tenha visto, a queda teve inicio na parte da frente do pelotão. Os lideres andavam todos por aquela zona, infelizmente o sabido foi o unico prejudicado. É impossivel termos 111 ciclistas na frente da corrida. Precisariamos de uma estrada com 50metros de largura

  11. a poucos km da meta que andava o sabido a fazer no meio da pelotao??? so podia ser a procura de uma queda…sinceramente…

  12. Nada a que já não estejamos habituados João.

  13. A Liberty ainda vai acabar por perder esta volta mais uma vez devido ao seu director desportivo

  14. e a ekipa de alberto contador tb!!!

  15. falem mas e da volta

  16. São boas equipas… a ver vamos qual seria o seu papel nelas…

  17. Pelo que falou ontem no resumo da volta, o empresário dele fala da Garmin e Caisse d’Epargne …

  18. lol sim, no Boavista é que ele deve ir ter um grande futuro… obviamente toda a gente já sabe que ele é grande demais para uma equipa pequena e mediocre como essa.
    Agora a sério, já se fala em alguma equipa?

  19. O Tiago Machado deve continuar é no Boavista, porque é bom para chefe de fila da equipa comandada pelo Prf J S

  20. Sr. Vitor Silva fui ciclista durante 12 anos e hoje em dia trabalho com miudos… O ciclismo é um desporto de dureza e uma Volta a Portugal tem que ser sempre dura. A subida do relégio, com +/-8 kms faz-se de pedaleira grande e o monte cordova são 2 kms duros, não é nada de sobre-humano. Para além, quem fáz a dureza de cada corrida são os atletas, nesta etapa não tem nehuma dificuldade de maior…

  21. Alguém sabe dizer para que equipa vai o T. Machado correr em 2010?
    Já ouviram das boas novas do Zé Azevedo e do S. Paulinho? Estão em grande os dois…

  22. Para quem não é ciclista n é sr. carlos? O ciclismo não é feito só de subidas. Depois dizem que os ciclistas tomam isto e aquilo. C mentalidades destas quase que é obrigatorio

  23. A etapa de hoje vai ser para o SABIDO….
    Vão lá ver a L.A. Rota dos Moveis a comandar na subida da Senhora da Assunção e o Sabido a ganhar.

  24. Proponho para a edição de 2010 para esta etapa colocarem no percurso, a passagem por Vizela, com a subida ao “Relógio”, seguido da subida ao Monte Cordova, descendo pelo parque de merendas de Valinhas seguindo a volta pelo centro de Sto Tirso com chegada à Sra da Assunção. Seria um final de etapa muito duro (Com 3 Montanhas em pouco mais de 20 kms) que iria proporcionar uma grande jornada de ciclismo.